Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
GABARITO PROVA N2 - RITOS ESPECIAIS CÍVEIS - 2 - 2020

Pré-visualização | Página 1 de 3

· 
		 Pergunta 1
0,75 em 0,75 pontos
	
	
	
		
A respeito dos processos especiais cíveis, assinale a afirmativa incorreta.
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	 
Não é considerado terceiro para efeitos de ajuizamento de embargos aquele que sofre constrição judicial de seus bens por força de desconsideração da personalidade jurídica, de cujo incidente não fez parte.
	Respostas:
	 
Não é considerado terceiro para efeitos de ajuizamento de embargos aquele que sofre constrição judicial de seus bens por força de desconsideração da personalidade jurídica, de cujo incidente não fez parte.
	
	Os embargos podem ser opostos a qualquer tempo no processo de conhecimento enquanto não transitada em julgado a sentença e, no cumprimento de sentença ou no processo de execução, até 5 (cinco) dias depois da adjudicação, da alienação por iniciativa particular ou da arrematação, mas sempre antes da assinatura da respectiva carta.
	
	A decisão que reconhecer suficientemente provado o domínio ou a posse determinará a suspensão das medidas constritivas sobre os bens litigiosos objeto dos embargos, bem como a manutenção ou a reintegração provisória da posse, se o embargante a houver requerido.
	
	Na petição inicial, o embargante fará a prova sumária de sua posse ou de seu domínio e da qualidade de terceiro, oferecendo documentos e rol de testemunhas, sendo facultada a prova da posse em audiência preliminar designada pelo juiz.
	
	Contra os embargos do credor com garantia real, o embargado somente poderá alegar que: o devedor comum é insolvente; o título é nulo ou não obriga a terceiro; outra é a coisa dada em garantia.
	Feedback da resposta:
		
- Não é considerado terceiro para efeitos de ajuizamento de embargos aquele que sofre constrição judicial de seus bens por força de desconsideração da personalidade jurídica, de cujo incidente não fez parte.
Incorreta
Art. 674, §2º, III, do CPC/15: "Considera-se terceiro, para ajuizamento dos embargos: quem sofre constrição judicial de seus bens por força de desconsideração da personalidade jurídica, de cujo incidente não fez parte".
	
	
	
 Pergunta 2
0,75 em 0,75 pontos
	
	
	
	É certo afirmar:
I. Apesar da ação de interdito possessório correr pelo procedimento especial da ação de força nova, assim não pode ser considerada, pois ela busca prevenir seja a posse molestada por turbação ou esbulho.
II. Não sendo intentados embargos monitórios na ação monitória, constituir-se-á de pleno direito o título executivo judicial.
III. Os embargos de terceiro são ação autônoma, constituindo-se em incidente processual que deve ser oferecido perante o mesmo juízo que, por exemplo, determinou a apreensão do bem ou expediu mandado de penhora.
IV. Na ação de reintegração de posse se visa proteger somente bens imóveis que foram esbulhados, admitindo-se pedidos cumulados.
Analisando as proposições, pode-se afirmar:
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	 
Somente as proposições II e III estão corretas.
	Respostas:
	Somente as proposições I e III estão corretas.
	
	 
Somente as proposições II e III estão corretas.
	
	Somente a II está correta.
	
	Somente as proposições I e IV estão corretas.
	
	Somente as proposições II e IV estão corretas.
	
	
	
 Pergunta 3
0,75 em 0,75 pontos
	
	
	
	O espólio de Carlos, representado por inventariante dativo, ajuizou, pelo procedimento comum, demanda para cobrar dívida no valor de R$ 50.000 de um particular. Nessa situação hipotética,
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	 
a lei dispensa a presença de todos os sucessores no polo ativo da ação de cobrança, mas eles deverão ser intimados a respeito da propositura da ação.
	Respostas:
	a ação de cobrança deverá tramitar na mesma comarca em que corra o inventário de Carlos, uma vez que o foro de domicílio do autor da herança é o competente para todas as ações das quais o espólio seja parte.
	
	 
a lei dispensa a presença de todos os sucessores no polo ativo da ação de cobrança, mas eles deverão ser intimados a respeito da propositura da ação.
	
	a lei exige a presença de todos os sucessores no polo ativo da ação de cobrança.
	
	o inventariante possui plenos poderes para realizar transação judicial na ação de cobrança, sendo dispensada a manifestação dos sucessores para essa finalidade. 
	
	o inventariante possui plenos poderes para realizar transação judicial na ação de cobrança, sendo dispensada a manifestação dos sucessores para essa finalidade.
	
