A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
AULA 1 - RENANDRO

Pré-visualização | Página 1 de 1

PROF. RENANDRO (AULA 1) 
EMBRIOLOGIA 
NEURULAÇÃO 
• 1ª semana embrionária: 
- Iniciada através da fecundação, em que um 
espermatozoide atravessa a zona pelúcida e fecunda o ovócito 
no terço proximal da trompa uterina. Iniciando as divisões 
celulares com uma única cél. e um zigoto, várias clivagens 
ocorre, forma-se a mórula e depois o blastocisto. 
- Ao final, o embrião já iniciando a implantação. 
• 2ª semana embrionária: 
- Começa a liberar algumas células para o endométrio 
formando o sinciciotrofoblasto. 
- Cavidade blastocística 
será o futuro saco vitelínico ➔ suporte para o embrião / feto. 
• 3ª semana embrionária 
- Presença de três folhetos embrionários (Ectoderma, 
Endoderma e Mesoderma); O processo de formação da terceira 
camada germinativa é a gastrulação. 
- No início da 3ª semana, há a formação da linha 
primitiva na região caudal do embrião, formando pequenas 
saliências em formato de linha até o estágio final na fosseta 
primitiva. A saliência vai fazendo com que o epiblasto se separe 
do embrioblasto formando o folheto embrionário trilaminar. 
 - Mesoderma → mesênquima: tecido embrionário de 
pequenas células fusiformes (fibroblasto) frouxamente 
organizadas em uma matriz extracelular de fibras colágenas 
(tecido conjuntivo). 
 - Linha primitiva cresce até o nó primitivo que é a 
região limítrofe e à medida que a linha vai se formando, cél. 
mesoblásticas começam a se diferenciar na ectoderma. 
• Processo notocordal e notocorda 
- Dá origem a notocorda (função: sustentação do 
embrião e indução da placa neural). 
- Linha primitiva se forma e para no nó primitivo, o nó 
irá formar a fosseta primitiva que é uma cavidade interna em 
formato de uma fossa; é um pequeno orifício que se abre na 
região mesenquimal até chegar na região limítrofe que é a placa 
pré-cordal (futura faríngea e a região da boca). A região oposta 
é a região cloacal, a qual permanece com o disco bilaminar. 
- Região da mucosa bucal: as células da ectoderma vão 
invaginar nessa mucosa formando a cavidade coral e depois vai 
se ligar na faringe onde tem a união da ectoderma com a 
endoderma. 
- Logo após o canal notocordal ser formado, a base 
(assoalho) é extinto, tendo uma comunicação do âmnio com o 
saco vitelínico não tendo mistura entre os líquidos e aos poucos 
ocorrerá uma reconstituição através das células da endoderma; 
Vai ser formado uma crista (notocorda) como se fosse a coluna 
vertebral do embrião, oferecendo sustentação e rigidez ao 
embrião funcionando como indutor. 
- À medida que a notocorda vai sendo formada até a 
região do canal neuroentérico vai sendo lançado sinais para a 
ectoderma sofrer uma saliência (sulco neural → origem ao SNC). 
- Pregas neurais ➔ regiões similares as criptas. 
- Somitos iram formar a coluna vertebral que ficaram 
no lugar da notocorda (origem mesodérmica paraxial); Vão 
englobar a notocorda formando a coluna e os resquícios que 
restarem serão o núcleo pulposo do disco intervertebral; São 
importantes para desenvolver a musculatura. 
• Formação do tubo neural: 
- Apresenta as cristas neurais ao redor do sulco neural. 
• Espinha bífida 
- Comunicação da medula espinhal com o meio 
extracelular (Espinha bífida → oculta: formação de tufos de 
pelos ou pode ser exposta; Medula pode sair ou apenas o 
líquido cérebro-espinhal). 
Forma a placenta; Detecta o 
Beta HCG. 
Figura 1: Pendúnculo do embrião sustentando ao útero da mãe. 
