A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Anatomia do Tórax

Pré-visualização | Página 3 de 3

pode acarretar no espessamento e calcificação do pericárdio, causando comprometimento da eficácia cardíaca.
- Tamponamento cardíaco: compressão cardíaca derivada de derrame pericárdico significativo.
- Pericardiocentese: drenagem de líquido da cavidade do pericárdio para aliviar o tamponamento cardíaco. A agulha é introduzia através do 5º ou 6º espaço intercostal.
 Coração
Bomba cardíaca dividida em 2 átrios e 2 ventrículos e sustentada por 4 anéis fibrosos e por estruturas cartilagíneas nos septos interatrial e interventricular.
Suas paredes são composta por 3 camadas, epicárdio, miocárdio e endocárdio e seu esqueleto fibroso impede a distensão excessiva dos vasos, garante fixação para as válvulas das valvas, para o miocárdio e também serve como isolante elétrico, permitindo que átrio e ventrículo tenham contrações alternadas.
Externamente a separação entre os átrios e os ventrículos é o sulco coronário e a separação entre os ventrículos são os sulcos interventriculares anterior e posterior.
Possui 4 faces: 
· Face esternocostal: formada principalmente pelo ventrículo direito.
· Face diafragmática: composta principalmente pelo ventrículo esquerdo e um parte do direito.
· Face pulmonar direita: formada principalmente pelo átrio direito
· Face pulmonar esquerda: formada principalmente pelo ventrículo esquerdo.
 Vascularização do coração
Irrigação arterial do coração
As artérias coronárias irrigam o miocárdio e o epicárdio, se originam do seio da aorta, suprindo também átrios e ventrículos.
· Artéria coronária direita: origina-se no seio direito da aorta, sai ente a aurícula direita e o ventrículo direito, e emite, próximo a sua origem, um ramo do nó sinoatrial, irrigando o nó SA, e descendo no sulco coronário emite o ramo marginal direito, irrigando a margem direita do coração, além desse também dá origem a outros ramos como o ramo do nó atrioventricular, ramo interventricular posterior e os ramos interventriculares septais. (ACD)
· Artéria coronária esquerda: origina-se do seio esquerdo da aorta, saindo entre a aurícula esquerda e o tronco pulmonar, gerando ramos como-> ramo do nó SA; ramo IV anterior (gera vários ramos perfurantes para o septo interventricular) e ramo circunflexo (Forma o ramo marginal esquerdo) (ACE)
Drenagem venosa do coração
A drenagem é realizada pelas veias que se abrem no seio coronário, esse recebe as veias cardíaca magna (formada no ápice cardíaco e sobe pelo suco interventricular, sendo chamada nele de veia interventricular anterior, ao tocar a base do coração se chama veia cardíaca magna, drena as áreas do coração supridas pela ACE), interventricular posterior e cardíaca parva (formada pela veia marginal direita/ ou pela confluência de veias entre o aurícula e ventrículo direito).
Drenagem linfática do coração
Se dá através do plexo linfático subepicárdico que terminam nos linfonodos traqueobronquiais inferiores.
 Complexo estimulante do coração
 
 NÓ SINOATRIAL
 condução miogênica
 NÓ ATRIOVENTRICULAR
 FASCÍCULO AV
 DIREITO ESQUERDO
 
 RAMOS SUBENDOCÁRDICOS 
 (Fibras de purkinje)
 Estimulam as paredes ventriculares 
 Inervação do coração
As fibras nervosas autônomas do plexo cardíaco suprem o coração, sendo essas fibras simpáticas (aumenta a frequência cardíaca, a força de contração e a condução do impulso), parassimpáticas (ação oposta a ação das fibras simpáticas) e aferentes viscerais (reflexas e nociceptivas).
Mediastino superior, posterior e 
 anterior 
O mediastino superior está localizado acima do plano transverso tórax e seu conteúdo é:
- Timo
- Grandes vasos 
- Continuação inferior das vísceras cervicais (traqueia e esôfago)
- Ducto torácico e troncos linfáticos
Timo
Está situado posteriormente ao manúbrio do esterno, são irrigadas pelos ramos intercostais anteriores e mediastinais anteriores da A.torácica interna. Já sua drenagem venosa se dá pelas veias braquiocefálica esquerda, torácica interna e tireóidea inferior.
Grandes vasos
As veias braquiocefálicas são formadas a partir da união da veia jugular interna e subclávia, uma vez formadas unem-se e formam a VCS, conduzindo sangue da cabeça, pescoço e membros superiores para o átrio direito.
A veia cava superior situa-se no lado direito do mediastino superior e leva sangue para átrio direito do coração.
O tronco braquiocefálico é o primeiro ramo do arco da aorta e se divide em artéria carótida comum esquerda e subclávia esquerda (ramos da artéria aorta).
 Nervos do mediastino superior
Os nervos vagos entram no mediastino superior posteriormente a articulação esternocostal e a veia braquiocefálica.
Os nervos frênicos suprem o diafragma por meio de fibras motoras e sensitivas, enviando fibras também para o pericárdio e a pleura parietal.
Traqueia 
Desce anteriormente ao esôfago e divide-se em brônquios principais, terminando acima do coração.
Esôfago 
Tubo fibromuscular que vai desde a faringe até o estomago, situando-se anteriormente às vértebras T1-T4. No mediastino posterior ele sofre 3 compressões por 3 estruturas: arco da aorta, brônquio principal esquerdo e o diafragma.
O mediastino posterior está inferior ao plano transverso do tórax e seu conteúdo é:
- Parte torácica da aorta
- Ducto torácico e troncos linfáticos
- Linfonodos mediastinais posteriores
- Veias ázigo e hemiázigo
- Esôfago
- Plexo nervoso esofágico
Parte torácica da aorta
É circundada pelo plexo aórtico torácico, localizada posteriormente à raiz do pulmão esquerdo, pericárdio e esôfago, entrando no abdome por meio do hiato aórtico no diafragma.
Ducto torácico e troncos linfáticos
O ducto torácico é o maior canal linfático do corpo, transportando a maior parte da linfa do corpo para o sistema venoso do corpo, com exceção do quadrante superior direito. Além disso, recebem em sua porção final os troncos linfáticos jugular, subclávio e broncomediastinal.
 Vasos e linfonodos do mediastino posterior
Os linfonodos mediastinais posteriores recebem linfa do esôfago, face posterior do diafragma e dos espaços intercostais posteriores.
A veia ázigo, pode ser formada pela veia lombar ascendente e veia subcostal direita ou diretamente da VCI, drena sangue das paredes posteriores do tórax e abdome e recebe as veias mediastinais, esofágicas e bronquiais
A veia hemiázigo é originada pela união da veia subcostal esquerda e lombar ascendente, ou pode ser ramo da veia renal esquerda, drenando os três espaços inferiores intercostais posteriores.
 Nervos do mediastino posterior
· Troncos simpáticos torácicos 
· Nervos esplâncnicos torácicos inferiores (inervação simpática da maioria da vísceras abdominais)
O mediastino anterior é a menor subdivisão do mediastino, situando-se entre o corpo do esterno, músculos transversos do tórax e o pericárdio.
11