A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Doenças da Vulva, Vagina e Colo

Pré-visualização | Página 1 de 3

Doenças da Vulva, Vagina e Colo
· Visão Geral
· Contém 3 sistemas integrados
1) Glândulas Mamárias
2) Anexos Gestacionais (placenta – órgão temporário)
3) Trato Genital Inferior composta de:
a) Vulva – região externa
b) Vagina
c) Útero
***Canal Vaginal – 1º Sistema de proteção (encontra-se fechado / colabado)
A) Vulva – região mais externa
· Transição entre dois tipos de epitélio 
- Lábios maiores e Monte púbico (região de pele acima do órgão) – tecidos semelhantes ao tecido da pele
*** A epiderme vai sofrendo uma transição e adquirindo caráter de mucosa, semelhante ao tecido / mucosa da boca
· Composta de clitóris, lábios maiores, lábios menores – contém uma glândula de cada lado chamada de glândula de Bartholin e para saída do produto das glândulas contém 2 óstios (óstio da glândula vestibular maior), óstio da uretra, introito vaginal (entrada da vagina), períneo e anus
*** Obstruções no óstio podem causar a formação de abcesso na glândula por causa do processo inflamatório – grande e doloroso
· Histologia
· Epiderme (dividida em estratos – sofrem as primeiras alterações em algum tipo de lesão, pois é a região que têm contato com o meio externo – 1ª linha de defesa)
- Estrato Córneo
- Estrato Granuloso
- Estrato Espinhoso
- Estrato Basal (células imaturas que estão em contato direto com a lâmina basal)
· Derme Papilar
· Derme Reticular
*** Em uma lâmina de pele, a primeira coisa que se deve localizar é a lâmina basal, logo depois a primeira camada de células acima da lâmina basal é o estrato basal
B) Vagina / Canal Vaginal
· Canal com tamanho variado entre as mulheres
· Vai do vestíbulo da vagina até o colo do útero
· Composta principalmente de músculo liso
*** Controle que a mulher tem da musculatura da vagina advém da musculatura ao redor da parede vaginal, visto que a musculatura que compõe a vagina é musculatura lisa
· Fim da vagina contém o colo do útero e a região entre o colo do útero e o fim da vagina é chamado de fundo de saco 
*** Na região de fundo de saco ocorre a transição do epitélio que reveste a vagina e o colo do útero para o epitélio que reveste o útero internamente 
· Histologia
· Parede composta por 3 camadas:
1) Mucosa
· Epitélio estratificado pavimentoso
· Tecido conjuntivo frouxo rico em fibras elásticas (lâmina basal)
*** Próximo à lâmina basal encontram-se células pequenas, com muito núcleo e pouco citoplasma, a medida que elas vão subindo as camadas elas vão ficando mais claras, com citoplasma maiores e núcleos menores (cheias de glicogênio)
*** O glicogênio é importante para o metabolismo da flora, é a fonte nutricional das bactérias comensais da flora vaginal, ou seja, conforme as células vão amadurecendo e proliferando, recebem estímulo hormonal até descamar e ficar soltas compondo o conteúdo da flora vaginal, as bactérias presentes na flora vaginal vão consumir o glicogênio, para que assim elas consigam exercer suas funções. 
*** Sendo a principal bactéria presente na flora vaginal os lactobacilos, que vão produzir ácido láctico e ele vai fazer com que o pH da vagina seja ácido (< 4,0), garantindo a proteção para aquele local, garantindo um maior controle das bactérias que invadem aquele local, visto que são poucas as bactérias que sobrevivem aquele meio, além disso o pH ácido aumenta a descamação das células que se encontram na superfície do epitélio estratificado, garantindo um ciclo: célula descama → bactéria se alimenta → bactéria produz ácido láctico deixando o pH ácido → pH ácido provo a descamação
*** Em meninas que ainda não tiveram a menarca, o epitélio ainda não sofreu influência hormonal, logo ele será muito mais indiferenciado, ou seja, mais próximo das células basais, do que um epitélio tão espesso com células cheias de glicogênio
*** Já na menopausa (diminuição de estrogênio), ocorre uma atrofia do epitélio, visto que ele não está mais recebendo influencias hormonais, não têm mais o estimulo para as células se proliferarem e se diferenciar em células que armazenam glicogênio – sendo chamada assim de vagina atrófica, pois ela fica retraída, com menos lactobacilos devido a redução de glicogênio, ressecada (ocorre devido a espessura diminuída da parede vaginal e da flora diminuída que mantinha o conteúdo úmido dentro da vagina) 
2) Muscular