Figura 3: Disco embrionário bilaminar com ectoderme (epiblasto) e endoderme 
(hipoblasto). 
Figura 2: Azul claro (sofre a invaginação e depois vai se fundir dando origem a epiderme/pele); 
azul médio (no momento que se funde forma uma barra por cima do tubo neural formando a 
crista neural, após isso se separa ficando um de cada lado do tubo; azul escuro (origem ao tubo 
neural). 
 - Precauções: ingestão de ácido fólico durante a 
gravidez, ou até mesmo antes (quando há intenção de 
engravidar). 
 - Espinha oculta pode ter cirurgia para mudança. 
• Formação da crista neural 
- Ativação do genes totalmente envolvidos na 
formação da crista neural, o gene homeobox e o Gbx2. 
- Presença de alguns gânglios sensoriais do SN 
espinhal/autônomo/craniais (V, VII, IX e X). 
- Bainha de neurilema do SNP que envolve os 
neurônios para formar o impulso saltatório [SOI I]. 
- Leptomeninges da acacnóide-máter e pia-máter. 
- Medula da glândula suprarrenal. 
- Muitos componentes do Tec. Conjuntivo da cabeça. 
• Meninges e plexo coroide 
- Mesênquima circundante se espessa, formando a 
meninge. 
- Camada externa = Dura máter. 
- Camada interna = leptomeninges → células da crista 
neural. 
- Plexo coroide = dobras da pia máter que adentram 
o SNC, apresentam tecido conjuntivo e vasos sanguíneos (não 
vão atravessar componentes da células sanguíneas para a 
região ventricular do encéfalo consequentemente também do 
orifício da medula, apenas alguns nutrientes como 
glicose/sais/magnésios apenas o essencial para manter a 
homeostase do líquido cefalorraquidiano); único local que 
apresenta tecido conjuntivo e não saem através da regiões 
cúbicas. 
• Desenvolvimento dos somitos 
- Condensamento do mesoderma paraxial (próximo a 
notocorda) e séries de divisões em corpos cuboides formarão 
os somitos; 
- No final da 5ª semana, 42 e 44 pares de somitos são 
formados; 
- Dão origem à maior parte do esqueleto axial, sua 
musculatura e derme adjacente; 
- A formação dos somitos envolve a expressão dos 
genes como a via Notch. 
- Formação da coluna vertebral, da musculatura ao 
redor e também da musculatura abdominal. 
• Fechamento dos neuroporos 
- Aos poucos vão se fechando tanto cefalicamente 
como caudalmente a parte mediana (em frente aos somitos) , no 
final os neuroporos são completamente abertos tanto rostral 
quanto caudal. 
- Somitos achatados no processo de formação muscular, 
aos poucos os somitos que vão originar os miótomos vão 
começar a se alongar para formar a parede abdominal 
(musculatura). 
• Morfogênese → estágio final da neurulação 
(processo de formação do SN), em que já começa ter 
o formato morfológico de um organismo humano. 
• Neurogênese 
- Quando há uma lesão no corpo celular ele não se 
regenera e uma vez no SNC e SNP formado não há formação de 
novos neurônios. 
- Houve achados na região do hipocampo em que há 
formação de novos neurônios ou de células gliais para auxiliar 
os neurônios, mesmo na vida adulta. 
 - Hipocampo: é a região responsável pelo 
conhecimento. 
Figura 5: Desenvolvimento e a diferenciação de alguns elementos do SN 
para formar a medula espinal. 
Produzir a 
melanina da 
nossa pele. 
Figura 4: Pseudounipolares; única célula esférica [A] que formam 
um único axônio de um lado [B] e um único dendrito do outro [C]; 
aos poucos se fundem [D], aparenta ser um único polo mas 
apresenta tanto dendrito quanto axônio. 
Figura 6: Tubo neural vai apresentando na região caudal algumas saliências.