A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
41 pág.
Alimentos e Alimentação

Pré-visualização | Página 1 de 4

•Rico em Fibra (>18%)
•NDT (<70%) 
•Proteico (leguminosas)
>20% de proteína
ex.: Leucena (21%PTN)
Moringa (24%PTN)
Gliricídio (23%PTN)
•Energético
ex.: Cana-de-açúcar
(>70%NDT)
Silagem de milho
(65%NDT)
Silagem de Sorgo
(6̈0%NDT)
VOLUMOSO
•Pobre em Fibra (<18%)
ex.: Todos os cereais
•Energético
ex.: Milho (-fibra/
+amido), (85%NDT)
•Proteico e Energético
(>20%PTN e >70%NDT)
ex.: Soja (até 40%PTN)
Girassol (35%PTN)
CONCENTRADO
Os alimentos volumosos são fontes de
cálcio e de microminerais. Já os
alimentos concentrados tem alta
concentração de nutrientes e de energia.
Podendo ser divididos em proteico e
energético. 
Alimentos e Alimentação
VOLUMOSO X CONCENTRADO
Fibra e energia são
antagônicas;
Cana-de-açúcar possui
fibra e energia
Alimentos e Alimentação
ex.: Farelo de Soja
Caroço de algodão
Casca de algodão
AGRÍCOLA
ex.: Ureia
Farinha de sangue (80%
proteína)
INDUSTRIAIS
ex.: Bagaço de cana
Casca de Soja
Óleo
Urucum
AGROINDUSTRIAIS
CP volumoso de origem vegetal seco
CP vol. de origem vegetal úmido
CP de origem vegetal seco
CP de origem vegetal úmido
CP de origem animal seco
CP de origem animal úmido
Palhadas
Parte aérea da batata 
Farelo de trigo/soja
Melaço
Farinha de camarão/sangue
Soro de leite
COPRODUTOS
Coprodutos são alimentos derivados dos produtos originais,
classificados em agrícola, industrial ou agroindustrial.
Podem ser utilizados na alimentação animal, substituindo
em parte ou em todo os alimentos tradicionais. 
No organismo animal, a água transporta nutrientes,
participa de reações metabólicas catalizadas por enzimas, é
o solvente geral do corpo e faz manutenção homeotérmica. 
A necessidade da água dos
animais é satisfeita através de
três fontes:
• Água digerível livre (ingestão)
• Água presa (alimentos)
• Água metabólica (organismo)
 
Anabolismo: síntese
Catabolismo: quebra
 
Produção de água:
1kg de lipídeos gera 1,190g 
1kg de carboidrato gera 560g 
1kg de proteína gera 45g 
 
Uma vaca consome 150l H2O/dia
tento 500kg de peso vivo.
Consumo de MS é 2,5kg PV 
 
Alimentos e Alimentação
ÁGUA
Qualidade nutricional do alimento;
Variação individual (genética)
Condições fisiológicas
Fatores que afetam a ingestão de água: 
•Quantidade de matéria seca (+MS = +H2O)
•Alimento concentrado: 
1.
2.
3.
 Mantença x Crescimento (+H2O)
(metabolismo basal, homeotermia
e atividade voluntária);
 
Engorda x Gestação (+H2O)
(placenta, fluxo sanguíneo, troca
de nutrientes);
 
Crescimento x Lactação (+H2O)
(1kg de leite consome de 3 a 5L de
água).
Alimentos e Alimentação
ÁGUA
Ingestão média varia da espécie, raça, idade, exigência
nutricional e kg de alimentos. 
Bovino de corte e leite:
5 a 8L por Kg
 
Caprinos e Ovinos:
3 a 5L por Kg
 
Aves:
0,3 a 0,6L por Kg
 
Vacas leiteiras:
3 a 5L por Kg
• Soja - colhida crua em lavoura
- vendida na agropecuária (tostada às 100°C por 1 min.) para quebrar
a sorjina (proteína tóxica para não ruminantes);
- 22 a 23% de óleo (energia) e proteína;
- comercializada como alimento proteico devido ao custo;
- tem 40% de proteína; 19% de Extrato Etéreo; 90% de NDT e 18% de
fibra. 
 
• Milho-grão
- mais conhecido e utilizado, base da alimentação de não-ruminantes;
- sem princípio tóxico; é energético (rico em amido não estrutural);
- película indigestível; não ruminantes rompem com anatomia;
- silagem de milho reidratado;
- tem 7% de proteína; 2,5% de fibra; 80% de NDT e 3% de Extrato
Etéreo. 
 
• Sorgo (mais utilizado após o milho)
- duplo propósito (muita massa e grão; melhorado para forragem);
- específico para forragens (capineira e pastejo);
- tanino (antinutricional) impede a absorção de nutrientes;
- sorgo doce (sem tanino), amargo (com tanino);
- o grão tem 9,5% de proteína e 75% de NDT; silagem tem 8% de
proteína e 62% NDT; forragem tem 9% de proteína e 57% de NDT. 
Alimentos e Alimentação
ALIMENTOS MAIS USADOS NO NORDESTE:
NOBRES
 Parte aérea
• Ureia para ruminantes
- não possui proteína, possui nitrogênio que gera proteína no animal;
- recomendado 3% do peso vivo do animal;
- ex.: animal com 400kg PV, requerimento 12% de Matéria seca/dia;
- recomendado 40g de ureia por 100kg PV do animal.
 
