A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
Análise de Decisão - Diagrama de Ishikawa e Princípio de Pareto

Pré-visualização | Página 1 de 1

Análise de Decisão
Diagrama de Ishikawa e Princípio de Pareto 
Alunos: Ana Paula, Cairine, Erick e Maria Clara
Professora: Maria do Carmo 
DIAGRAMA DE ISHIKAWA
Kaoru Ishikawa
13 de julho de 1915 - 16 de abril de 1988
Formado em química pela universidade de Tóquio em 1939
UCEJ 1949
controle de qualidade de qualidade
Nova abordagem em relação a cultura de qualidade japonesa
Diagrama de Ishikawa ( diagrama causa e efeito, espinha de peixe)
Fácil utilização e versatilidade entre vários tipos de empresas.
Diagrama de Ishikawa
Conhecido também por Diagrama de Causa e efeito ou Diagrama de espinha de peixe é uma ferramenta visual para levantar todas as possíveis causas  de um problema e assim descobrir quais são as verdadeiras causa-raízes do problema.
O diagrama é conhecido por esses três nomes porque foi criado pelo  expert em controle de qualidade Kaoru Ishikawa na década de 60, sua forma visual se assemelha a um esqueleto de peixe.
Uma das 7 ferramentas da qualidade.
Uma ferramenta visual que tem como função auxiliar as análises das organizações na procura da causa principal de um problema, em sua raiz
Benefícios 
Entender melhor como são formados os problemas nos processos;
Levantar e identificar possíveis causas destes problemas;
Definir níveis de importância para cada causa;
Criar um diagrama visual para análise rápida e precisa;
Melhorar processos e produtos;
Descobrir outros pontos de melhoria a medida que desdobra um problema;
Organizar as ideias da sua equipe em um só lugar.
Como fazer um diagrama?
6M
Definidos pelo Ishikawa como as seis causas que geralmente é a causa dos problemas
É comum as empresas deixarem esses pequenos problemas que estão enraizados no processo atrapalharem o desenvolvimento e o dia a dia da organização. Porém o diagrama de Ishikawa consegue lidar, desde o problema mais simples ao mais complexo, se tornando uma importante ferramenta de planejamento.
PRINCÍPIO DE PARETO 
Joseph Moses Juran
Embora receba o nome do sociólogo, cientista político e economista italiano Vilfredo Pareto, na realidade, o Princípio de Pareto foi sugerido pelo consultor de negócios Joseph Moses Juran.
24 de dezembro de 1904 – 28 de fevereiro de 2008
1920 Juran entrou para a Universidade do Minnesota, e formou em 1924 como Engenheiro Elétrico.
Responsável pelo desenvolvimento extraordinário experimentado pelas indústrias japonesas após a II Guerra Mundial e o precursor dos sistemas de gestão de qualidade.
Princípio de Pareto
O Princípio de Pareto, também conhecido por regra oitenta-vinte,  afirma que para uma determinada quantidade de eventos,  aproximadamente 80% dos problemas decorrem apenas de 20%  das causas. 
Juran desenvolveu o princípio, com base nos estudos do economista italiano Vilfredo Pareto, que observou, que apenas 20% da população dos mais ricos de seu país, detinham um total de 80% da riqueza.
 Trata-se de um conceito que trabalha com múltiplos eventos.
Como funciona?
Ao fazer análises a partir da regra 80/20, certamente, não esperamos encontrar números exatos dentro desse padrão. Isso não seria nada natural, assim como nem sequer é recomendável utilizar essa regra o tempo todo.
Na realidade, o Princípio de Pareto é apenas uma propensão dos resultados que, dentro dos negócios, costuma se expressar em dados como:
80% do faturamento é resultante de 20% dos clientes;
80% das vendas são provenientes de 20% dos produtos;
80% das reclamações são feitas por 20% dos clientes;
80% das vendas se devem a 20% do time de vendas;
80% dos resultados se devem a 20% dos investimentos.
A partir de informações como essas, podemos criar uma relação entre esforço e recompensa, na qual 20% dos insumos, esforços e causas produzem 80% das saídas, resultados e consequências.
Por exemplo, você pode enxergar suas tarefas da seguinte maneira: 80% dos resultados derivam de 20% dos esforços.
Isso significa passar mais tempo na execução de tarefas que realmente importam.
No entanto, o oposto se aplica, pois se você sente que algo ocupa 80% do seu tempo, energia ou recursos, mas percebe que está produzindo apenas 20% dos seus resultados, está na hora de tomar uma atitude.
Sendo assim, o Princípio de Pareto pode ajudar uma empresa a gerenciar seus recursos de uma forma mais sábia, concentrando os esforços e o tempo dos seus gestores e colaboradores em pontos chaves (os 20% que garantem 80% do seu retorno).

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.