A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
A TRAJETÓRIA DA AGRICULTURA NO BRASIL E OS IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELA AGRICULTURA COMERCIAL

Pré-visualização | Página 1 de 5

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 
NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO FAVENI 
 
BIOTECNOLOGIA 
 
 
 
 
ÉRICA AMADIO IERIC 
 
 
 
 
 
A TRAJETÓRIA DA AGRICULTURA NO BRASIL E OS IMPACTOS AMBIENTAIS 
CAUSADOS PELA AGRICULTURA COMERCIAL. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SOROCABA 
2021 
2 
 
TÍTULO DO TCC: A TRAJETÓRIA DA AGRICULTURA NO BRASIL E OS 
IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS PELA AGRICULTURA COMERCIAL. 
 
Érica Amadio Ieric1 
 
 
Declaro que sou autor (a)¹ deste Trabalho de Conclusão de Curso. Declaro também que o mesmo foi 
por mim elaborado e integralmente redigido, não tendo sido copiado ou extraído, seja parcial ou 
integralmente, de forma ilícita de nenhuma fonte além daquelas públicas consultadas e corretamente 
referenciadas ao longo do trabalho ou daqueles cujos dados resultaram de investigações empíricas por 
mim realizadas para fins de produção deste trabalho. 
Assim, declaro, demonstrando minha plena consciência dos seus efeitos civis, penais e administrativos, 
e assumindo total responsabilidade caso se configure o crime de plágio ou violação aos direitos 
autorais. (Consulte a 3ª Cláusula, § 4º, do Contrato de Prestação de Serviços). 
 
RESUMO 
 
O presente trabalho tem como proposta contextualizar a trajetória da agricultura desde a sua origem a 
milhares de anos até o momento atual, dando ênfase para as primeiras formas de cultivo e a evolução 
da agricultura brasileira de modo a atender a demanda proveniente da expansão populacional, além 
de apontar os impactos ambientais gerados pela mecanização das lavouras. Através de uma revisão 
literária o autor buscou de forma sucinta abordar aspectos gerais dos principais meios de cultivo no 
Brasil e expor que mesmo apontando forte crescimento econômico, a modernização de determinado 
meio de cultivo pode ser nociva ao meio ambiente e a saúde humana. 
 
 
PALAVRAS-CHAVE: Agricultura. Impacto ambiental. Mecanização. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1 Aluna do curso de Pós-graduação em Biotecnologia da Faculdade Venda Nova do Imigrante 
– FAVENI, Sorocaba, 2021. 
3 
 
1. INTRODUÇÃO 
A agricultura está fortemente ligada ao nosso cotidiano, visto que é através dela 
que garantimos a subsistência alimentar da humanidade, a agricultura tem como 
premissa a utilização de diferentes métodos e técnicas de cultivo no solo, para que 
uma variedade de vegetais comestíveis chegue até nossa mesa. As técnicas de 
cultivo tiveram seu surgimento a milhares de anos atrás, considerada uma das 
práticas mais antigas da humanidade. De modo geral, a agricultura desde o seu 
surgimento sempre visou em atender as demandas de obtenção de recursos 
energéticos de outras civilizações. 
Atualmente, a agricultura torna-se cada vez mais importante, não só para 
cultivo de vegetais para alimentação humana, mas também para alimento para 
diversas espécies animais. Além disso, os alimentos produzidos no campo possuem 
grande valor econômico, fazendo a engrenagem da economia mundial girar, visto que 
eles não abastecem apenas o setor primário, como também o secundário através do 
fornecimento de matérias-primas. 
Por tanto, o presente trabalho visa fazer uma retrospectiva da origem da 
agricultura até o momento, através de revisões bibliográficas de periódicos e livros 
que abordam a temática, de modo a relatar sua evolução e a importância 
socioambiental, não deixando de fora os avanços tecnológicos que vem favorecendo 
os meios de cultivo no campo e consecutivamente gerando impactos ambientais. 
O presente trabalho torna-se importante ao revisitar a importância do principal 
método de obtenção de recursos alimentares que garante a subsistência da 
humanidade desde as primeiras civilizações até o prezado momento. 
 
