A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
28 pág.
ANTIBIOTICOTERAPIA

Pré-visualização | Página 6 de 8

macrolídeos e anfenicóis. Portanto, 
não deve ser usada 
concomitantemente com esses 
medicamentos. 
 
Cobertura: 
Gram positivos (Estreptococos, 
Estafilococo sensíveis); anaeróbios; 
Germes “estranhos” (Plasmódio; 
Toxoplasma; Pneumocystis); 
 
Aplicação Prática: 
- Geralmente é usada como 
alternativa à outras medicações, 
por exemplo, as penicilinas. 
- Tratamento de infecções 
pulmonares e pélvicas. 
- Tratamento de infecções de pele e 
partes moles e de ossos e 
articulações; 
- Tratamento de miosite e fasciíte 
necrotizante; 
 
 
 ANFENICÓIS: 
CLORANFENICOL 
 
Características Gerais: 
- Não deve ser administrado 
concomitantemente às lincosamidas 
e macrolídeos. 
- Apresenta excelente penetração 
tecidual, inclusive na barreira 
hematoencefálica e barreira feto-
placentária (BFP); 
- Entre seus efeitos adversos 
importantes se destaca a 
possibilidade de desenvolver 
aplasia de medula, a qual pode se 
tornar fatal ao paciente. 
- Quando usado durante a gravidez, 
pode causar a “Síndrome do Bebê 
Cinzento”. 
Cobertura: 
Boa atividade contra gram positivos, 
gram negativos e germes anaeróbios 
e “atípicos”; 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aplicação Prática: 
- A restrição ao seu uso decorre do 
risco de toxicidade hematológica. 
Nesse sentido, sempre deve ser 
avaliado com cautela o 
risco/benefício de se prescrever essa 
medicação; 
- Seus principais usos são 
direcionados a: infecções por 
Salmonella typhi (febre tifoide) e 
Rickettsia sp, podendo ainda ser 
usado no tratamento de meningites; 
 
 
Fabiana de Abreu Getulino, Nathalia Campos Palmeira, Eduardo Gauze Alexandrino – LACCAD/FURG 
SULFONAMIDAS: 
SULFAMETOXAZOL-TRIMETOPRIM / COTRIMOXAZOL (Bactrim); SULFADIAZINA; 
Características Gerais: 
- A associação das Sulfonamidas 
com o Trimetoprim permite 
alcançar maior potência terapêutica; 
- Dentre os efeitos adversos que 
ganham maior destaque estão: 
erupções cutâneas, cristalúria e 
distúrbios hematológicos, como 
anemia hemolítica; 
- São drogas contraindicadas nos 
últimos meses da gestação e 
durante a lactação, pois podem 
causar efeitos tóxicos ao feto, 
podendo levar ao 
desenvolvimento de Kernicterus. 
Cobertura: 
Gram positivos, Gram negativos, 
Actinobactérias, fungos 
(Pneumocystis), protozoários 
(Toxoplasma gondii); 
Aplicação prática: 
- São agentes de primeira escolha 
para o tratamento de algumas 
infecções oportunistas, como 
isosporidíase e pneumocistose; 
- São indicadas como tratamento 
de escolha para a Toxoplasmose; 
- Podem ser usados em infecções do 
Trato urinário, IVAS, infecções de 
pele e partes moles; 
- A Sulfadiazina de Prata tem 
importante uso diante de quadros 
de queimaduras, por ter ação 
antimicrobiana e cicatrizante. 
 
TETRACICLINAS: 
DOXICICLINA; TIGECICLINA 
Características Gerais: 
- Tem penetração ruim no SNC, mas 
boa penetração nos demais tecidos e 
líquidos corporais; 
- Atravessam a BFP; 
- Contraindicadas em gestantes 
pelo risco e toxicidade fetal e em 
crianças menores de 8 anos pelo 
risco de descoloração dentária e 
atraso no desenvolvimento ósseo; 
- A absorção é diminuída pela 
ingestão simultânea de alimentos 
lácteos, hidróxido de alumínio, 
cálcio, sais de magnésio e ferro. 
Cobertura: 
Germes gram positivos, germes 
gram negativos, germes “atípicos” 
(Clamídia, Micoplasma, 
Treponema, leptospira, Ureaplasma, 
e Rickettsias) além de demonstar 
boa atividade contra germes 
anaeróbios; 
Aplicação Prática: 
- Tratamento de IST’s por Clamídia; 
- Alternativa a outros medicamentos 
para o tratamento de PAC; 
- Alternativa às penicilinas para o 
tratamento de Sífilis; 
- Tratamento de febre maculosa e 
cólera; 
 
 
IST – Infecções sexualmente transmissíveis 
.................................................................................................................................................................................................. ......... 
FEEDBACK: Não esqueça do mecanismo de ação dos antibióticos, QUAL ESCOLHER, quando iniciar e quando 
suspender. Existem ATB específicos para patógenos específicos, muitas vezes o tratamento inicial (ataque) deve 
ser em amplo espectro (na Sepse), cultura e antibiograma são SEMPRE recomendados. Tenha o histórico do paciente! 
 
