A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Micoplasmose aviarias

Pré-visualização | Página 2 de 2

era elevado 
Consequência: utilização de varios métodos de diagnostico e inclusão de monitoramento de MG (AR, ELISA, HI)
Fatores ambientais e variabilidade antigênica 
Diagnostico diferencial 
Perus: NDV, AIV, aMPV, aspergilose, pasteurelose, clamidiose, cristosporidium, deficiência por vit A
Viroses: AIV, NDV, IBV, ILTV
Doenças bacterianas: cólera aviaria, coriza aviaria 
Controle 
Programa de controle de Mycoplasma em aves (Brasil)
1 medida de controle 
· Erradicao de MG em planteis de reprodutoras: livres (linhas puras, bisavos, avos, matrizes, aves SPF e incubatorios) 
· Controle permanentes (a cada 3 meses) 
Monitoramento nas reprodutoras inicia nas aves de 12 semanas, e depois a cada 3 meses quando atingirem 5% de postura ai vao ser testada metade do que foi testado em 12 semanas e vai ser assim ate o descarte do lote. 
O monitoramento e feito um teste de triagem, soroaglutinacao, e se reagente são retestada pelo teste de HI ou ELISA, se reagente se deve fazer o isolamento e/ou PCR
Diagnostico positivo 
Todos os tipos Avos, bisavos e linhas puras: todo o núcleo positivo deve ser feito sacrifício abate de todos os ovos 
Matrizes perus todos os tipos – idem para avos 
Matrizes galinha 
+ para M. gallisepticum – idem avos 
+ para M. synoviae – sob vigilância e acompanhamento * em alguns casos, pode ser idem aves, porem não obrigatório 
Programa de controle de Mycoplasma 
Tipos de certificação 
Certificado de livre: comercio de aves ou ovos férteis de todos os núcleos
Núcleo sob vigilância e acompanhamento: proibição de comercio internacional de aves ou ovos férteis ao referido núcleo 
*possível apenas para MS em matrizes de galinhas
Aves de corte e postura: controle eventual 
· Adquirir aves de reposição livres de micoplasma 
· Adotar medidas rígidas de biossegurança
· Tratamento com antimicrobianos diante de surtos 
· Obedecer o período de carência para elimicao de resíduos, antes de comercializar carne e ovos 
· Vacinação em postura 
Lote de poedeiras – combinação de antibiótico + vacinação (vacina inativada) + aspersão de desinfetantes
Vacinação 
Vacinação: vacinas inativadas 
	 Vacinas atenuadas
Combinação: vacinação inativadas + tratamentos 
Somente em estabelecimentos de controle eventual 
· Imunização – 2 semanas antes da provável exposição a partir de 9 semanas
O controle nas aves reprodutoras e importante 
Não vai gastar com vacinação lote de corte, sendo melhor aquelas aves de vida longa 
MS Vacinas vivas atunuadas utilizadas em poedeiras, melhora a qualidade das cascas dos ovos e diminui sinais repiratorios 
Tratamento 
– uso continuo pode selecionar cepas
· Oxitetraciclina 
· Espiramicina 
· Tilosina 
· Espectinomicina
· Tiamulina 
· Fluorquinolonas
Reduz a colonização de micoplasma nos tecidos das aves 
Efeitos benéfico em sinais clínicos e em perdas na produção 
Aspersão diária de desinfetantes (glutaraldeido/amônia quaternária) 
Procedimentos adicionais 
Adotar medidas rígidas de profilaxia e biosseguridade
· Rever os critérios de interpretação e uso dos testes diagnósticos no monitoramento 
· Reforçar as exigências sanitárias na importação de galinhas, perus, ovos e outros
· Quarentenas nas granjas: aves/ovos importados, monitoramento eficaz, ate a postura