clin peq 30.03.11
10 pág.

clin peq 30.03.11


DisciplinaClínica Médica de Mamíferos de Pequeno Porte14 materiais51 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Diabetes mellitus 
Já vimos em patologia clinica a parte de pâncreas, diagnóstico, fisiopatogenia da doença, o Miguel falou da doença.
É considerada uma das principais doenças endócrinas, pois é freqüente. Seja de uma forma direta por uma ... pâncreas, e seja de forma indireta ... resistência a insulina que vão exigir uma sobrecarga desse pâncreas na produção de insulina.
	O cortisol é um homonio hiperglicemiante, entao os animais com hiperadreno podem apresentar uma diabetes melitus.
É uma doença endócrina multissistemica que se manifesta em resposta a uma falta relativa ou absoluta de insulina.
Vc não precisa ter uma deficiência, 
Relembrando: qual a parte do pâncreas que vai estar deficiente ou doente em um paciente com diabetes: pâncreas endócrino. Qual a região do pâncreas endócrino que vai produzir a insulina? As ilhotas de largehans nas células beta.
As células alfa são produtoras do glucagon, que é um hormônio hiperglicemiante. Quando a glicemia está alta
Quando a glicemia está elevada, ele estimula a glicose pra entrar na célula.
A região que vai estar afetada são as ilhotas de largehans.
Células teta: somatostatina.
Gatos tem pré disposição de fazer uma amiloidose hepática (nas ilhotas de largehans) 
Esse deposito vai degenerando as células das ilhotas pancreáticas 
Outra predisposição genética: destruição imu
nomediada das ilhotas das células beta. Isso acontece muito no cão, que pode acontecer por ação imunomediada.
Hipotireoidismo 
Pancreatite: princ a crônica num primeiro momento ela vai afetar mais o pâncreas exócrino, mas com a continuidade o animal pode também desenvolver um quadro de diabetes, o pâncreas endócrino também pode ser acometido.
Exaustão pancreática, exaustão das células beta por resistência insulínica. Vc tem liberação de hormônios hiperglicemiantes (cortisol e o GH que é o hormônio do crescimento é um hormônio hiperglicemiante. De forma indireta: progesterona). Passa a promover um papel de resistência a insulina.
Os hormônios hiperglicemiantes vão solicitando cada vez maior a produção de insulina.
Conforme vai tendo a exaustão esse pâncreas vai diminuindo sua capacidade de produzir insulina ..... isso numa situação de resistência a insulina. Até chegar a uma hora que ele vai ter a diabetes ....
Qnd o diagnostico da diabetes é feita nos cães, 95% dos diagnósticos ..... diabetes tipo 1, que é a diabetes insulino dependentes.
Diestro em cadelas (fase que ela está ciclando, progesterona que vai estimular a produção de .....). O hiperadrenocorticismo , hipersecreção de GH numa doença ch acromegalia (tenho uma secreção do hipersecreção do GH, é uma doença hipofisária, tem umas erie de doenças e uma delas é a diabetes). A obesidade é a principal causa de resistência a insulina (por conta do homem), todo animal obeso, só pela obesidade ele tem grandes chances de desenvolver uma diabetes no futuro.
A endocrinologia tem pouca parcela de 
Todo cão obeso tem um proprietário obeso, 
Os adipocitos quando estão saturados, a membrana da insulina fica menos sensível a insulina, e cada vez a insulina é mais produzida pra ... lipólise 
Destruição tecido pancreático (pancreatites) ou drogas (corticóides, progestagenos \u2013 comum em gatas e em cadelas pra inibição do cio)
Diabetes tipo I: dependente da insulina. Tenho destruição das células beta. 90% dos cães vão apresentar esse tipo de diabetes.
O proprietário quando leva o cachorro e agente faz o diagnostico da diabetes ele já tem destruição do tecido muito grande.
50 a 70% dos gatos
O gato obeso, se voltar a ser normoglicêmico pode voltar a ser
Tipo II: não dependente insulina somente gatos.
- secundaria ou resistência insulínica
	Quando não revertida evolui para o tipo I.
Se vc pegar numa fase de inicio da doença vc tem como reverter, porque quando ela destrói uma quantidade de 95% das células beta, seja a causa que for, ela não tem mais jeito.
Epidemiologia 
Cães: 4 a 14 anos
Maioria fêmeas
Poodle, dachshund, schnauzer, beagle
Gatos
> 6 anos
Sem predileção racial ou sexual
A diabetes nos cães: acomete animais adultos a idosos. A media de idade pra começar a desenvolver é de 5 a 6 anos. Mas agora o proprietário só traz o animal depois de 1 ano da doença instalada.