	
	
 Pergunta 4
0,75 em 0,75 pontos
	
	
	
	Os embargos de terceiro
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	 
podem ser de terceiro proprietário, inclusive fiduciário, ou possuidor.
	Respostas:
	 
podem ser de terceiro proprietário, inclusive fiduciário, ou possuidor.
	
	não admitem prova oral.
	
	podem ser opostos apenas no processo de execução.
	
	são distribuídos livremente, não suspendendo o processo principal.
	
	não podem ser opostos pelo cônjuge do devedor, salvo para defesa dos bens que poderá vir a herdar.
	Feedback da resposta:
	- podem ser de terceiro proprietário, inclusive fiduciário, ou possuidor.
Correta.
É o que dispõe, expressamente, o art. 674, §1º, do CPC/15: "Os embargos podem ser de terceiro proprietário, inclusive fiduciário, ou possuidor".
	
	
	
 Pergunta 5
0,75 em 0,75 pontos
	
	
	
	Antonio e Henrique celebraram contrato locação de imóvel em Porto Alegre, ficando ajustado o preço de R$ 2.000,00 a ser reajustado anualmente e definido prazo de 12 meses para locação. Passado o prazo, no 15º mês de aluguel tem início a pandemia do Covid-19 e Antonio, o locatário, perdeu o emprego. O aluguel ficou muito caro e, além de estar acima das condições de Antonio, ficou fora do praticado no mercado.
Antonio procura você como advogado para buscar solução acerca da questão. Nessa condição, marque a alternativa correta:
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	 
Para o cabimento da ação revisional, é requisito que tenha se passado 3 (três) anos de vigência do contrato de locação ou do último acordo anteriormente realizado. Todavia, a doutrina e a jurisprudência têm entendido cabível essa ação mesmo antes da ocorrência do prazo de 3 (três) anos, desde que ocorra fato relevante que desequilibre substancialmente o contrato de locação, tornando o aluguel excessivamente oneroso ou insignificante.
Dessa forma, entende-se que o caso apresentado no problema poderia ter seu prazo flexibilizado com base nesse entendimento.
	Respostas:
	Para o cabimento da ação revisional, é requisito que tenha se passado 3 (três) anos de vigência do contrato de locação ou do último acordo anteriormente realizado.  A doutrina e a jurisprudência têm entendimento firmado de que esse prazo não pode ser flexibilizado. Dessa forma, entende-se que para o caso apresentado no problema não é cabível ação revisional.
	
	Para o cabimento da ação revisional, é requisito que tenha se passado 5 (cinco) anos de vigência do contrato de locação ou do último acordo anteriormente realizado. Todavia, a doutrina e a jurisprudência têm entendido cabível essa ação mesmo antes da ocorrência do prazo de 3 (três) anos, desde que ocorra fato relevante que desequilibre substancialmente o contrato de locação, tornando o aluguel excessivamente oneroso ou insignificante.
Dessa forma, entende-se que o caso apresentado no problema poderia ter seu prazo flexibilizado com base nesse entendimento.
	
	 
Para o cabimento da ação revisional, é requisito que tenha se passado 3 (três) anos de vigência do contrato de locação ou do último acordo anteriormente realizado. Todavia, a doutrina e a jurisprudência têm entendido cabível essa ação mesmo antes da ocorrência do prazo de 3 (três) anos, desde que ocorra fato relevante que desequilibre substancialmente o contrato de locação, tornando o aluguel excessivamente oneroso ou insignificante.
Dessa forma, entende-se que o caso apresentado no problema poderia ter seu prazo flexibilizado com base nesse entendimento.
	
	Para o cabimento da ação revisional, é requisito que tenha se passado 5 (cinco) anos de vigência do contrato de locação
Página123