ok 01.02.11 TPOA leite. aula 1
5 pág.

ok 01.02.11 TPOA leite. aula 1

Disciplina:Tecnologia Poa - Leite E Derivados, Pescado12 materiais72 seguidores

Pré-visualização

das correntes marítimas frias que vem das regiões das Malvinas, temos maior quantidade mercado consumidor aqui, maior densidade demográfica e maior renda. Por isso que a região sul e sudeste tem maior participação na produção total de pescado. O pescado na região sul e sudeste geralmente é um pescado de baixo valor unitário porque são aqueles peixes de grandes cardumes e de características mais comuns, o que difere da região nordeste.
	A região nordeste estaria em 3º lugar, ela já vai ter uma produção de peixes de maior valor unitário, que tem a produção de pescado de maior valor como: camarão, lagosta. E na região nordeste ela já é influenciada pelas águas quentes, por isso que tem essas diferenças em termos de produção em relação à região sul e sudeste.
A região norte ficaria em 4º lugar, apesar de a região centro-oeste ter uma densidade populacional maior quando comparada com a região norte. A região norte tem uma quantidade de rios maior e são influenciadas pela região amazonas que traz uma série de nutrientes que favorecem essa produção de pescado e eles tem uma tradição de consumo. Então apesar deles terem uma densidade populacional menor em comparação com a região centro-oeste, existe uma tradição maior de consumo, isso ajuda na produção.

São essas diferenças relacionadas ao mercado consumidor, características geográficas, etc. que vão influenciar nessa produção diferente nas diferentes regiões do Brasil.

A região nordeste: águas quentes, peixes de maior valor unitário, ficam em 3º lugar.

No Brasil: tem uma produção que gira em torno de 750 mil toneladas anuais, que fica em torno de 1% da produção mundial.
A maior produção mundial vem da Ásia, America do sul depois, Europa, America do norte, áfrica, Oceania.

País que é o maior produtor de pescado: China (produz cerca de 40 milhões de toneladas por ano), seguida do Peru, Chile, Japão, índia, EUA.
O Brasil fica em 25º na produção de sardinha, atum, cação, corvina, camarão e lagosta. A parte do camarão na região nordeste tem se destacado bastante, o Ceará já se tornou o maior exportador de camarão do Brasil.

Essa produção brasileira é uma produção ainda pequena quando comparadas aos outros países. Por conta disso, umas series de reformulações, uma serie de investimentos que tem que ser feitos aqui no setor na tentativa de melhorar isso.

O que mais influencia na produção de alimento:
- Consumo:
O consumo de pescado no Brasil é baixo, apenas 10% da população tem o pescado na sua alimentação. Em média: 7kg/hab/ano-> A Organização Mundial da Saúde recomenda pra que uma pessoa tenha uma alimentação saudável, boa nutrição de pescado, cerca de 11kg/hab/ano.
Agente pensa geralmente em peixe no natal e na páscoa.
A maior parte do pescado é industrializada: 67%
O pescado tem de problemas: questões culturais, socioeconômicas, é um produto caro, possui espinha, pra preparar o pescado dá trabalho (não sabe fazer), etc. hoje em dia as pessoas querem uma coisa pratica (não ter que limpar o peixe, comprar, abrir, escolher, etc.)

Um dos grandes problemas no Brasil é aumentar a quantidade e a qualidade do pescado ofertado pro mercado interno. A partir do momento que vc facilita a oferta, vc oferece um produto de qualidade de fácil acesso ao consumidor, vc melhora esse produto. E toda vez que vc aumenta o consumo, vc aumenta a produção também.

Temos os peixes:
O que quer que agente saiba: no grupo dos peixes, existem dentro desse grupo, 2 grupos: grupo dos peixes cartilaginosos e grupo dos peixes ósseos. Os cartilaginosos estão dentro da classe condrict. Os cartilaginosos:
- Cartilaginosos: peixes cartilaginosos também são chamados de peixes elasmobrânquios,
que são: cação, tubarão, raia ou arraia. Eles têm características que vão influenciar no processo de conservação, existem diferenças com relação a outros peixes na sua composição química e que são diferenças importantes que vão influenciar no processo de conservação desses peixes.

- Ósseos: também são chamados de teleósteos,
que são: sardinhas (Família Clupeidae), bacalhau, merluza, atum (Familia Scombridae), pargo, dourado, baiacus, peixe-porco.

As 2 famílias citadas acima são peixes que tem características diferentes entre eles, (da sardinha que é Clupeidae e do atum Scombridae), temos características químicas que faz com que sejam conservados adequadamente, o consumo desses peixes podem causar uma intoxicação química, uma intoxicação alimentar, devem ter uma atenção especial na composição química e como isso acontece.

- crustáceos: camarão, lagosta, caranguejo, siri. Representam 4% das capturas mundiais.

- moluscos: caracóis que são univalves (que tem uma concha), ostra e mexilhão e sururu que são bivalves (duas conchas), cefalópodes que são lulas e polvos. Representa 7% das capturas mundiais.