A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
32 pág.
Critérios de identificação, mensuração e evidenciação na contabilidade rural

Pré-visualização | Página 4 de 6

os benefícios econômicos futuros 
que se esperam daqueles ativos. Essas transformações são tão importantes, 
que devem, obrigatoriamente, ser levadas em consideração no momento da 
valoração e da mensuração dos estoques, seja pelo controle dos custos de 
cada etapa do processo produtivo, pelo valor justo da produção no momento 
da colheita ou da terminação dos animais, por exemplo.
9Critérios de identificação, mensuração e evidenciação na contabilidade rural
O Quadro 2, a seguir, apresenta alguns exemplos de produtos agrícolas e 
sua forma de contabilização como ativos biológicos (NAKAO, 2017).
Tipo de ativo Tratamento contábil recomendado
Ativo biológico consumível como 
produto agrícola, havendo sua 
extração total: raiz de mandioca, 
soja, trigo, carne in natura.
Nesses casos, enquanto o ativo biológico 
está em fase de crescimento e/ou 
maturação, os gastos que a empresa for 
incorrendo devem ser lançados em uma 
conta do tipo “ativo biológico”, sendo que, 
no momento da colheita, o saldo dessa 
conta deve ser transferido para outra, 
denominada, por exemplo, “produto 
agrícola”, momento em que essa conta 
será avaliada pelo valor justo líquido das 
despesas de vendas. A diferença entre 
o valor contábil de custo e o valor justo 
nesse momento é registrada no resultado 
do exercício. Esse é o tratamento atual 
proposto pelas IFRS, ou seja, a mensuração 
do produto agrícola separada do ativo 
biológico ou da planta portadora.
Produto agrícola extraído de 
um ativo biológico: leite, lã.
Ao contrário do caso anterior, nesse 
cenário, o ativo biológico não é totalmente 
extraído, mas fica na empresa para a 
produção de novos ciclos. Então, os gastos 
para a formação do ativo biológico podem 
ser registrados em uma conta do ativo não 
circulante, denominada, por exemplo, “ativo 
biológico”. Depois de formados os gastos 
comuns que se repetem periodicamente, 
identificados como necessários para 
a formação do produto agrícola em 
determinado período, eles podem ser 
registrados em subcontas de transição 
e de controle do ajuste a valor justo. 
Quadro 2. Tipos de ativo e respectivo tratamento contábil
(Continua)
Critérios de identificação, mensuração e evidenciação na contabilidade rural10
Para se aprofundar nessa temática, assista ao workshop do 20º Congresso Brasileiro 
de Contabilidade, que discutiu questões relacionadas à aplicação do valor justo na 
mensuração de ativos biológicos e produtos agrícolas em empresas do agronegócio, 
disponível no link a seguir.
https://qrgo.page.link/T4qT7
Fonte: Adaptado de Nakao (2017).
Tipo de ativo Tratamento contábil recomendado
Produto agrícola extraído de 
planta portadora: uva, café, 
laranja, maçãs, erva-mate. 
A contabilização assemelha-se ao caso 
anterior, com exceção da mensuração 
do ativo biológico. No caso anterior, a 
cada fechamento das demonstrações, 
o ativo biológico é atualizado a valor 
justo líquido das despesas de vendas, ao 
passo que, no caso da planta portadora, 
o ativo biológico permanece com o valor 
de custo no imobilizado, sendo que o 
produto agrícola em formação poderá 
ser registrado a valor justo. Para ilustrar, o 
autor menciona o exemplo de um laranjal, 
classificado como planta portadora, que 
ficará reconhecido no ativo imobilizado. 
As laranjas, antes de estarem prontas para 
colher, podem ter seus gastos registrados 
em contas denominadas “Produção e 
Crescimento”. No momento da colheita, 
o saldo de “Produção em Crescimento”, 
somado à variação a valor justo, pode 
ser registrado na conta de “Produtos 
Agrícolas”. Em seguida, o saldo dessa 
conta deve passar a representar a conta 
de “Estoque de Laranja”, a qual receberá 
custos posteriores para deixar as laranjas 
em condições de serem vendidas in natura.
Quadro 2. Tipos de ativo e respectivo tratamento contábil
