Buscar

medicação sistêmica na endodontia

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 6 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 6, do total de 6 páginas

Prévia do material em texto

-o tratamento endodôntico realizado por meio de 
técnicas convencionais tem altas taxas de sucesso, pela 
incorporação dos avanços tecnológicos já 
consolidados, aliada a protocolo farmacológico 
coadjuvante e ao grau de experiência profissional 
- em muitas ocasiões, faz-se necessário o uso de 
fármacos de ação sistêmica, para contornar problemas 
que podem surgir na seqüência do tratamento, 
representados por reação inflamatória, dor e infecção, 
proporcionando maior conforto e segurança ao 
paciente. 
 
-o diagnostico é a base para um plano de tratamento 
adequado com a participação ou não da medicação 
sistêmica 
-as alterações sistêmicas que necessitam de medicação 
sistêmica são a pulpite reversível e irreversível, 
periodontite apical aguda e abscesso perirradicular 
crônico 
-pode também ser necessário o uso de medicação em 
casos de tratamento demorado, onde é indicada a 
medicação para dor 
-para o correto uso de medicação é necessário primeiro 
a detecção do tipo de alteração para poder escolher a 
classe medicamentosa mais correta 
-Analgésicos: 
-Os analgésicos utilizados em endodontia servem 
para diminuir o desconforto da dor gerada pelas 
alterações pulpares e perirradiculares agudas e 
desconforto pós-operatório. 
-até mesmo em casos e pulpite irreversível devido 
as fibras deltas C e A que causam dor 
-os mais utilizados na odontologia são o 
paracetamol e a dipirona 
-para pacientes idosos e crianças são indicados 
paracetamol e dipirona, sendo em solução em 
“gotas”. 
-para as crianças pode-se recorrer aos 
corticosteróides em processos mais invasivos 
-em gestantes, pode-se empregar o paracetamol ou 
a dipirona 
-os mesmos podem ser prescritos em casos de 
limitação de tempo, inabilidade do operador, dor 
perirradicular ou problemas anatômicos 
 
 
 
 
 
-em casos de periodontites apical aguda após a 
remoção do conteúdo tóxico do canal prescreve-se 
analgésico por 24 horas cessando o quadro que 
acompanha a fase aguda 
-em pacientes que apresentam dor no pós-
operatorio o analgésico é indicado em casos de 
dor leve 
-se apresentar dor severa e persistente o 
tratamento irá depender de: obturação adequada 
prescreve analgésico e anti-inflamatorio 
-em casos de abscesso perirradicular agudo 
recomenda-se o uso de analgésicos e anti-
Medicação Sistêmica em Endodontia 
Princípios gerais do tratamento da dor: 
-identificar a origem, intensidade 
-iniciar com o analgésico menos potente 
-o ideal é não fazer uso de nenhum medicamento e se fizer que seja 
com cautela, monitorando os efeitos adversos 
inflamatórios em todas as fases (inicial, em 
evolução e evoluído) 
-Classificação dos analgésicos: 
-os mesmos podem ser classificados em 
opioides/narcóticos e não opioides/ não 
narcóticos: 
-Opioides: 
Codeína (Codein) 60 a 80 mg/dia 
Cloridrato de 
tramadol 
(comprimido sylador) 
50mg 
Cápsulas (tramal) 50mg 
 
-Não opioides: 
-são os mais empregados para alivio da dor 
Paracetamol (tylenol) Dose Max. De 
4.000mg/dia 
Dipirona (Novalgina) Dose Max. De 
4.000mg/dia 
 
-o paracetamol (tylenol): 
-é potencialmente hematotóxico 
-não pode ser usado concomitantemente com a 
prilocaina, devido ao risco de 
metahemoglobinemia 
-contraindicado em caso de alergia ao 
medicamento ou de alergia aos sulfitos 
 
 
 
 
 
 
-dipirona (Novalgina): 
-uso de no máximo 7 dias devido ao risco de 
toxidade a medula óssea 
-indicado para dor já instalada 
 
 
 
 
 
