A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Fertilização

Pré-visualização | Página 1 de 1

1 Rodrigo Menezes CESMAC P1 - Embriologia 
Características gerais 
do oócito 
• Células do cumulus oophorus: corona 
radiata 
-Secretam matriz extracelular rica em ácido 
hialurônico (molécula adesiva) 
-Espermatozoide necessitará produzir hialurase 
para penetrar no ovulo 
• Zona pelúcida: 
-Material glicoproteico 
-Espermatozoide se liga a zona pelúcida e libera 
o restante da carga enzimática 
Transporte do oócito 
Varredura das fimbrias, movimento dos cílios e 
contrações uterinas fazem o oócito percorrer o 
seguinte trajeto: 
-Ovário, Infundíbulo da tuba uterina, ampola da 
tuba uterina e útero 
O oócito fertilizado, ou não leva 3 a 4 dias para 
chegar ao útero 
O oócito se degenera 24hrs após a liberação 
Transporte do 
espermatozoide 
• Do testículo para o epidídimo e do 
epidídimo para a uretra: contração dos 
ductos deferentes 
-As glândulas acessórias produzem secreções 
que nutrem os espermatozoides e formam o 
sêmen 
- Vesiculase forma coagulação do sêmen para 
proteger o espermatozoide, após a degeneração 
desse coágulo o espermatozoide se move sozinho 
• Os espermatozoides são atraídos até o 
oócito pela liberação de 
quimioatrativos das células do cumulus 
e do líquido folicular 
-Durante a ovulação o colo uterino se torna 
menos viscoso facilitando a passagem dos 
espermatozoides 
• Espermatozoide na vagina: 
movimentação lenta 
• Espermatozoide colo e tuba uterina: 
movimentação rápida 
O PH influencia na velocidade dos 
espermatozoides 
(+) ácido= (+) lento 
(+) básico= (-) lento 
Maturação dos 
espermatozoides 
Os espermatozoides recém ejaculados são 
incapazes de fertilizar um oócito, por isso passam 
um período de capacitação dentro da tuba e do 
colo e antes mesmo de serem ejaculados, com as 
seguintes substãncias: 
• PSA: próstata 
• Frutose: Glândulas seminais 
• Serina protease 
• Fosfatase acida 
 
Capacitação: contato com útero e tubas 
uterinas- 7 horas, para estimular a ligação com 
a zona pelúcida 
Alterações dos componentes da membrana 
plasmática do espermatozoide 
 
Movimento dos 
espermatozoides 
• Muco cervical: movimentação das 
caudas (+ lento) 
 
 
2 Rodrigo Menezes CESMAC P1 - Embriologia 
• No colo uterino: contração muscular do 
útero, movimentação das caudas mais 
rápido 
• Na tuba: contração muscular da tuba, 
quimiotaxia 
• No istmo os espermatozoides param e 
esperam a quimiotaxia 
Espermatozoide dura 2 dias no trato feminino 
Abaixo de 10 milhões por ml de sêmen o homem 
é infértil 
Fertilização 
• Fertilização ocorre na ampola 
• Hialurase, liberada pela vesícula 
acrossõmica, degrada a corona radiata 
• Zp3 receptor específico do oócito na 
zona pelúcida se liga com 
espermatozoide, depois do 
reconhecimento ocorre a liberação das 
enzimas acrosina, neuraminidase, 
esterase 
• Reação cortical: Quando o acrossoma 
atinge e a membrana plasmática e 
libera grânulos, ocorre a reação zonal, 
impedindo a entrada de outros 
espermatozoides a partir do 
endurecimento da zona pelúcida e 
inativação dos receptores de 
espermatozoides 
• As membranas plasmáticas se fundem, 
mas membrana plasmática e 
mitocôndrias ficam de fora 
• O oócito conclui a segunda divisão 
meiótica, que estava paralisada na 
metáfase e forma o pronúcleo feminino 
• O núcleo do espermatozoide aumenta 
de tamanho e a cauda se degenera 
formando o pronúcleo masculino 
• Durante o crescimento esses pronúcleos 
replicam o DNA e se fundem 
• No infundíbulo o zigoto secreta enzimas 
que destroem o endométrio para se 
fixar