A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
REPRODUÇÃO de animais de PRODUÇÃO

Pré-visualização | Página 1 de 4

Liliane Gomes 1 
 
 
 
 
 
 
1) Como ocorrem a diferenciação e determinação sexual de animais domésticos? Quais estruturas embrionárias darão origem aos 
aparelhos reprodutivos de fêmeas e machos? 
A diferenciação e determinação sexual ocorre ainda na formação do embrião no útero, onde as gônadas são determinadas sexualmente em testículos ou ovários, 
e diferenciadas externamente em vulva (e todas suas estruturas anatômicas) e pênis (e todas suas estruturas anatômicas), nas primeiras semanas de sua 
vida intrauterina. A diferenciação das genitálias externa e interna no sexo masculino é um processo dependente da produção de hormônios sexuais pelo testículo, 
enquanto, que no sexo feminino esse processo independe dos hormônios ovarianos. Portanto a diferenciação sexual é gônada-dependente apenas nos homens. 
Ainda não totalmente estabelecido, mas no macho, mas sabe-se que há envolvimento de alguns genes – SRY (cromossomo Y – TDF) – desenvolvimento 
testicular, ocorre de forma ativa. E na fêmea ocorre na ausência dessa região. 
As células germinativas, primordiais mesenquimais e epiteliais são as estruturas embrionárias. Vale ressaltar que o ducto de Miller e Wolf, darão origem às 
áreas sexuais e estruturas dos aparelhos reprodutivos de machos e fêmeas. 
 
2) Descreva a regulação neuroendócrina da reprodução nos animais domésticos –macho e fêmea (citar hormônios, locais de produção e 
atuação dos hormônios). 
Nas Fêmeas= estímulo no SNC, estimula a produção de GnRH (hormônio liberador de gonadotrofinas) no Hipotálamo que estimula a produção e liberação do 
FSH (hormônio folículo estimulante) que é responsável pelo crescimento e desenvolvimento dos folículos ovarianos para sintetizar o estradiol. O hipotálamo 
também estimula a produção e liberação de LH (hormônio luteinizante) que atua na maturação dos folículos preparando-os para ovulação e age também na 
luteinização, quando fecundado virando o corpo lúteo e produzindo a progesterona (para manutenção da gestação, preparação do útero para receber o embrião 
e inibir o GnRH).Caso não haja fertilização do ovócito, o endométrio do útero irá sintetizar o hormônio Prostaglandina PGF-2α que dará início à regressão/lise 
do corpo lúteo, diminuição da progesterona e desbloqueio da produção de GnRH – retorno aos eventos. 
Nos Machos= ocorre estímulo no hipotálamo que faz a liberação do GnRH, que por sua vez estimula produção de FSH e LH na Adenohipófise. O FSH vai atuar 
nas células de Sertoli para produção da espermatogênese e promovendo o crescimento dos túbulos seminíferos. O LH vai atuar nas células de Leydig para 
produção de testosterona. A testosterona atua na produção de espermatozoides, diferenciação e maturação dos órgãos, dando as características masculinas. 
 
3) Qual é a natureza dos principais hormônios que participam do controle neuroendócrino da reprodução? 
Os hormônios são de natureza lipídica/esteroidogenicos (testosterona, E2, P4), proteica (inibina, GnRH), glicoproteicos (FSH, LH), eicosanôides que deriva 
dos ácidos graxos da membrana plasmática (prostaglandina) 
4) Defina os seguintes termos relacionados à Reprodução Animal: 
❖ Oogônia; 
❖ Ovócito/oócito; 
❖ Folículos primordiais; 
❖ Folículos primários, secundários e terciários; 
❖ Folículos de Graaf; 
 
 
Liliane Gomes 2 
 
❖ Ovulação; 
❖ Corpo hemorrágico, corpo lúteo e corpo albicans; 
❖ Ciclo estral; 
❖ Proestro (Pré-estro), Estro, Metaestro (Pós-estro), Diestro; 
❖ FSH, LH, Estrógeno, Inibina, Progesterona, Prostaglandina; 
❖ Oogônias= são células germinativas femininas diploides (2N), que são encontrados no ovário, crescem e são morfologicamente modificadas e dão origem 
aos oócitos. 
 