 
-associações de dipirona e paracetamol: 
Paracetamol+Cafeí
na 
Dorex comprimido 
(500mg+25mg) 
Paracetamol+carisoprod
ol+cafeína 
Tandrilax comprimido 
(50mg+125mg+30mg) 
Paracetamol+cafeí
na 
Sonridor Caf 
comprimido 
(500mg+65mg) 
Dipirona+cafeína+orfenadr
ina 
Dorflex comprimido 
(300mg+50mg+35mg) 
 
Paracetamol+Code
ína 
Tylex comprimido 
(500mg+7,5mg ou 
30mg) 
Dipirona+codeína 
Codaten comprimido 
(50mg+50mg) 
 
-Opções Analgésicas não Convencionais: 
-são usados em dores mais intensas, ou quando o 
paciente não responde bem aos analgésicos 
convencionais 
-vale salientar, que enquanto mais potentes 
maiores serão os efeitos adversos 
Clonixinato de Lisina 
(Dolamin) 
Comprimido 125mg 
Cetorolaco de 
tometamina 
(Toragesic) 
Comprimido 10mg 
sublingual 
Maleato de flupirtina 
(katadolon) 
Cápsula 100mg 
 
-Anti-inflamatórios: 
Apresentações: 
Comprimidos de 500 e 750mg 
Solução (gotas): 100mg/ml ou 200mg/ml 
OBS!! Deve-se usar 1 gota por kg em pessoas de até no máximo 
30kg 
Seu intervalo de uso varia de 4 a 6 horas 
Apresentações: 
Comprimido de 500mg 
Solução gotas 500mg/ml 
Solução injetável por via endovenosa ou intramuscular (2 ml) 
Seu intervalo de uso varia de 4 a 6 horas 
-é uma substancia ou medicamento que combate a 
inflamação nos tecidos 
-os antiinflamatórios estão indicados como 
medicação pré e pós-operatória nas intervenções 
odontológicas quando há expectativa de resposta 
inflamatória de maior intensidade, com o objetivo 
de se prevenir a dor e o edema excessivos, e 
também nos casos de quadro inflamatório agudo 
já instalado. 
-Em casos de pacientes que se apresentam com 
sinais e/ou sintomas prévios torna-se interessante 
o uso de anti-inflamatórios pré-operatório com 
intuito de minimizar o desconforto pós-operatório, 
bem como facilitar o procedimento anestésico 
-dentre os processos onde são usados está a 
pulpite irreversível, periodontite apical aguda e 
abscesso perirradicular 
-usado também em casos de limitação de tempo, 
inabilidade do operador, dor perirradicular ou 
problemas anatômicos 
-se tempo de uso varia de 3 a 5 dias 
-Classificação dos antiinflamatórios: 
-podem ser esteroidais, hormonais, 
corticosteróides ou corticóides 
-ou não esteroidais ou não hormonais 
-sendo os corticóides usados apenas em cirurgias 
pré e pós cirurgia oral, reações alérgicas, 
anafilaxia e edema de glote 
 esteroidais Não 
esteroidais 
5mg-20mg prednisona ibuprofeno 
Decadron 
4mg 
dexametasona nimesulida 
Celestone 
2mg 
betametasona meloxicam 
 diclofenaco 
 
 
-Mecanismo de ação dos antiinflamatórios: 
Antiinflamatórios não Age na cicloxigenase 
esteroidais Cox 
Antiinflamatórios 
esteroidais 
(corticóides) 
Age na Fosfolipase A2 
 
-a primeira escolha de antiinflamatório na 
odontologia é o ibuprofeno, nimesulida e o 
meloxicam 
-o diclofenaco encontra-se como segunda escolha 
atualmente pelo risco de trazer distúrbios 
gastrointestinais e apresentar um pouco de 
hepatotoxidade 
-Apresentações: 
Ibuprofeno 
Comprimidos (600mg) 
Gotas (100mg/ml) 
Alivium, 
ibufran, advil 
1 comp. 
3 a 4 
vezes 
por dia 
Nimesulida 
Comprimidos (100mg) 
Scaflam 1 
comp. -
12/12 h 
Meloxicam 
Comprimidos (7,5 e 
15mg) 
Movatec 7,5 a 
15 
mg/dia 
Diclofenaco 
Capsulas/comprimidos 
(50mg) 
Cataflam, 
voltaren 
1; 
comp. -
8/8h 
 