• Farelo de Soja
- produto após a extração do óleo;
- não possui princípio tóxico; 
- fonte de proteína e energia (amido);
- tem 45% de proteína e diminui o NDT (perda do óleo) para 75%.
 
• Mandioca 
1.
- rica em proteína (+20%)
- ácido cianídrico HCN (é influenciado pelo tipo, altamente volátil);
- tem 25% de proteína; 35% de fibra e 60% de NDT;
 2. Raspa da mandioca
- tem 3% de proteína; 8% de fibra e 71% de NDT;
 3. Manipueira
- líquido amarelado resultante da prensa da mandioca;
- tóxico na natureza;
- 1/3 do peso da mandioca;
- tem 6% de MS; 1,5% de proteína; 385mg/L de P e 248mg/L de Ca.
Alimentos e Alimentação
ALIMENTOS MAIS USADOS NO NORDESTE:
COMUNS
• Polpa cítrica
- in natura pode causar problemas;
- in natura tratada com salmora (10%) dura de 10 a 15 dias;
- feito silagem dura em média 35 dias;
- vale a pena usar se a propriedade for até 100km da fábrica;
- tem 14% de matéria seca; 17% de proteína; 8% de fibra (de boa
digestibilidade) e 55% de NDT.
 
• Cevada
- in natura e seca;
- composição varias de acordo com a cerveja;
- tem 26% de matéria seca; 34% de proteína e 58% de NDT.
 
• Soro de leite
- obtido após talhar o leite e separar da parte sólida;
- fácil deterioração devido a acidez;
- tem 5% de matéria seca; 11% de proteína e 8% de minerais. 
Alimentos e Alimentação
ALIMENTOS MAIS USADOS NO NORDESTE:
COMUNS
Importante para ruminantes e não
ruminantes;
O tecido ósseo necessita de minerais;
A deficiência resulta perda de peso,
queda na produção de leite, queda na
taxa de fertilidade.
Alimentos e Alimentação
MINERAIS
Classificados em:
• Macrominerais (alta concentração): P, K, Ca, Mg, Na, Cl S
• Microminerais (baixa concentração): Zn, Fe, Co, Cn, Mn, I, Se, Mo, N
 
As forrageiras são ricas em Ca, mas pobres em P;
Coprodutos de origem animal são ricos em Ca e P;
Excesso de P na dieta se complexa com Ca, diminuindo a alteração de P
e causando urolitíase (cálculo renal);
Sempre ofertar relação de 2:1 ou 3:1 de Ca e P.
 
O consumo dos minerais é determinado pela quantidade de Na presente
na mistura. 
Alimentos e Alimentação
Cálcio e Fósforo
 
- desenvolvimento ósseo
- fase inicial da vida animal é a mais importante;
- falta de cálcio (a vaca tira dos ossos);
- 1kg de leite usa 110g de cálcio;
- a falta ocasiona a baixa na produção de leite, carne e ovos de
casca mole (aves).
 
MINERAIS:
MACROMINERAIS
Alimentos e Alimentação
Magnésio
 
- alto teor em plantas leguminosas;
- pouco teor em forrageiras;
- teor razoável em grãos;
- animais em pastejo devem receber suplementação. 
MINERAIS:
MACROMINERAIS
Potássio
 
- pastagens possuem concentração elevada; 
- cereais têm razoável teor;
- é preciso suplementar em animais confinados.
Alimentos e Alimentação
Sódio e Cloro
 
- sódio nunca é encontrado sozinho na natureza;
- forrageiras pobres em sódio (exceto erva-sal);
- cereais são pobres em sódio e cloro;
- baixa concentração de Na e Cl resulta da falência múltipla dos
órgãos. 
MINERAIS:
MACROMINERAIS
Enxofre
 
- formação de aminoácidos sulfurosos (cistina e cisteína);
- formação de hemoglobina e vitaminas (biotina e tamina);
- suplementação 15:1 de N:S
Alimentos e Alimentação
Ferro
 
- variável nas forrageiras (nelas, existem uma quantidade
suficiente de suprimento - leguminosas);
- os grãos são pobres, possuem de 30 a 60ppm;
- subprodutos de origem animal possuem alto teores de Fe (exceto
leite e derivados). Ex.: farinha de peixe 500ppm, farinha de
sangue 3000pppm. 
MINERAIS:
MICROMINERAIS
Iodo
 
- concentração na tireoide;
- escasso na natureza, cereais são pobres;
- forragens médio teor, suficiente para suprir os ruminantes;
- subprodutos de origem animal são ricos. Ex.: pescados 3000ppb;
farinha de carne 200ppb. 
Alimentos e Alimentação
Selênio
 
- escasso na natureza;
- no metabolismo junta-se a vit. E e ajuda fazendo antioxidação
(metabolizando ác. graxos

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.