ok clin peq 20.04.11
20 pág.

ok clin peq 20.04.11


DisciplinaClínica Médica de Mamíferos de Pequeno Porte14 materiais51 seguidores
Pré-visualização6 páginas
prurido. O prurido deve ser bem investigado. 
O importante é agente situar se é um prurido primário ou um prurido secundário. 
O que é um prurido primário:
	É aquele que a etiologia leva a coceira. A etiologia desencadeia.
O exemplo clássico é a escabiose, ele coça porque o ácaro está ali, que faz a lesão.
Prurido secundário
	É um prurido onde eu tenho a causa, a dermatopatia, essa dermatopatia cria uma situação favorável para ter o prurido.
Ex: doenças endócrinas, como hipotireoidismo. O hipotireoidismo faz o pêlo cair, aumenta a oleosidade da pele, interfere com o processo de queratinização. Tudo isso favorece a proliferação de microrganismos, das bactérias. E como a bactéria cresce na pele, ela desencadeia o prurido. Então esse é o prurido secundário.
Como agente vai saber isso na anamnese? Agente pergunta ao proprietário, quem surgiu primeiro, a lesão ou o prurido?
No hipotireoidismo, o pelo cai, a pele fica mais oleosa e depois o animal se coça. 
Na doença alérgica, o animal vai se coçar e por ele coçar o pelo começa a cair e a pele começa a ficar lesionada.
	Isso é importante pra etiologia e pra terapêutica. 
Prurido secundário vou tratar com o que? Infecção bacteriana vou controlar essa infecção bacteriana com o que? Antibiótico.
Prurido primário não, eu tenho que tirar a causa e às vezes preciso de corticóide.
Lembrar que lamber, esfregar excessivamente a face, é sinal de prurido. Lamber muito a pata é sinal de prurido, se esfregar na parede é prurido. Etc. 
Lembrar também que a pele está ligada ao organismo. Já vimos doenças sistêmicas que vão trazer sinais na pele. Então eu preciso saber se além dos sinais dermatológicos se esse paciente tem outros sinais.
Nas doenças alérgicas vamos ver as rinites, as bronquites, elas podem cursar junto, e isso vai ser uma informação importante para o diagnóstico.
Poliúria e polidipsia, já vimos em hiperadreno, hipotireoidismo, levam a problema de pele. 
Comportamento: ai entra também as endocrinopatias. O animal começou a ficar mais parado, mais quieto, está ganhando peso (no hiperadreno), temos que pesquisar num todo no final da anamnese.
= - Exame físico:
=	Geral. Se o problema é pele, a pele é o ultimo a ser avaliado, porque às vezes vc vai observar uma 
=	Pelos e Pele: é importante o animal estar 5-7 dias sem banho! Pra ver o aspecto verdadeiro.
=		cabeça (boca, lábios, orelhas) -> pelo tronco -> área perineal -> pernas, patas (coxins, unhas) -> ventral (axilas e virilhas) 
=	Pelos: brilho/seco, coloração, oleosidade, densidade (hipotricose)
=	Pele: textura, elasticidade, espessura, lesões.
No exame físico:
Se o problema é de pele, a pele vai ser o último a ser examinado, agente começa com exame geral e depois agente vai pra pele. Porque às vezes vamos achar alterações no exame físico geral que vão ser compatíveis com a doença de pele. Ou então vão fazer com que agente coloque essa doença de pele em segundo plano.
Caso clínico da aula pratica: Cachorra com doença de pele crônica, que pode ser uma doença alérgica. Quando colocou na mesa, e fez o exame físico geral, ela estava com os linfonodos muito aumentados e a única doença de pele que faz linfoadenomegalia generalizado é a sarna demodécica, mas o quadro dessa cadela não era de sarna demodécica. Então nesse momento do exame físico a professora esqueceu a pele e foi buscar uma doença sistêmica, teve suspeita de leishmania, doença de hematozoário, linfoma. Pois tinha baço aumentado, linfonodo aumentado, etc. 
	Quando vamos avaliar pele, agente começa sempre com pele e pelo. É importante o animal estar sem banho, pois o proprietário tende a dar banho pra trazer pra clínica veterinária. Então se o proprietário deu banho, 50% do exame físico está perdido. 
É importante o cachorro estar no mínimo de 5-7 dias sem banho pra que as lesões tenham um aspecto verdadeiro, pra que vc possa ver o que está acontecendo com essa pele.
	Essa é a ordem do exame dermatológico: quais são os limites da pele no corpo do animal? As junções muco cutâneas, então vc tem que avaliar a pele até as junções muco cutâneas. Onde estão as junções muco cutâneas? Boca, pálpebra, abertura genital, abertura anal. 
E alem da pele, temos os plâneros, que no caso dos pequenos animais é a unha, plano nasal, coxim plantar, tudo isso faz parte do exame dermatológico.
Vamos ver que o ouvido externo também é pele. 
Pra que não esqueçamos nada, temos uma ordem de exame. Agente começa pela cabeça, indo até o limite, na boca, lábio e orelha, ai agente desce através do tronco, examinando, chega na área perineal e desce pelas patas, desceu nas patas, examinar os coxins, virar os coxins e examinar o leito ungueal. Terminou isso, decúbito dorsal pra examinar região ventral e região de axila e virilha. Essa deve ser a ordem. 
Como vamos examinar? Vai olhando sempre sentido contrario do pêlo, levantando o pêlo, examinando pêlo e pele ao mesmo tempo.
	
