A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Menstruação e Glândulas Mamárias

Pré-visualização | Página 1 de 3

Sistema Reprodutor Feminino
- formado por dois ovários, duas tubas uterinas, útero, vagina e genitália externa
- funções
- produzir gametas femininos (ovócitos)
- manter um ovócito fertilizado durante seu desenvolvimento completo ao longo das
fases embrionária e fetal até o nascimento
- produção de hormônios sexuais que controlam órgãos do aparelho reprodutor
- menarca: primeira menstruação
- menopausa: período durante o qual as modificações cíclicas tornam-se irregulares e acabam
cessando
Ovários
- superfície coberta por um epitélio pavimentoso ou cúbico simples = epitélio germinativo
- sob o epitélio germinativo está uma camada de tecido conjuntivo denso, a túnica albugínea
- abaixo da túnica albugínea está a região cortical onde estão os folículos ovarianos
- folículo = ovócito + conjunto de células que o envolvem
- se localizam no estroma (tecido conjuntivo) da região cortical -> contém fibroblastos
dispostos em redemoinhos
- fibroblastos respondem a estímulos hormonais de um modo diferente dos
fibroblastos de outras regiões do organismo
- parte mais interna: região medular
- contém tecido conjuntivo frouxo com um rico leito vascular
- desenvolvimento inicial do ovário
- fim do primeiro mês de vida embrionária: população de células germinativas
primordiais migra do saco vitelino até os primórdios gonadais, onde as gônadas
estão começando a se desenvolver
- nas gônodas do sexo feminino, essas células se dividem e se transformam nas
ovogônias -> equivalentes as espermatogônias
- a partir do terceiro trimestre: ovogônias começam a entrar na prófase da primeira
divisão meiótica mas param na fase do diplóteno e não progridem para as outras
fases da meiose
- formam os ovócitos primários
- os ovócitos primários são envolvidas por uma camada de células achatadas
chamadas células foliculares
- muitos ovócitos primários são perdidos por um processo degenerativo
chamado atresia
- processo de atresia continua por toda a vida reprodutiva
- folículos primordiais
- folículo ovariano = ovócito envolvido por uma ou mais camadas de células
foliculares, também chamadas células da granulosa
- ovócitos do folículo primordial estão na fase de prófase da meiose I
- crescimento folicular
- a partir da puberdade, a cada dia um pequeno grupo de folículos primordiais inicia
um processo chamado crescimento folicular
- esse crescimento é estimulado por FSH secretado pela hipófise
- não se sabe qual é selecionado para crescer e qual não é
- folículos primários
- núcleo aumenta de volume, há um maior número de mitocôndrias
- células foliculares aumentam de volume e sedividem por mitose,
formando uma camada única de células cuboides -> folículo primário
unilaminar
- células foliculares continuam proliferando e originam um epitélio
estratificado (a camada granulosa) -> folículo primário multilaminar ou
folículo pré-antral
- células da granulosa se comunicam por junções comunicantes
- as células da granulosa (e também os ovócitos) começam a
secretar uma camada amorfa composta de glicoproteínas que
envolve o ovócito -> zona pelúcida
- prolongamentos de células foliculares e microvilos do ovócito
penetram a zona pelúcida e estabelecem contato entre si por
junções comunicantes
- folículos secundários
- a medida que os folículos crescem, ocupam áreas mais profundas da
região cortical
- líquido folicular começa a se acumular entre as células foliculares ->
formação do antro folicular -> folículo antral
- líquido folicular: componentes do plasma e produtos secretados por
células foliculares
- glicosaminoglicanos, proteínas e altas concentrações de esteroides
- reorganização das células formando um apoio para o ovócito ->
cumulus oophorus
- pequeno grupo de células foliculares envolve o ovócito -> corona radiata
- acompanha o ovócito quando este abandona o ovário por ocasião de
ovulação
- o restante das células formam a camada granulosa
- folículo maduro ou de Graaf
- há modificaçao do estroma ovariano para formar as tecas foliculares
