ok clin equi 16.05.11
21 pág.

ok clin equi 16.05.11

Disciplina:Clínica Médica Veterinária De Equídeos12 materiais173 seguidores
Pré-visualização6 páginas
temos reflexo ocular diminuído, mastigação deficiente. Mas ele se mantém alerta e esperto, interagindo com o ambiente.

Quando passo a caneta dividindo a face consigo visualizar a assimetria. E quanto mais cedo agente tratar, melhor é o nosso resultado. Esse cavalo pode inclusive ter uma vida normal se agente conseguir tratar antes que ele tenha lesões permanentes.

- Eqüino com incoordenação motora. Apresenta anormalidades proprioceptivas e motoras, caracterizadas por cruzamento dos membros posteriores e fraqueza muscular, levando a quedas espontâneas

Essas anormalidades tanto proprioceptivas quanto motoras, o animal cruza os posteriores, ele não consegue mais ter a firmeza e a forca necessária com equilíbrio pra conseguir manter o passo normal e ele fica atáxico completamente, e ele cruza as patas.

- Déficit proprioceptivo dos membros posteriores, caracterizado pelo posicionamento anormal do membro levando a quedas espontâneas

O animal pára e firma, e agente percebe pelo posicionamento (isso num grau mais avançado). Quando ele começa a cair, chega uma hora que não consegue mais levantar.
Diagnóstico
- Sugestivo
	- Sinais clínicos
	- Sorologia = indica a exposição (não me diz nada alem disso)
	- Líquor = PCR (DNA não é presença freqüente)
- Definitivo
	- Westenblot (USA) = Lab. Paddock
		- Líquor = anticorpos parasita (+)

Diagnóstico: pela avaliação dos sinais clínicos:
Agente vai perceber os sinais clínicos relacionados às ataxias, as assimetrias faciais, a atrofia.
	A sorologia (lembra que a soro-prevalência é alta?) então não vai me dizer nada praticamente, só vai me indicar a exposição.
	Agente pode fazer o PCR, mas o PCR pode dar aqueles falsos negativos (-), pq nem sempre agente vai ter o DNA no líquor.
	Diagnóstico definitivo: é feito pelo exame do Westenblot nos USA, temos o laboratório Paddock no Brasil que é o representante. Agente colhe líquor, manda pro paddock e o paddock envia para os EUA, onde vai ser feito então a pesquisa de anticorpos contra o parasito no líquor e da o resultado.

Tratamento
- Sulfadiazina (20mg) + pirimetamina (1,0 mg) = kg/dia/oral
- Sulfametoxazol + trimetoprim = 15-30 mg/kg/2x/oral + pirimetamina
- OBS:
	- Estomago vazio
	- Continuar + 30 dias (+/- 4 meses)
- Diclazuril 5-10 mg/kg/dia/oral 28 dias
	- Coccidiostáticos

Tratamento:
Sulfadiazina + pirimetamina ou sulfametoxazol + trimetoprim e + a pirimetamina, são tratamentos também utilizados para toxoplasmose. As sulfas são utilizadas para a toxoplasmose, até que eu descubra se é uma coisa ou se é outra, ou se eu tenho realmente.
Muitos clínicos preconizam um tratamento de sulfa e associam com o diclazuril. O diclauzuril é o coccidiostático específico para o sarcocystis.

OBS: repete o mesmo tratamento na toxoplasmose

Nas sulfas agente deve prestar atenção: estomago vazio. Sempre tem que dar continuidade por mais 30 dias depois que desaparecem a sintomatologia, então vai aproximadamente 4 meses de tratamento com a sulfa.
Pirimetamina e sulfa tem que fazer.
A professora acha que a sulfadiazina é melhor.

*** Tem uma que também pode ser feita por EV: sulfainject. Que é a sulfa + pirimetamina, via intravenosa. (conferir com a professora esse tratamento).

** Durina? A pirimetamina é um quimostático também, só que ele não é antibiótico específico, (ele não é coccidiostático) ele alem de agir no toxoplasma e age também num outro.

Tratamento
- Suporte
	- 1ª semana => flumexin meglumine
	- DMSO => 1g/kg salina 10%, IV, 3 dias
	- Vitamina E => 10-20 UI/kg, dia, oral

	- Nos casos graves
		- Dexametasona => 0,05 mg/kg/2x/ 3dias

Tratamento de suporte:
Não posso esquecer que ele vai precisar de um antiinflamatório.
Precisamos ver onde estão ocorrendo às reações inflamatórias, o DMSO tem uma boa ação.
Vitamina E, também entra como suporte, ajuda nos radicais livres, na reação antígeno-anticorpo.

E literatura cita que em casos graves, agente pode utilizar a dexametasona. Mas uns dizem que não tem efeito, outros dizem que tem. Depende muito do contexto todo, o clinico vai avaliar se vale a pena fazer ou não.