No pêlo vou observar se tem queda intensa de pelo, como está a queda de pelo, se o pelo tem brilho, se está quebradiço, e a densidade desse pelo (se tem uma área que está menos densa, se tem uma área que está com falhas, etc.), alteração de coloração (se tem uma área mais clara ou se tem uma área mais escura.
	E a pele, o que vou observar? Textura, elasticidade, espessura, e o mais importante, na pele vou observar as lesões. Quais lesões vou encontrar e vou dar nome. 
= Exame físico:
= - Lesão primária:
=	mácula, papula, pústula, nódulo, tumor
= - Lesão primaria ou secundária:
=	hipotricose/alopecia, descamação, crosta, hiperpigmentação
= - Lesão secundária:
=	colarete, hiperqueratose, liqueinificação, erosão, ulceração
Procurar imagens e definição dessas lesões do quadro acima na internet e imprimir. (de cão e gato)
 
O que é lesão primária?
- É a lesão que a etiologia causa. 
E o que é lesão secundária?
- É lesão que o sinal vai causar, o prurido vai causar, a infecção bacteriana vai causar.
Pápulas: 
É a mordidinha de mosquito, é um infiltrado inflamatório na derme, que não passa do tamanho de uma cabeça de alfinete.
A pápula geralmente é uma lesão inicial, ela pode parar só na papula ou pode proceder a uma pústula, ela pode proceder a um nódulo.
Pústula: 
É o acumulo de pus entre as camadas da epiderme.
Pústula pode ser séptica ou asséptica. Vai ter doença onde vc pode ter acumulo de pus sem ter bactérias.
Nódulo: 
Classificação do nódulo é até 1 cm. 
Tumor:
Acima de 1cm é tumor.
Quando falo de tumor eu não estou me referindo a neoplasia, um abscesso eu classifico como uma lesão tumoral, e ai um processo inflamatório que aumente o volume, que seje vegetativo eu chamo de tumor, uma lesão fúngica pode formar um tumor.
Macula: 
É a mancha, pode ser hiperpigmentada ou despigmentada, mas a mácula não tem elevação nenhuma, é uma lesão plana.
Tenho que classificar a lesão, mensurar e localizar a lesão. Isso tudo tem que estar descrito na ficha.
 
Alopecia: 
Ausência de pelo. Vou dizer que é uma alopecia, vou mensurar essa alopecia e vou localizar essa alopecia.
Descamação: 
Pode ser seca, pode ser mais gordurosa, etc.
Ulceras: 
Pode ser com ou sem crostas
No caso da esporotricose eu tenho ulceras com crostas.
Hiperqueratótica: 
Pele mais espessa que é a hiperqueratose. 
Hiperpigmentação:
Pele começa a ficar mais escura
Posso ter varias lesões num único animal.
Colaretes epidérmicos: 
A pústula é uma lesão frágil, difícil de a gente ver, o que vamos ver sempre são os colaretes, o que agente tem que saber é que se tem colarete é porque teve pústula. Se teve pústula pode ter infecção bacteriana. Isso ai as vezes tenho que tratar com antibiótico.
Erosão: 
É uma perda de camadas da epiderme, mas a derme ainda não está exposta. Quando a derme começa a estar exposta já é ulcera.
Paquidermia: 
Pele semelhante à pele paquidérmica, de elefante e hiperpigmentação.
Tenho que descrever as lesões.
Placa:
Posso ter placa com superfície erosada. 
Pra que tenho que fazer a descrição?
Quando vem na próxima consulta, eu pego a ficha do animal, leio e vejo se melhorou ou não. Posso também fotografar