· Músculo liso
3) Adventícia
· Tecido conjuntivo denso
· Colo Uterino
· Transição e epitélio estratificado pavimentoso (desde introito da vagina, reveste toda a parede vaginal, passa pelo fundo de saco e vai até parte do colo uterino – até o orifício externo do colo uterino) tendo como principal característica a resistência que aguenta o pH 4 (ácido) e os atritos da relação sexual, transitando agora para um epitélio colunar simples (partindo do óstio do útero, canal cervical e todo o útero) 
*** Em um exame de Papanicolau (esfregaço = células soltas – não é possível conter lâmina basal, pois as células coletadas são as células superficiais tanto do epitélio estratificado, quanto do simples), é importante que contenha ambos os tipos epiteliais – exame realizado na rotina, e em caso de alteração na célula é realizado uma biopsia para verificar o que está ocorrendo no tecido
C) Colo Uterino
· Ectocérvice (ecto – o que está para fora + cérvice – sinônimo de colo uterino = o que está para fora do colo uterino) – região do colo do útero que é revestido de epitélio estratificado pavimentoso
· Junção Escamocolunar (escamo – vem da parte das células escamosas / estratificada e colunar – vem da parte do epitélio colunar simples) – ponto de transição de um epitélio para o outro
· Endocérvice (endo – o que está para dentro + cérvice – sinônimo de colo uterino = o que está para dentro do colo uterino) – região do colo do útero que é revestido de epitélio colunar simples 
*** Junção escamocolunar negativa (-2) – quando a junção está para fora do óstio, instalando-se um processo inflamatório para se iniciar um processo de metaplasia na tentativa de se tornar resistente ao pH
*** Pode ocorrer na menarca (período que ela mais recebe estímulo, muito provavelmente tenha esse epitélio que modificou até regular o estímulo hormonal, tornando-a mais vulnerável à doenças sexualmente transmissíveis, pois contém células expostas, imaturas e o HPV tem afinidade com células imaturas), que com o estímulo hormonal as células colunares do epitélio simples cresçam e se proliferem para além do óstio movendo a junção escamocolunar além do óstio do útero, tornando esta área muito mais sensível à lesão, visto que aquela região sofre atrito e contém um pH baixo, forçando aquele epitélio colunar simples a sofrer metaplasia, voltando a ser células imaturas primeiramente, o ciclo menstrual tende-se a se normalizar e o epitélio colunar regride anteriormente ao óstio
*** HPV em um epitélio íntegro, epitélio estratificado pavimentoso não consegue infectar, pois ele precisa de célula basal, célula imatura para infectar, durante a relação sexual existem microfissuras que abrem brechas no epitélio estratificado, facilitando a chegada do HPV nas células basais
· Infecções por HPV
· Causado pelo Papilomavírus Humano (HPV)
· IST mais comum no mundo entre as mulheres sexualmente ativas
· Contém ≅ 200 genótipos, sendo ≅ 40 infectam o trato ano-genital e 15 oncogênicos
Região de vulva, vagina, região perianal, anal, pênis (base principalmente)
Principais
Principais
· Epidemiologia
· Pico de prevalência ≅ 20 anos
· Maioria das infecções é transitória e eliminada pela resposta imune
- 50% eliminada em 8 meses 
- 90% eliminada em 2 anos 
*** Cepas oncogênicas levam mais tempo para serem eliminadas
*** Infecção persistente aumenta o risco para o desenvolvimento de lesão cervical e carcinoma
· Fatores de risco
· Coitarca (1ª relação sexual) precoce – pois o colo do útero está exposto, células colunares que cresceram além do orifício nos primeiros períodos hormonais, facilitando a entrada do HPV nas células imaturas pois o epitélio imaturo está exposto
· Múltiplos parceiros sexuais / Parceiro com múltiplas parceiras anteriores– maior chance de contaminação, maior

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.