- teca interna
- células poliédricas, com núcleos arredondados e
citoplasma acidófilo
- característica de células produtoras de esteróides
- possui vasos sanguíneos que formam um rico plexo
capilar
- teca externa
- células similares são estroma ovariano
- se arranjam de modo organizado concentricamente em volta
do folículo
- existe uma lâmina basal entre as tecas
- folículo dominante
- os outros folículos entram em atresia
- atrasia folicular
- células foliculares e ovócitos morrem e são eliminados por células fagocíticas
- folículos em qualquer fase de desenvolvimento podem sofrer atresia
- sinais de morte de células granulosa, separação de células da camada granulosa de
modo que elas ficam soltas no líquido folicular , morte do ovócito vista pela alteração
do núcleo e citoplasma, pregueamento da zona pelúcida
- após a morte, magrófagos invadem o folículo e fagocitam os seus restos
- esse processo é grandemente acentuado após o nascimento, quando o efeito
de hormônios maternos cessa, e durante a puberdade e a gravidez, quando
acontecem marcadas modificações hormonais
- ovulação
- ruptura de parte da parede do folículo maduro e consequente liberação do
ovócito que será capturado pela extremidade diltada da tuba uterina
- acontece na época próxima à metade do ciclo menstrual
- geralmente só um ovócito é liberado pelos ovários durante cada ciclo, mas as
vezes nenhum ovócito é ovulado, ou dois ou mais ovócitos podem ser
expelidos
- estímulo para ovulação: pico de secreção de LH liberado pela hipófise em
resposta aos altos níveis de estrógeno circulante produzido pelos folículos em
crescimento
- poucos minutos após o aumento de LH circulante há um aumento do fluxo
de sangue no ovário, e proteínas do plasma escoam por capilares e vasos
resultando em edema
- há liberação local de prostaglandinas, histamina, vasopressina e
colagenase
- as células da granulosa produzem mais ácido hialurônico e se soltam de sua
camada
- ua pequena área da parede do folículo enfraquece por causa da degradação
de colágeno da túnica albugínea, por causa da isquemia e pela morte de
algumas células
- a contração de células musculares lisas que circundam o folículo
conduzem à ruptura de parte da parede exterior do folículo e à ovulação
- o ovócito, o primeiro corpúsculo polar, envoltos pela zona pelúcida, pela
corona radiata e juntamente com um pouco de fluido folicular deixam o ovário
e entram na extremidade aberta da tuba uterina
- a primeira divisão meiótica é completada um pouco antes da ovulação
- imediatamente após a expulsão do primeiro corpo polar o núcleo do ovócito inicia a
segunda divisão da meiose, que estaciona em metáfase até que haja fertiliação
- corpo lúteo
- após a ovulação, as células da granulosa e as células da teca interna do
folículo que ovulou se reorganizam e formam o corpo lúteo
- formação e estrutura
- perda do fluído folicular após a ovulação faz com que a parede do
folículo se torne pregueada
- cavidade do antro é invadido por tecido conjuntivo
- célula da granulosa passam a se chamar células da granulosa luteínica,
com características de células secretoras de esteroides
- células da teca se tornam em células da teca-luteínicas
- os vasos sanguíneos e linfáticos formam uma abundante rede vascular
- isso é resultado do estímulo pelo LH antes da ovulação
- células modificam seus componentes enzimáticos e começam a
secretar progesterona e estrógenos
- destino
- secreta durante 10 a 12 dias
- se não houver nenhum estímulo adicional, suas células degeneram por
apoptose e a secreção de progesterona decresce
- seus restos são fagocitados por macrófagos e fibroblastos adjacentes
invadem a área e produzem uma cicatriz de tecido conjuntivo denso
chamada corpo albicans
- caso haja a fertilização, as células trofoblásticas sintetizam HCG, que
estimula o corpo lúteo
- corpo lúteo da gravidez continua secretando progesterona,
estimulando a secreção das glândulas uterinas -> importante para a
nutrição do embrião
- células intersticiais
- células

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.