 Ovócito/oócito= passou por divisão celular da oogônia e tem se metade do material genético/cromossomos, para se juntar com a metade do material 
genético do macho e ocorrer a fecundação. 
 Folículos primordiais= Os folículos primordiais (formados durante a vida fetal) consiste em um oócito primário envolvido por uma única camada de células 
foliculares achatadas (granulosa), sendo que a maior parte desses folículos se localiza na cortical do ovário, próximo à túnica albugínea. 
 Folículos primários, secundários e terciários= Inicialmente, o ovócito primário está envolvido por uma única camada de células epiteliais achatadas 
no folículo primordial - depois por uma camada de células cubóides ou colunares no folículo primário com espessamento das células da granulosa (mostrando 
seu desenvolvimento), a seguir por um epitélio estratificado no folículo secundário (formando 2-3 camadas de celulas da granulosa com a zona pelúcida) 
e, finalmente, por células que delimitam uma cavidade cheia de líquido (o antro) no folículo terciário ou vesicular e produz estrogênio. 
 Folículos de Graaf= é o folículo maduro (alcançou o máximo de seu desenvolvimento, ou seja, pré-ovulatório), começa a expressar em sua superfície 
receptores de LH para sofrer ovulação pelo pico de LH. 
 Ovulação= é o processo (após o pico de LH) em que o ovócito é liberado para a tuba uterina, permanecendo ali, para ser fecundado. 
 Corpo hemorrágico, corpo lúteo e corpo albicans= o corpo hemorrágico é uma estrutura temporária formada imediatamente após a ovulação do folículo 
ovariano, que colapsa e é preenchida com sangue que coagula rapidamente, posteriormente pela luteinização das células que ficaram e da origem ao Corpo 
lúteo que tem função de liberar progesterona, se houver gestação é transformado em corpo gravídico para manter a gestação, se não houver gestação 
o útero produz prostaglandina que causa lise no corpo lúteo, perdendo sua função e deixando uma cicatriz branca que é chamada de corpo albicans. 
 Ciclo estral= são várias alterações hormonais e comportamentais que acontecem em um determinado período de tempo, que se repete em torno de 21 
dias, variando de 18-24 dias. Acontece recrutamento, seleção, dominância, crescimento e maturação de um ou mais folículos, ovulação e período em que o 
corpo lúteo estará ativo. A fêmea apresenta, ao longo do ciclo, alterações comportamentais que cursam com aceitação de monta (Fase estrogênica - 
Estro) e fases de não receptividade ao macho (Fases Progesterônicas - Metaestro e Diestro). 
 
 Proestro (Pré-estro), Estro, Metaestro (Pós-estro), Diestro= 
 ROESTRO: tem início do crescimento dos folículos, à medida que vão crescendo há aumento gradativo na produção do estrógeno, no qual a fêmea fica 
mais inquieta, tem vocalização, mais micções, ou seja, preparando-a para fase de estro. 
 ESTRO: é quando todos os sinais do proestro estão exacerbados e a fêmea aceita a monta. Todas as espécies domésticas ovulam durante o estro, com 
exceção da vaca. 
 METAESTRO: a fêmea não aceita mais a monta, diminuição da produção de estrógeno e aumento da produção de progesterona (pelo corpo lúteo), ou 
seja, é a fase intermediaria do corpo lúteo em que ele está no início do seu desenvolvimento e no diestro ele estará maduro com maior atividade luteínica. 
 DIESTRO: Inicia quando o corpo lúteo está formado e se mantém em pleno funcionamento. · Caracterizado pelo aumento da concentração de P 4 até o 
12° dia do ciclo quando então estabiliza e mantém-se até o 17° dia do ciclo. A partir daí há declínio brusco por ação da PGF 2 alfa. · Com relação ao 
estrogênio observam-se baixos níveis durante o diestro e isto pode ser justificado pelo fato dos folículos antrais não apresentarem o sistema aromatase 
ativado. 
 FSH, LH, Estrógeno, Inibina, Progesterona, Prostaglandina= 
 A inibina é uma proteína (hormônio) produzida pelos testículos no homem e pelos folículos ovarianos na mulher, cuja função principal é a inibição da 
produção de Hormônio folículo-estimulante (FSH) pela hipófise. 
 A progesterona (P4), responsável pela manutenção da gestação, e modula o sistema imune para que o embrião não seja reconhecido como corpo estranho 
e cause aborto. Já, a prostaglandina é produzida no endométrio e está envolvida

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.