A maior rede de estudos do Brasil

Quais as alterações a insulina pode provocar no nível do metabolismo lipídico?


1 resposta(s)

User badge image

Fábio

Há mais de um mês

O processo metabólico dos lipídios está relacionado à quebra dos carboidratos e da gordura, dois elementos fundamentais da diabetes mellitus. O metabolismo lipídico ocorre no pâncreas e a maioria das etapas desse processo é regulada pela insulina. Problemas com a insulina, relacionados tanto à diabetes tipo 1 quanto à diabetes tipo 2, podem causar um impacto profundo no processo metabólico dos lipídios.

Entende-se que, uma vez que a insulina opera um papel tão importante no metabolismo dos carboidratos, ela também afetará o metabolismo dos lipídios, incluindo a síntese dos ácidos graxos no fígado, quebra das gorduras no tecido adiposo e absorção de gorduras. Açúcar em excesso, devido à deficiência de insulina, é armazenado no tecido adiposo na forma de triglicerídeos (um tipo de lipídio).

De forma geral, a insulina afeta todo o metabolismo de carboidratos (“açúcares no sangue”), dos ácidos graxos (causando acidoses e aterosclerose) e das proteínas (capacidade diminuída de síntese).

A insulina, sempre que houver excesso de carboidratos, estará presente. Ela desempenha papel importante no armazenamento de substâncias energéticas: um aumento de glicose originará, via insulina, formação de glicogênio no fígado. Haverá também formação de ácidos graxos e seu armazenamento nos tecidos adiposos, além de inibição da proteólise.

 

O processo metabólico dos lipídios está relacionado à quebra dos carboidratos e da gordura, dois elementos fundamentais da diabetes mellitus. O metabolismo lipídico ocorre no pâncreas e a maioria das etapas desse processo é regulada pela insulina. Problemas com a insulina, relacionados tanto à diabetes tipo 1 quanto à diabetes tipo 2, podem causar um impacto profundo no processo metabólico dos lipídios.

Entende-se que, uma vez que a insulina opera um papel tão importante no metabolismo dos carboidratos, ela também afetará o metabolismo dos lipídios, incluindo a síntese dos ácidos graxos no fígado, quebra das gorduras no tecido adiposo e absorção de gorduras. Açúcar em excesso, devido à deficiência de insulina, é armazenado no tecido adiposo na forma de triglicerídeos (um tipo de lipídio).

De forma geral, a insulina afeta todo o metabolismo de carboidratos (“açúcares no sangue”), dos ácidos graxos (causando acidoses e aterosclerose) e das proteínas (capacidade diminuída de síntese).

A insulina, sempre que houver excesso de carboidratos, estará presente. Ela desempenha papel importante no armazenamento de substâncias energéticas: um aumento de glicose originará, via insulina, formação de glicogênio no fígado. Haverá também formação de ácidos graxos e seu armazenamento nos tecidos adiposos, além de inibição da proteólise.

 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos estudantes