-Antibióticos: 
-é qualquer remédio capaz de combater uma 
infecção causada por microrganismos que causam 
infecções a outros organismos 
-os antibióticos são usados apenas em casos de: 
 
 
 
 
 
 
 
Abscesso perirradicular agudo com ocorrência de tumefação 
difusa e/ou envolvimento sistêmico (Dose de ataque + doses de 
manutenção) Abscessos Fênix (flare-ups) 
 Avulsão dentária Sintomatologia e exsudação persistente 
 Uso profilático em paciente de risco (Dose profilática 1 hora 
antes do procedimento): 
- Pacientes imunodeprimidos e diabéticos descompensados 
 - Endocardite Bacteriana 
 - Pacientes com próteses ortopédicas 
-o antibiótico ideal é aquele que apresenta uma 
maior toxicidade seletiva 
-sendo o de primeira escolha a penicilina 
(amoxicilina), que age na parede celular da 
bactéria 
-tendo poucas contra-indicações, pois age na 
parede celular que é uma estrutura que os seres 
humanos não têm 
-os antibióticos auxiliam nas defesas dos 
organismos, ajudando a eliminara causa da 
infecção bucal a partir do controle ou na 
eliminação de microrganismos 
-deve-se optar por antibióticos de amplo espectro, 
pois as infecções endodonticas são mistas 
-antibioticos e suas recomendações: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
-Principais antibióticos administrados no 
tratamento endodôntico: 
Amoxicilina Capsulas/comp
.-500 e 875mg 
Suspensão-
250mg/5ml 
500mg 
de 8/8 
h ou 
875mg 
de 
12/12h 
durant
e 7 dias 
Eritromicina Comp.-500mg 
Suspensão-
250mg/5ml 
6/6 h 
Azitromicina Comp.-500mg Uma 
vez ao 
dia, 
durante 
3 a 5 
dias 
Clindamicina 
 
Capsulas -
300mg 
1 
comp. 
De 6/6h 
Amox.+metronidaz
ol 
Comp.-250mg 
Suspensão-
40mg/ml 
8/8h 
Amox.+ acido 
clavulânico 
Capsula/comp.-
500mg+125mg 
Suspensão-250, 
400 e 500/5ml 
8/8h 
 
-sabe-se que a recomendação para o período de 
tratamento com antibióticos são no máximo de 7 
dias 
-possui indicações em casos de tumefação difusa 
e/ou envolvimento sistêmico (febre, mal estar, 
linfadenite regional ou trismo) 
-obs!!! Quando a tumefação for localizada e sem envolvimento sistêmico, 
não a necessidade do uso de antibióticos 
-quando recomendado o uso de antibióticos, 
começa-se pela dose de ataque, pois a infecção já 
está instalada 
-os antibióticos também são indicados em caso de 
avulsão dentaria, pois após a reimplantação do 
elemento dentário, o medicamento evita a 
proliferação de microrganismos, favorecendo o 
prognostico 
-possui indicação em casos de sintomatologia e 
exsudação persistente, onde procedimentos de 
instrumentação e a medicação intracanal não são 
suficientes 
-usado como medicamento profilático em 
pacientes de risco: 
Pacientes imunodeprimidos e diabéticos 
descompensados 
Pacientes com risco de desenvolver 
endocardite bacteriana após uma bacteriemia 
Preferência anatômica de bactérias pela perna 
Pacientes que fazem uso de quimioterapia 
Pacientes com transp. de medula óssea 
-Antibiótico de escolha para doses de manutenção: Amoxicilina 
500mg 8/8 horas 
 -Pacientes alérgicos a penicilina – Clindamicina 300mg 6/6 
horas 
 -Dose de Ataque inicial: 1g amoxicilina 
 -Pacientes alérgicos a Penicilina – Clindamicina 600mg 
 -Dose profilática: 2g Amoxicilina 
-Pacientes alérgicos a Penicilina – Clindamicina 600mg 
Pacientes com contagem de leucócitos inferior 
a 2.500 
 
