A maior rede de estudos do Brasil

2018 entra para a história como o ano em que a onda protecionista quebrou sobre o sistema multilateral de comércio.

Leia o texto a seguir:

2018 entra para a história como o ano em que a onda protecionista quebrou sobre o sistema multilateral de comércio. Se, por um lado, ainda é cedo para medir a extensão exata dos efeitos propagados pelo tsunami da guerra comercial entre Estados Unidos e China, por outro já é evidente que se tornou mais difícil para as empresas se inserirem num mundo no qual os principais mercados têm se fechado.

Mesmo diante deste cenário adverso, o Brasil surpreendeu e foi capaz de conquistar avanços importantes no comércio internacional ao longo dos últimos dois anos. As exportações brasileiras ultrapassaram, em 2018, o patamar de US$ 230 bilhões, maior valor dos últimos cinco anos, enquanto as importações superaram o montante de US$ 170 bilhões.

O país também avançou nas negociações comerciais, lançando rodadas de livre comércio com o Canadá, Coréia do Sul e Singapura, e também com blocos econômicos maduros como a Associação Europeia de Livre Comércio (EFTA) e a Aliança do Pacífico.

Apesar de ainda não termos visto a conclusão das negociações entre Mercosul e União Europeia, em novembro deste ano o Brasil assinou com o Chile um importante acordo de livre comércio. Esse acordo já nasce histórico não apenas por conta da eliminação de tarifas de importação em 24 áreas, mas sobretudo por incluir temas regulatórios que contemplam o que há de mais moderno no mundo, incluindo provisões para desburocratização das aduanas, facilitação do comércio eletrônico e eliminação de cobrança de roaming internacional para dados e telefonia móvel.

PETRUS, Gabriel. O Brasil teve um ano glorioso no comércio internacional. Exame. Disponível em: < https://exame.abril.com.br/blog/gabriel-petrus/o-brasil-teve-um-ano-glorioso-no-comercio-internacional/ (Links para um site externo.)

 >. Acesso em: 06 Mai. 2019.

Considerando as informações apresentadas, assinale a opção correta.


Ainda não temos resposta. Você sabe responder?