Resumo Completo - Aula Fabio Leite
36 pág.

Resumo Completo - Aula Fabio Leite


DisciplinaDireito Constitucional III1.723 materiais12.558 seguidores
Pré-visualização12 páginas
Seu objeto é apenas lei federal.
Apesar da lei 9868 definir apenas quatro legitimados para impetrar ADC, EC de 2004 estende tal competência a todos no rol do art. 103, CF.
31/03
Questão da ambivalência.
ADI não visa a declaração de constitucionalidade, tal presunção já existe.
Com a ADC, porém, seria seu efeito tornar essa presunção relativa em absoluta, com o objetivo de por fim a um estado de incerteza jurídica.
Deve haver controvérsia judicial \u2013 se tal controvérsia for teórica, doutrinária, não é suficiente para motivar ADC.
É realmente difícil imaginar ADC julgada improcedente e ADI não julgada procedente: aí se baseia a tese da ambivalência \u2013 mas o mesmo não necessariamente ocorreria se ADI for improcedente, caso no qual ADC pode não ser procedente.
ADC põe fim ao questionamento: nenhum outro juiz pode ter nova leitura ou opinião diferente sobre a lei em questão \u2013 apenas o legislativo poderá modificar esse entendimento, por ser órgão criador da lei, não exercer, de regra, função jurisdicional.
Desrespeito a ADI ou ADC ensejaria reclamação (ação autônoma originária no STF por desrespeito a decisão vinculante): o STF pode revir parte da decisão em ADC por meio do julgamento de reclamação, como já ocorreu \u2013 reconhece que, em dada situação, a lei é ou não constitucional, apesar de decisão contrária anterior.
Súmula vinculante ou controle abstrato vincularia o Presidente da República editando MP? Não vincularia, pois, apesar de ser parte da administração pública, é exercício legislativo, está criando lei.
Teoricamente, se ADC pode declarar inconstitucionalidade, o AGU deveria se manifestar para defender a constitucionalidade da lei (min. Marco Aurélio defendeu essa posição), porém, hoje a manifestação do AGU já é dispensável.
ADIO \u2013 Ação direta de inconstitucionalidade por omissão. (plano de aula 5)
Tem como único efeito a recomendação do STF ao órgão legislativo competente de que é necessário dispositivo legislativo que trate do que reconhece inconstitucional por omissão (para órgão administrativo, o judiciário determina a ação).
Art. 103, § 2º - efeitos da ADIO.
Lei 9868 tem capítulo sobre a ADIO.
Legitimidade ativa é a mesma da ADI.
Em razão de sua ineficácia, é uma ação pouco importante na ordem constitucional brasileira.
5/04
ADPF (argüição de descumprimento de preceito fundamental).
Antes de 99 (de ser regulada por legislação pertinente), foi proposta uma ADPF, mas não foi conhecida pelo STF \u2013 com a justificativa de que faltava regulação.
Como o descumprimento de preceito fundamental não configura inconstitucionalidade? O legislador, ao regulamentar a ADPF, define que é remédio subsidiário (se não há outro meio idôneo e eficaz, observe-se, porém, que há debate a respeito da eficácia de outros dispositivos, como o MS), ou seja, se couber ADI (ou ADC, ADIO etc. \u2013 mas seu ponto de intersecção relevante é com a ADI), não cabe ADPF.
ADPF pode ter como objeto o ato normativo secundário, ao passo que em ADI não é possível.
ADPF é mais ampla que a ADI. Pode ser objeto de ADPF lei municipal ou anterior à CF/88.
Na teoria (de acordo com Fábio Leite), após admitir a constitucionalidade desse dispositivo, o STF deveria admitir ADI para normas anteriores à CF, pois o argumento do min. Paulo Brossard, que rege tal pensamento, esvaziou-se.
Preceitos fundamentais \u2013 incluem os princípios fundamentais, princípios constitucionais sensíveis (aqueles que, se violados, dão ensejo à intervenção federal \u2013 art. 34, VII, CF), garantias individuais e coletivas.
A idéia era criar um dispositivo que garantisse o acesso à tutela constitucional do STF a qualquer um, fosse proteção contra lesão constitucional: porém, o presidente vetou essa parte do dispositivo, aproximando ainda mais a ADPF da ADI, já que os legitimados para propor são os mesmos.
