3-TGP - Material Suplementar - 3ed
152 pág.

3-TGP - Material Suplementar - 3ed

Disciplina:Teoria Geral do Processo7.581 materiais142.711 seguidores
Pré-visualização152 páginas
SÉRIE Roberto Moreira de Almeida
TEORIA GERAL DO
PROCESSO
Civil, Penal e
Trabalhista
3.a edição
revista e atualizada
MATERIAL SUPLEMENTAR
EXERCÍCIOS PARA FIXAÇÃO
1. SOCIEDADES E TUTELA JURÍDICA
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
01. Assinale a opção correta
(A) o ser humano é um ser gregário, porque foi concebido para viver em sociedade;
(B) desde os primórdios da humanidade, se tem notícias de que o ser humano se agru-
pa;
(C) o primeiro agrupamento social foi a família, depois advieram o clã, a tribo e, num
estágio futuro, o Estado;
(D) todas as opções estão corretas.
Resposta: D. As assertivas “a”, “b” e “c” estão corretas.
02. Assinale a opção correta
(A) a convivência humana em sociedade sempre exigiu o estabelecimento de regras de
conduta destinadas a estabelecer uma certa paz social;
(B) as regras disciplinadoras das condutas humanas em sociedade somente surgiram a
partir do descobrimento da escrita;
(C) as regras disciplinadoras das condutas humanas em sociedade somente surgiram com
o advento do Estado;
(D) as regras disciplinadoras das condutas humanas em sociedade surgiram a partir da
idade moderna, com os ideais da liberdade, igualdade e fraternidade.
Resposta: A. Sempre se observou a presença de regras de conduta destinadas a esta-
belecer uma certa paz social em todas as sociedades, inclusive as primitivas.
03. A máxima latina do ubi homo, ibi societas; ubi societas, ibi jus pode ser enten-
dida como:
(A) existe direito sem sociedade e que existe sociedade sem direito;
(B) não há direito sem sociedade e não existe sociedade sem direito;
SOCIEDADES E TUTELA JURÍDICA 3
(C) não existe direito sem sociedade, mas há sociedade sem direito;
(D) existe direito sem sociedade, mas não há sociedade sem direito.
Resposta: B. “Onde há o homem, existe a sociedade; onde há a sociedade, existe o
direito”.
04. Assinale a opção correta
(A) na sociedade individualista e complexa contemporânea, os con itos intersubjetivos de
interesses são a regra;
(B) nasce um con ito de interesses todas as vezes em que, para um mesmo bem, se
voltem as atenções de no mínimo três pessoas;
(C) ao desejo de afastar o interesse alheio em benefício de interesse próprio denomina-se
pretensão;
(D) todas as assertivas estão incorretas.
Resposta: C. Ao desejo de afastar o interesse alheio em benefício de interesse próprio
denomina-se pretensão). As opções A e B são incorretas (os conflitos de interesses, mesmo
nas sociedades atuais, são exceções; e nasce um conflito de interesses todas as vezes
em que, para um mesmo bem, se voltem as atenções de, no mínimo, duas pessoas.
05. Pode-se conceituar lide como
(A) um con ito de interesses quali cado por uma pretensão resistida ou insatisfeita;
(B) um con ito de desejos quali cado pela pretensão e resistência de uma única pessoa
em relação a um mesmo bem;
(C) um con ito de interesses quali cado pela pretensão e resistência simultânea de duas
ou mais pessoas em relação a um mesmo bem;
(D) nenhuma das assertivas está correta.
Resposta: A. Lide é conceituada como um conflito de interesses qualificado por uma
pretensão resistida ou insatisfeita.
06. É (são) forma(s) de composição dos litígios
(A) a autodefesa ou autotutela, apenas;
(B) a autodefesa e a autocomposição, somente;
(C) a autodefesa, a autocomposição e a heterocomposição;
(D) a autodefesa, a autocomposição, a heterocomposição e a justaposição.
Resposta: C. Três são as formas de composição dos litígios: a autodefesa, a autocom-
posição e a heterocomposição.
07. Sobre a autodefesa, é correto a rmar
(A) consiste na modalidade de solução dos litígios por obra dos próprios litigantes, quando
um deles, ou ambos, resolve dispor do próprio interesse ou de parte dele e, com isso,
põe m ao litígio;
(B) é uma forma civilizada e justa para se solucionar os litígios;
(C) o ordenamento jurídico admite o seu uso, sendo a matéria disponível, irrestritamente;
(D) caracteriza-se por não haver um sujeito imparcial para a solução do litígio e o litigante
mais forte ou mais astuto impor a sua vontade sobre a outra parte.
Carregar mais