A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
periograma

Pré-visualização | Página 1 de 1

Classificação atual das condições e doenças periodontais 
Gengiva saudável- parâmetros visuais
1. Cor rósea coral
2. Consistência firme (na clinica vamos jogar ar na gengiva, se a gengiva apresentar mobilidade, flacidez, retração é um sinal de que a gengiva não está saudável)
3. Contorno parabólico de margem
4. Papilas firmes
5. Ausência de sangramento 
6. Papila preenche ameia dentária
7. Margem afilada (lâmina de faca)
8. Pontilhado (casca de laranja) – nem sempre vamos conseguir ver, para melhor visualização temos que secar e jogar luz, a destruição das fibras gengivais, típico da gengivite, faz com que essa característica esteja ausente durante a gengivite.
A relação saúde x doença é terminada pela relação entre o potencial patogênico do biofilme e a qualidade da resposta imunológica do hospedeiro.
A presença de lps gera a cascata inflamatória que é a causadora das doenças periodontais.
Gengivite x periodontite
A placa é um elemento essencial para a ocorrência da doença periodontal, mas não é um agente exclusivo.
Avaliação periodontal
A anamnese e o exame periodontal são essenciais para determinar como está a condição periodontal que o paciente apresenta para posteriormente ser classificada deve ser:
1. Boca toda (exceto 3° molares)
2. 6 faces por dente (as vezes a doença só se manifesta em uma face do dente)
3. Exame radiográfico boca toda
Doença sistêmicas como diabetes, HIV afetam diretamente o periodonto, pois alteram a resposta imunológica 
Periograma
1. mobilidade dentária
É feita com o cabo de dois instrumentos e faço força para ver se tem mobilidade
Grau I: quando tem até 1 mm de mobilidade 
Grau II: moderamente maior que 1mm sem intrusão (movimento do dente sem sentido horizontal menor que 1mm)
Grau III: mobilidade grave vestíbulo-lingual e/ou mesiodistal combinada com deslocamento vertical, ou seja, intrusão movimento do dente em sentido horizontal maior que 1 mm)
2. Avaliação da altura da mucosa queratinizada (MC
Manobra de bowers: com uma sonda exploradora ou milimetrada pressiono a gengiva e trago em direção coronal, aonde for mucosa inserida (queratinizada) ficar isquêmica, assim consigo mensurar.
Solução de shiller: é uma tintura a base de iodo que a mucosa alveolar absorve diferenciando da mucosa queratinizada, pode haver falso positivo, além de algumas pessoas apresentarem alergia a iodo, sendo assim não é muito usado.
Onde já estiver pintado de preto no Periograma não se avalia, pois não é possível fazer essa mensuração, exemplo: nos dentes anteriores superiores isso não é possível pois toda a mucosa é queratinizada.
Hiperplasia x recessão 
Hiperplasia: Também é chamada de bolsa falsa é uma medida obtida da junção cemento esmalte até a margem gengival (gengiva sobre a superfície
 da coroa), usamos a sonda milimetrada para sentir o degrau entre a coroa e a raiz (junção cemento esmalte) 
No Periograma iremos marcar a hiperplasia gengival com o sinal de – (menos)
Recessão gengival: é a medida da junção cemento-esmalte até a margem gengival (raiz exposta), a margem gengival estará abaixo da junção cemento-esmalte (apicalmente)
No Periograma iremos marcar a recessão com o sinal de + (mais)
3. Profundidade de sondagem (OS)
· Medida da margem gengival até o fundo do sulco gengival clinico / bolsa periodontal.
· Sulco é em condições de saúde até 3mm, quando tem condição patológica onde o epitélio migra-se apicalmente chamamos de bolsa
· Tem casos onde a medida da hiperplasia será a mesma da profundidade de sondagem, pois o que muda é a estrutura usada como parâmetro.
· As fibras da inserção conjuntiva fornecem uma resistência e a sonda deve parar, em situações de saúde.
4. Sangramento a sondagem 
Irei sondar em casa fase, independente se o sangramento for ausente ou presente 
0. Se o sangramento for ausente
1. Se for presente
5. Supuração 
Será considerado o dente e não as faces, como no sangramento
0. Ausente
1. Presente
6. Lesão de furca
Grau I: perda horizontal não excedendo 1/3 da largura do dente.
Grau II: perda horizontal exceda 1/3 da largura do dente, mas não toda a extensão.
Grau II: destruição horizontal “lado a lado”, a sonda narbes atravessa a região de furca de vestibular para lingual
Grau IV: quando consigo visualizar a furca clinicamente 
7. Perda de inserção ou nível clínico de inserção 
É a distância entre a base da bolsa periodontal/sulco gengival até a junção cemento-esmalte, sendo NCI= OS ou NCI = a NCI= PS+ RG ou NCI= PS-HG
É a diferença entre o valor da hiperplasia ou recessão e da profundidade de sondagem 
Exemplo: hiperplasia gengival do dente na M 16 deu – 6 e a profundidade de sondagem foi 9 a perda de inserção será 3 mm.
Se na distal deu + 3 de recessão e a profundidade de sondagem foi 2 = a perda de inserção será 5 mm