Pressuposto para propor ADPF \u2013 inexistência de outro meio idôneo eficaz (mais eficaz que a ADPF) para acabar com a lesão: isso gera diversas controvérsias a respeito de quais meios seriam eficazes \u2013 MS, por exemplo, não tem o mesmo efeito que a ADPF.
A respeito de lei anterior à CF que teria sido revogada, não cabe ADI, mas, por mera construção do STF, caberia ADPF. Foi objeto de ADPF uma lei estadual de 99 então já revogada (ADPF 33), já que não poderia ser objeto de ADI e seus efeitos ainda geravam insegurança jurídica. O STF admitiu, mas consignou que lei revogada pode ser admitida nesse dispositivo apenas se violar preceitos fundamentais.
A ADPF pode também questionar a constitucionalidade de dispositivo sem redução de texto (como a ADI), considerando interpretação inconstitucional, sem modificar a lei (exemplo é a ADPF do aborto de fetos anencéfalos, a ser julgada \u2013 não extingue ou modifica o crime de aborto, apenas pede que seja modificada sua interpretação: no aborto de fetos anencéfalos, não haveria vida, bem jurídico protegido pelo tipo penal, a ser tutelada).
Plano de aula 6 \u2013 controle de constitucionalidade abstrato-concentrado em âmbito estadual.
Uma lei estadual pode ser inconstitucional também por violar a constituição estadual (novidade efetivamente trazida pela CF/88) \u2013 e devem também estar a essa subordinadas as leis municipais (pela CF, Constituição Estadual e lei orgânica dos municípios).
O controle de constitucionalidade em âmbito estatal, na CF, está presente no art. 125 (poder judiciário dos estados, e não na parte que trata de estados).
A ação que trata desse controle é a hoje chamada representação de inconstitucionalidade (nomenclatura adotada apenas pelo RJ, os outros chamam de ação direta de inconstitucionalidade).
O Estado tem liberdade para determinar quem tem legitimidade para propor tal ação, com a limitação de que devem ser pelo menos dois legitimados (para que ninguém tenha o monopólio de tal prerrogativa). O parâmetro para definir os legitimados é apenas e tão-somente a Constituição Estadual (RJ, por exemplo, em seu art. 162, define nos termos análogos da CF, mas SP, por outro lado, estabeleceu maior número de legitimados).
Não cabe, porém, controle abstrato a respeito de lei municipal que não desrespeite a constituição estadual (mas apenas a lei orgânica) \u2013 é possível em inconstitucionalidade formal.
Lei estadual que viole garantia em comum disposta na CF e Constituição Estadual (como alguma das garantias ou limitações dispostas no art. 37, CF) viola ambas.
Podemos observar três tipos de normas estaduais: (apenas as normas de reprodução ou reprodução obrigatória têm nomenclatura ampla na doutrina)
Normas idênticas \u2013 normas que são, por inspiração ou coincidência, semelhantes às da CF, o Estado não era obrigado, mas copiou ou se inspirou no dispositivo da CF. Essas normas são tipicamente estaduais, apesar de iguais às da CF.
Normas não idênticas \u2013 normas próprias do Estado.
Normas de reprodução ou reprodução obrigatória \u2013 normas que os estados têm de observar, como as dispostas no art. 37, CF. São federais e estaduais ao mesmo tempo. Nessas que surge um problema: podem ser objeto tanto de ADI quanto de representação de inconstitucionalidade. Diz a doutrina que a ADI vincularia a decisão do TJ. O MP pode interpor RE ao STF. Se, porém, é norma municipal, só caberá RE se o parâmetro for de norma de reprodução (imposta aos municípios). Seriam também esses (os únicos) casos de RE com eficácia erga omnes, pois o controle ainda é abstrato.
7/04 \u2013 tópico 2, plano de aula 1
Tópico 2 \u2013 Direitos e garantias fundamentais.
2.1. Direitos e garantias individuais e coletivos:
Ações Constitucionais
Esse termo não tem uso unânime \u2013 parte da doutrina utiliza \u201cremédios constitucionais\u201d ou \u201cwrits constitucionais\u201d , mas Fábio Leite prefere utilizar o disposto, apesar de confuso.
Essas são as dispostas na CF, art. 5º, LXVIII a LXXII.
- Habeas Corpus
Obs. Terminologia: impetra-se um HC ou MS (também habeas data e mandado de injunção), para que seja concedido [para ações judiciais, o termo mais adequado tecnicamente seria \u2018ajuizar\u2019, ainda que possa ser utilizado em HC, MS, Habeas Data ou Mandado