-quando o uso é profilático deve-se fazer uso do 
medicamento uma hora antes do procedimento 
-os antibióticos são usados nos casos de injeção 
acidental do hipoclorito de sódio nos tecidos 
perirradiculares 
-A solução de hipoclorito de sódio pode ser 
forçada além do forame por meio de injeção, 
durante a instrumentação dos canais radiculares. 
- Esse tipo de acidente é caracterizado por dor 
intensa na região, logo após a injeção, seguida de 
inchaço imediato na área envolvida e hemorragia 
profusa pela via endodôntica, exigindo medidas de 
pronto atendimento por parte do profissional 
 
 
 
 
 
 
 
 
-os antibióticos devem ser prescritos em receita 
comum em duas vias ou receita especial, com 
validade em todo território nacional por 10 dias a 
partir da data de emissão 
-poderá conter prescrição de outras classes de 
medicamentos na mesma receita, desde que não 
sejam sujeitos a controle especial 
-Ansiolíticos: 
-são drogas usadas par diminuir a ansiedade e a 
tensão. 
-Em pequenas doses recomendadas não causam 
danos físicos ou mentais 
-São empregados, de preferência, os 
tranqüilizantes menores do grupo das 
Benzodiazepínicos, que são indicados no caso de 
pacientes rebeldes ou temerosos ao tratamento ou 
na sedação pré-anestésica e como auxiliar no 
controle da dor. 
-na odontologia a técnica onde é empregado esse 
tipo de medicamento é conhecida com técnica de 
sedação mínima 
-pois possui: 
 
 
 
 
 
 
 
 
-Mecanismo de ação: 
-eles atuam no GABA (ácido gama-
aminobutírico) aumentando o seu poder, que é o 
principal neurotransmissor do SNC 
-regula a excitabilidade neural 
-diminui a propagação dos impulsos excitatórios 
-regulação do tônus muscular, relaxando a 
musculatura facial do paciente 
-outros efeitos desejáveis: 
 
 
 
 
 
 
-deve-se irrigar abundantemente com soro a via endodôntica; 
- Administrar 1 g de amoxicilina (ou Clindamicina 300mg aos 
alérgicos a penicilina) em dose única, para prevenir infecção 
secundária; 
-Prescrever um corticoide para controle de edema e 
hiperalgesia; 
-Fazer compressas de gelo com intervalos de 15 min. Nas 
primeiras 24 horas 
- Prescrever analgésico – Dipirona 1g, para controle da dor 
 
-facilidade de administração 
-disponibilidade 
-segurança 
-baixo custo 
-monitoramento mínimo- doses adequadas 
-os benzodiazepínicos são as drogas de primeira escolha para a 
sedação mínima por sua eficácia e segurança clinica 
-mantém intactos os seus reflexos protetores 
-aumento do limiar da dor 
-diminuiçao do metabolismo basal (potencializado o efeito do 
anestesico local) 
-redução do fluxo salivar e do reflexo do vômito 
-relaxamento da musculatura esquelética 
-inalteração da pressão arterial e freqüência cardíaca 
-manutenção da glicemia em nível aceitáveis nos diabéticos 
 
-os ansiolíticos mais usados são o Diazepam e o 
Midazolam 
-a prescrição dos ansiolíticos é feita em receitas 
comuns que devem vir acompanhadas da 
notificação de receita do tipo B, por serem drogas 
sujeitas a controle especial 
-tais receitas são obtidas nos escritórios da 
secretaria de vigilância sanitária de cada estado 
-medicamentos utilizados para o controle de 
Ansiedade na endodontia: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Nome 
Genérico 
 
Inicio 
de 
ação 
Min 
 
 
 
 
 
 
Adultos 
 
 
Idosos 
 
 
Crianças 
 
 
Administração 
(dose única) 
Diazepam 
(valium) 
30-45 5 a 10 
mg 
5mg 0,2 a 0,5 
mg/kg 
40 a 60 min. 
Antes da 
intervenção 
Lorazepam 
(Lorax) 
60-
120 
1 a 2 
mg 
1mg - 1,5 a 2 h. 
Antes da 
intervenção 
Alprazolam 
(frontal) 
60-90 0,5 a 
0,75 
mg 
0,25 
mg 
- 20 a 30 min. 
Antes da 
intervenção 
Midazolam 
(Dormonid) 
30 7,5 aa 
15 mg 
7,5 
mg 
0,2 a 
0,35 
mg/kg 
20 a 30 min. 
Antes da 
intervenção

Continue navegando

Outros materiais