Controle
- USA => vacina
	- Protozoários mortos
	- 2 aplicações:
		- 1ª dose
		- 2ª dose = 3-6 semanas depois
		- Reforço anual
	- Eficiência ainda duvidosa

Controle:
O EUA está desenvolvendo uma vacina, que alguns proprietários já tiveram acesso a ela, mas ela ainda não está totalmente comprovada.
Eles utilizam protozoários mortos, fazem 2 aplicações: fazem 1 dose e repete a 2ª dose em torno de 3 a 6 semanas após a 1ª dose. E faz o reforço anual.
Mas não tem dados de eficiência ou não. Mas como a ocorrência é baixa, acaba demorando um pouco pra ter estatística estabelecida.

Toxoplasmose
- Zoonose
- Cosmopolita
- Etiologia
	- Toxoplasma gondii
		- Parasita intracelular
		- SNC e SR

Toxoplasmose
	É uma zoonose.
	O Toxoplasma gondii é o agente etiológico
	
Toxoplasmose
- Sinais e diagnóstico:
	- aparecimento agudo e evolução crônica
	- hipometria posterior (passos curtos) -> anterior
	- não há atrofia localizada
	- esplenomegalia
	- titulação (hemaglutinação indireta e imunofluorescencia)
	- necropsia (medula espinhal com corpúsculos semelhantes ao toxoplasma)

O que me interessa: Diferenciar da EPM.

= Tem aparecimento agudo e a evolução é crônica, ou seja, vai evoluindo aos poucos.
= Na EPM foco no posterior. Na toxoplasmose tenho uma hipometria posterior que evolui para os membros anteriores.
= Não há atrofia localizada (diferente da EPM onde encontramos uma atrofia localizada, geralmente do músculo macéter ou glúteo).
= Os animais necropsiados apresentam uma esplenomegalia
= Tanto quanto como na EPM agente tem uma soro-prevalência alta e uma incidência baixa.
= Na necropsia agente vai procurar na medula espinhal os corpúsculos. Ou seja, leva a medula para a histopatologia pra avaliação. O toxoplasma forma colônias ao longo da medula espinhal.

Toxoplasmose
- Tratamento
	- Pirimetamina + sulfodiazina
	- Vitaminas do complexo B
- Profilaxia
	- Evitar a presença de gatos
	- Levantamento sorológico

O que agente vê no liquor é alteração de proteínas quinases, essas coisas.
Agente não faz western blot pra toxoplasmose, só pra EPM. Na toxoplasmose vc vai encontrar ao longo da medula as colônias de toxoplasma.

Tratamento: mesmo da EPM.

Posso fazer vitaminas do complexo B.

A profilaxia: Evitar a presença de gatos (é quase impossível)
		Levantamento sorológico (também é quase impossível)

Tétano
- Clostridium tetani = exotoxinas => rigidez muscular. Morte: parada respiratória ou convulsões
- Tratamento :
	- Penicilina G (sódica ou potássica) 20.000 – 50.000 UI/kg 6/6 horas ou 4x ao dia intravenoso.
	- Penicilina procaína = intramuscular de 12/12 horas
	- sedação com fenotiazínicos = relaxamento muscular. (4-6 horas)
		- Acepromazia ou acetilpromazina 0,04 – 0,1 mg/kg
		- Promazina 0,4 – 1 mg/kg
	- Antitoxina tetânica
		- curativo=> 30.000 – 100.000 UI/animal
	- Preventivo => 1.500 UI/animal, pode repetir após 7 dias.
- Profilaxia :
	- Vacinação => toxoide tetânico 2 inoculações com intervalo de 30 dias e revacinação anual.

Tétano e botulismo não vão cair na prova.

Falamos de tétano na encefalomielite.
Tétano: Protrusão de 3ª pálpebra.
 Histórico de castração (é comum na roça, o cavalo morrer de tétano porque o cavalo não foi vacinado ou porque não foi feito o soro, a prevenção).
Posso tratar o tétano. Quanto mais precoce for, um pouco melhor meu resultado. Mas é bem difícil, a professora não conhece nenhum cavalo que sobreviveu.

Pode ser feito: penicilina G-potássica IV, aplicada de 6 em 6 horas impreterivelmente. Tem a penicilina procaína que é IM a cada 12 horas. Se não fizer de 6 em 6 horas certinho não adianta nada. A professora gosta de fazer, pois teve um resultado melhor com a penicilina G-potássica IV aplicada de 6 em 6 horas. Tenho que ter confiança pra prescrever, tenho que estar disposta pra fazer ou confiar no assistente, porque aplicar de 6 em 6 horas vc tem que ter uma pessoa disponível. Por isso o meu sucesso da terapêutica está limitado.

No tétano, tenho protrusão