Tem \u2013 monografia de diabetes dos ...... 
As raças são poodle (aqui no Brasil porque é uma raça que as pessoas gostam muito) dachshund, schnauzer, beagle.
Gatos: com mais de 6 anos. Sem predileção racial ou sexual.
Nos gatos, vai acometer a maioria dos machos castrados, porque eles ficam obesos mais rápidos do que as gatas.
A obesidade nos gatos é um fator bem relevante para o desenvolvimento da diabetes.
Sinais clínicos
Existem 2 apresentações da diabetes melitus:
- DM não complicada (é o que agente menos encontra)
- DM complicada
Cetoacidose diabética, é a principal complicação.
Sinais clínicos da diabetes da não complicada:
4P
Polifagia, polidipsia, perda de peso, poliúria 
(doença endócrina que tem polifagia e perda de peso: hiperadreno)
PU/PD (50ml/kg/d // 100ml/kg/d)
PF + Perda de peso
Porque o animal faz poliúria:
Quando a glicemia dele ultrapassa 180 a 220 ng/dl, essa concentração de glicemia circulante extrapola a capacidade de reabsorção tubular , quando passa dessa concentração, 
A urina fica mais hiperosmotica, e quem vai atrás é a água. Por isso ele tem uma poliúria, e por isso que ele tem uma diurese osmótica. Pra tentar controlar .... ele passa a beber muita água.
Slide: PU -> hiperglicemia (180 a 220 ng/dl) extrapola capacidade reabsorcao tubular glicose .... glicosúria .... diurese osmótica -> PD
Slide: Emagrecimento -> glicosuria ... perda calórica (após 30 dias da doença)
Slide: PF->ausência insulina ... não glicose centro saciedade.
Pois a insulina não chega no centro da saciedade .... se ele come muito eu espero que ele engorde, mas ele emagrece pq ele tem perda calórica, perda .... e mesmo ele comendo ele não está conseguindo colocar a glicose pros tecidos.
O emagrecimento só vai começar a ser percebido quando a doença tem mais de 30 dias de evolução, então num primeiro momento o animal não vai apresentar. Ainda mais o obeso, porque vai começar a perder peso.
Sinais clínicos
(DM não complicada)
Cadela com diabetes por obesidade e uso de progestágenos. 
Quando apresenta um abaulamento do abdômen, perda de massa muscular eu penso em hiperadreno.
Pode ter lesão 
Outros sinais clínicos que vamos observar com uma certa freqüência em animais com DM:
- Catarata. (opacidade do cristalino que é a lente que se dá atrás da pupila pelos ligamentos do corpo ciliar, qualquer deposita de substancia nesse cristalino gera a caratata)
	Aparecimento súbito 
	Irreversível 
	Aparecimento pós diagnóstico por má controle glicêmico 
- posição plantígrada
	Comum em gatos
	Desmielinização 
Slide: nefropatia,vasculopatia e doença arterial coronariana -> humanos (10 a 20 anos instalar)
Seria cirurgia
No gato: o gato não faz catarata. A complicação da diabetes mais freqüente é a desmielinização periférica e ai o animal (o gato demonstra nos membros posteriores) ele passa a apoiar com o jarrete (apóia todo o calcâneo) 
Neuropatia diabética
Interessante aqui: no ser humano temos sinais que no cão e no gato não são encontrados, como a nefropatia, vasculopatia e a doença arterial coronariana, têm dificuldade de cicatrização, etc. não ocorre nos animais porque isso só ocorre de 10 a 20 anos para se instalar. E no cão geralmente vive até os 15, geralmente agente diagnostica com 5, então não tem tempo pra demonstrar isso.
Alterações laboratoriais
- glicemia (jejum)
	> 120 ng/dl cão (sinais clínicos) 
	> 250 ng/dl
Agente só vai considerar o animal diabético quando ele tiver uma glicemia acima de 250 ng/dl. Entre 120 a 250 ng/dl agente vai acompanhar ....
Avalio a frutosamina para diabetes
- Frutosamina (gatos) glicemia 5 a 8 dias. Se adere as moléculas de proteínas (é um açúcar), entao vc consegue avaliar os valores dessa glicemia pregressos, anteriores, geralmente de 5 a 8 dias de glicemia. Se eu tenho um animal com glicemia em jejum com 200