A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Inflamação crônica

Pré-visualização | Página 1 de 1

Inflamação crônica. 
Duração. 
Permanece por mais tempo, pode durar 
por dias, semanas, meses e até anos. 
O local da inflamação vai ter sinais de 
agressão e distribuição, e por ultimo vai ter 
uma reparação. 
 Sinais de agressão – tecido estará 
lesionado, terá uma perda de 
tecido, o tecido não estará com o 
seu aspecto normal. 
 Sinais de reparação – pode ser 
macro ou histopatológicamente 
essa reparação, com presença de 
fibroblastos. 
Na inflamação crônica terá células do tipo 
linfócitos, plasmócitos e macrófagos, vai 
ter proliferação de fibroblastos porque eles 
vão tentar regenerar a lesão, 
neovascularização quer dizer que terá 
uma formação de novos vasos para as 
células conseguirem chegar ate a lesão e 
fecha-la, e também terá fibrose que é a 
cicatrização da lesão. 
Estímulos. 
Terá uma inflamação aguda que não foi 
resolvidas, repetições de inflamação 
aguda são quando o corpo estava dando 
o fim para aquela lesão e volta a ter a 
inflamação aguda no local, a fase aguda 
inaparente, no caso terá baixa virulência, 
ou seja, o que causou a lesão não é tão 
intenso e o corpo vai reagir de forma 
branda. 
Características biológicas. 
Auxiliam para que a inflamação se torne 
crônica – persistência e resistência (o 
organismo não consegue resolver), 
isolamento (microrganismo vai criar uma 
capsula ao seu redor), indestrutibilidade 
(quando um corpo estranho entra em 
contrato com o corpo, e o corpo reage 
criando uma inflamação), autoimunidade 
(quando o corpo o agride mesmo). 
Tipos de exsudato. 
É quando tem alta densidade e grande 
quantidade de proteína, pode ou não ter 
microrganismo envolvido. 
Tem exsudato do tipo serosa, fibrosa, 
purulenta e supurativa, ulcerativa e 
necrótica, hepatohemorrágica, catarral, 
linfatório e/ou plasmócitica, proliferativa e 
granulomatosa. 
Inflamação serosa. 
Também exsudato seroso, é um liquido 
claro (é o soro do sangue), presente em 
queimaduras e infecções virais, recente ou 
menos graves, substituído por exsudato 
fibrinoso e depois purulento. 
Inflamação fibrinosa. 
É também fibrinoso, fibrinogênio (é um tipo 
de proteína presente no sangue, quando 
ele entra em contato com o oxigênio ele 
se transforma em fibrina que não vai ter 
uma hemorragia)  fibrinoso  em 
seguida têm neutrófilos  depois tem uma 
situação com pús/purulenta. 
Inflamação purulenta e supurativa. 
Exsudato purulento, contem pús na 
inflamação, com a citologia será possível 
ver neutrófilos, restos celulares, material 
liquefeito, é liquido ou pastoso de cor 
branca/amarelada, abcesso ( é 
circunscrito, tem cápsula ao seu redor e 
sabe onde começa a termina, é o liquido 
ou pastoso), flegmao (é entre os tecidos, é 
um tipo de exsudato que fica entre os 
tecidos, não se sabe dizer onde começa e 
onde termina), empiema (tem 
liquido/pastoso em órgão ocos). 
Inflamação ulcerativa ou necrótica. 
Ulceras inflamatórias presentes, pode ser 
na superfície ou logo em baixo que tem 
uma crosta fibrinoleucocitária, bacteriano 
ou viral está envolvido, geralmente é nas 
mucosas oral, gástrica, intestinal, 
geniturinário e pele. 
Inflamação hemorrágica. 
É o exsudato hemorrágico, tem perda de 
sangue/hemácias, é decorrente de uma 
alteração severa de permeabilidade 
vascular, está ligado a um estimulo severo, 
um exemplo é parvovirose. 
Inflamação catarral. 
 Também é exsudato mucoide ou mucoso, 
tem essa inflamação quando se está 
resfriado, quando isso ocorre tem 
acometimento das células caliciformes ou 
de glândulas mucosas no sistema 
respiratorio ou digestório, inflamação 
catarral e logo em seguida a purulenta 
por infecções virais, produtos químicos, 
poeira/alinergicos. 
Inflamação linfocítica. 
Também é plasmócitica, tem linfócitos ou 
plasmócitos envolvidos, é característico de 
inflamação crônica, tem a presença de 
linfócitos e plasmócitos devido ao estimulo 
antigênico local, exemplos como 
estomatite linfoplasmocitária, hepatite 
tóxica, nefrite crônica (leptospira sp.). 
Inflamação proliferativa. 
Prolifera/tecido que cresce de forma 
exuberante, tecido conjuntivo fibroso e 
novos vasos, é crônica e tenta ter ou haver 
uma reparação, a lesão vai tentar fazer 
um preenchimento para fechar a lesão 
com isso vai ter fibroblastos e 
neovascularização. 
Inflamação granulosa. 
Vai formar um aspecto granular, com a 
histologia aparece macrófagos ativados 
no foco da lesão, células epitelóides, 
linfócitos/plasmócitos e neutrófilos, os 
fibroblastos só estão presentes em lesões 
antigas.