Agora infecções recorrentes com a sintomatologia e o tratamento de escolha. 
 
Fabiana de Abreu Getulino, Nathalia Campos Palmeira, Eduardo Gauze Alexandrino – LACCAD/FURG 
 
As indicações medicamentosas esplanadas nesse material são apenas sugestões de possíveis tratamentos 
para algumas comorbidades comuns na prática médica. Porém, não pode ser esquecido que, antes de prescrever 
qualquer antimicrobiano, deve ser feita uma avaliação minuciosa e cuidadosa, levando em consideração 
diversos fatores, como os riscos oferecidos pela medicação, a faixa etária do paciente e os dados clínicos e 
epidemiológicos. 
TUBERCULOSE: 
- Conceito: A tuberculose é uma doença infectocontagiosa de evolução crônica, causada pelo Mycobacterium 
tuberculosis, com comprometimento pulmonar ou extrapulmonar. É uma doença grave, de tratamento 
prolongado e que pode trazer consequências sérias aos pacientes, principalmente aos pacientes que possuem 
imunossupressão. 
- Sobre o Bacilo da Tuberculose: O M. tuberculosis também é conhecido como Bacilo de Koch. Trata - se de 
um bacilo álcool-ácido resistente (BAAR) e também consiste e um germe aeróbio estrito. Sua transmissão 
ocorre, principalmente, por via inalatória. 
- Sinais e Sintomas: Grande parte das pessoas expostas à tuberculose nunca desenvolvem os sintomas, já que 
a bactéria da tuberculose pode viver de forma inativa dentro do corpo. No entanto, se o sistema imunológico 
enfraquecer, a bactéria da tuberculose pode se tornar ativa. Alguns dos sintomas da tuberculose ativa são: tosse 
persistente, que pode apresentar - se com sangue ou escarro; febre; sudorese noturna; perda de peso; 
dores no peito e fadiga. 
- Esquema Básico para o Tratamento da Tuberculose no Brasil: O esquema de tratamento da tuberculose é 
padronizado, deve ser realizado de acordo com as recomendações do Ministério da Saúde. 
O esquema básico de tratamento compreende 2 fases: a Intensiva (2 meses) e a de Manutenção (4 
meses). Para o tratamento da TB em adultos e adolescentes é composto por quatro fármacos (RHZE). Em 
crianças, o esquema básico é composto por apenas três fármacos (RHZ). 
Esquema para o tratamento de TB em adultos e adolescentes (maiores de 10 anos de idade): 
ESQUEMA FÁRMACO DURAÇÃO 
2RHZE 
FASE INTENSIVA 
R = Rifanpicina 
H = Isoniazida 
Z = Pirazinamina 
E = Etambutol 
2 Meses 
4RH 
FASE DE MANUTENÇÃO 
R = Rifanpicina 
H = Isoniazida 
4 Meses 
 
Esquema para o tratamento de TB em crianças (menores de 10 anos de idade): 
ESQUEMA FÁRMACO DURAÇÃO 
2RHZ 
FASE INTENSIVA 
R = Rifanpicina 
H = Isoniazida 
Z = Pirazinamina 
2 Meses 
4RH 
FASE DE MANUTENÇÃO 
R = Rifanpicina 
H = Isoniazida 
4 Meses 
 
ATENÇÃO: A justificativa para não usar o Etambutol em crianças é a dificuldade de identificar precocemente 
a neurite óptica (reação adversa do etambutol) nessa faixa etária. 
SITUAÇÕES CLÍNICAS COMUNS E SEUS POSSÍVEIS ESQUEMAS TERAPÊUTICOS 
 
Fabiana de Abreu Getulino, Nathalia Campos Palmeira, Eduardo Gauze Alexandrino – LACCAD/FURG 
INFECÇÕES DO TRATO URINÁRIO: 
 
- Conceito: As ITU bacterianas podem acometer rins, bexiga, próstata e uretra. 
- Sinais e Sintomas: Em casos de ITU são comuns: aumento da frequência urinária, urgência 
miccional, disúria, dor em flancos, lombar ou suprapúbica. Outros sintomas gerais, como febre e 
calafrios também podem ocorrer. 
- A escolha do Antibiótico: 
→ Na cistite e pielonefrite não complicadas, a Escherichia coli é o agente causador na maioria dos 
casos. Em segundo lugar, estão os outros Gram-negativos entéricos, como Klebisiella spp e Proteus