A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Conservação da hipertonicidade medular

Pré-visualização | Página 1 de 1

Conservação da hipertonicidade medular 
NaCl é de extrema importância para a concentração da urina, mas a ureia também apresenta um papel 
importante: 
- O hormônio ADH pode aumentar a permeabilidade à água nos túbulos coletores e quando ocorre essa 
reabsorção, a concentração de uréia no fluido intratubular aumente, a qual é ainda mais agravada com a 
reabsorção de NaCI no ramo ascendente da alça de Henle; pois essa reabsorção de NaCl torna o fluido tubular 
diluído e o interstício concentrado, criando o gradiente osmótico que promove a reabsorção de água no coletor, o 
que eleva a concentração intratubular de uréia. 
- Esse grandiente permite que a uréia se difunda passivamente para o interstício, gerando um acúmulo medular de 
uréia. 
 
 Logo, a presença de ADH circulante torna a ureia concentrada tanto na urina como no interstício; porém com 
baixo ADH a concentração de ureia no interstício é baixa, pois a ausência de reabsorção de água impede o 
aumento da concentração ureia no fluido tubular desses segmentos, condição necessária para a sua difusão 
para o interstício. 
 
+ em vista que a uréia é proveniente do metabolismo proteico, a contribuição desse soluto na hiperosmolaridade 
medular é maior na vigência de dieta rica em proteína, por isso que dietas ricas em proteínas desencadeiam em 
urinas concentradas. 
 
Os vasos retos que caminham ao longo dessas estruturas medulares que tem a função de remover do interstício 
medular as moléculas. Sendo que, a quantidade retirada deve ser igual a quantidade adicionada pela reabsorção 
dos túbulos. 
O sangue que percorre os vasos retos, na região descendente se concentra (perde água para o túbulo e ganha 
soluto, principalmente NaCl deles) e se dilui na região ascendente.