(Continuação)
11Critérios de identificação, mensuração e evidenciação na contabilidade rural
Com o objetivo de ilustrar uma situação prática, será apresentado o caso de uma 
propriedade onde a atividade principal é a produção e venda de leite in natura.
Em 01/01/X1, a Rural Milk adquiriu animais para produção no valor de R$ 5.000,00, à 
vista. No final do primeiro mês, em 31/01/X1, a propriedade havia contabilizado gastos 
com alimentação e medicamentos para o rebanho no valor de R$ 500,00, à vista. 
Nessa data, o valor justo líquido identificado dos animais era de R$ 6.100,00. Em 01/04/
X1, os animais iniciaram seu ciclo produtivo. Nesse mês, os gastos com alimentação 
e medicamentos foram de R$ 400,00, pagos à vista. Em 05/04/X1, a propriedade 
iniciou o trabalho de ordenha dos animais, efetuando um gasto de R$ 100,00 para 
essa tarefa. Nesse dia, verificou-se que o valor justo líquido médio do leite ordenhado 
era de R$ 650,00. No dia seguinte, após a ordenha, o leite passou pelo processo de 
resfriamento, que gerou um gasto de R$ 50,00. O proprietário comercializou o leite 
por R$ 800,00, à vista. Os demonstrativos financeiros da propriedade reportaram as 
seguintes informações:
Reconhecimento inicial
D – Ativo biológico em formação (ativo não circulante): R$ 5.500,00.
C – Caixa: R$ 5.500,00.
D – Variação a valor justo do ativo biológico (BP) (referente à diferença entre o ativo 
biológico em formação e o valor justo dos animais [6.100 – 5.500]): R$ 600,00. 
C - Variação a valor justo do ativo biológico (DRE): R$ 600,00.
01/04/X1
D – Ativo biológico: R$ 5.500,00.
C – Ativo biológico em formação: R$ 5.500,00.
D – Produção em crescimento (referente a alimentação e medicamentos): R$ 400,00.
C – Caixa: R$ 400,00.
Nesse momento, o balanço patrimonial reflete as seguintes informações.
Ativo Passivo + PL
Ativo circulante
Caixa R$ 4.100,00
Produto agrícola em 
formação* R$ 400,00
(Continua)
Critérios de identificação, mensuração e evidenciação na contabilidade rural12
Ativo Passivo + PL
Ativo não circulante
Ativo biológico R$ 6.100,00
Custo do ativo biológico R$ 5.500,00
Variação a valor justo 
do ativo biológico R$ 600,00
Capital social R$ 10.000,00
Resultado R$ 600,00
Total do ativo não 
circulante R$ 6.100
Total R$ 10.600 Total R$ 10.600,00
*Conta transitória.
05/04/X1 – Ordenha do leite
D – Gasto com a ordenha: R$ 100,00.
C – Caixa: R$ 100,00.
D – Produção em crescimento: R$ 100,00.
C – Gastos com a ordenha: R$ 100,00.
D – Produto agrícola: R$ 150,00.
C – Produção em crescimento: R$ 150,00.
D - Variação a valor justo do ativo biológico (BP): R$ 150,00.
C - Variação a valor justo do ativo biológico (DRE): R$ 150,00.
Nesse momento, os saldos do BP e da DRE são os seguintes.
Ativo Passivo + PL
Ativo circulante
Caixa R$ 4.000,00
Produto agrícola R$ 650,00
Custo do produto agrícola R$ 500,00
Variação a valor justo do
produto agrícola R$ 150,00
Ativo não circulante
Ativo biológico R$ 6.100,00
Custo do ativo biológico R$ 5.500,00
Variação a valor justo do AB R$ 600,00
Capital social R$ 10.000,00
Resultado R$ 750,00
Total R$ 10.750,00 Total R$ 10.600,00
(Continuação)
13Critérios de identificação, mensuração e evidenciação na contabilidade rural
DRE simplificada:
Receita de venda: 0,00 (não houve vendas no período).
(−) Custo da produção vendida: 0,00.
(+/−) Variação a valor justo: R$ 750,00.
(=) Lucro bruto: R$ 750,00.
06/04/X1 – Venda do leite
D – Estoque de leite: R$ 650,00.
C - Produto agrícola: R$ 500,00.
C – Variação a valor justo do produto agrícola: R$ 150,00.
D – Estoque de leite (resfriamento): R$ 50,00.
C – Caixa: R$ 50,00.
D – Custo do produto vendido: R$ 700,00.
C – Estoque de leite: R$ 700,00.
D – Caixa: R$ 800,00.
C – Receita de venda: R$ 800,00.
Assim, as demonstrações financeiras BP e DRE são as seguintes.
Ativo Passivo + PL
Ativo circulante
Caixa R$ 4.750,00
Ativo não circulante
Ativo biológico

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.