2. DESENVOLVIMENTO 
 
2.1. Ecologia e agricultura 
Ao pensarmos no desenvolvimento e perpetuação da agricultura ao longo de 
centenas de anos, é preciso contextualizarmos com o que possa ter dado origem a 
necessidade de uma determinada população em obter recursos alimentares através 
das plantas. O planeta Terra originou-se há mais de 4,6 bilhões de anos, entretanto, 
4 
 
somente há 3,5 milhões de anos as primeiras formas de vida foram surgindo 
(MOZOYER; ROUDART, 1997). 
De 3,5 milhões de anos até os dias atuais, surgiram centenas de milhares de 
espécies, graças aos processos evolutivos. Entretanto, muitas dessas espécies ainda 
são desconhecidas por nós, visto que, centenas delas desapareceram com o passar 
dos anos por diferentes fatores e/ou ainda não foram descobertas (MOZOYER; 
ROUDART, 1997). 
A agricultura e a ecologia estão fortemente correlacionadas, por isso, ao 
pensarmos na agricultura ao nível global ou local, torna-se imprescindível tomarmos 
notas sobre conceitos gerais da ecologia e a diversidade de espécies vegetais. 
Segundo o relatório produzido pelo State of the Plants (2016), há cerca de 
390.900 espécies de vegetais que já foram catalogados, entretanto, sabemos que 
esse número pode ser muito mais expressivo, visto que, a cada ano que passa, os 
pesquisadores identificam novas espécies. 
Ainda em termos básicos da ecologia, quando pensamos em populações, elas 
são compostas por indivíduos de uma mesma espécie, viventes em determinado 
tempo e local. As poluções estão inseridas em nichos ecológicos, contanto muitas 
vezes, com diversidades de organismos viventes ali, como, por exemplo, os 
hominídeos, animais e vegetais (MOZOYER; ROUDART, 1997). No que lhe concerne, 
os vegetais não demandam de tantos recursos como os hominídeos e animais, visto 
que, conseguem atender suas próprias demandas através de substâncias orgânicas 
presentes na luz solar, no solo, na água e na atmosfera, conhecidos então, como 
seres autotróficos. Diferente dos animais e hominídeos, conhecidos como 
heterotróficos, visto que precisam obter seus recursos energéticos provenientes do 
consumo de animais ou de espécies vegetais, por isso, subentende-se a necessidade 
da agricultura para o desenvolvimento de populações (MOZOYER; ROUDART, 1997). 
2.2. Agricultura – um panorama geral. 
A atividade agrícola está fortemente associada à perpetuação de comunidades 
humanas em determinados locais, visto que seu desenvolvendo um papel 
fundamental para a expansão dos povos. De acordo com Mozoyer & Roudart. (1997) 
isso permeia desde 10.000 anos. Povos localizados no norte da África e oeste da Ásia 
5 
 
foram abandonando progressivamente à caça para dar espaço para os cultivos de 
grãos. Datava-se então, o início do cultivo de terra, que mais tarde conheceríamos 
como agricultura (EHLERS, 2009). 
Se regressarmos um pouco na história, podemos notar que os primeiros 
hominoideos, desde o homem de neandertal até antropoides de eras mais recentes, 
tinham como modo de vida, a captura de alimentos silvestres, sejam eles através da 
caça de animais e/ou coleta frutas silvestres, onde eram denominados caçadores-
coletores (FELDENS, 2018). 
Foi a partir deste modo de vida, que pequenos grupos antropoides se 
perpetuavam em determinadas localidades, sem haver um desequilíbrio ecológico, 
entretanto, quando mais recursos houvesse em determinada área, melhor são as 
condições para que um povo se estabeleça aí, sendo assim, com o passar das 
décadas, os pequenos aglomerados, tornam-se mais populosos resultando nas 
primeiras civilizações (FELDENS, 2018). 
Devido à expansão da população dos primeiros grupos antropoides, passa-se 
a demandar de mais espaço e, consecutivamente, de mais recursos naturais para 
comportar os mesmos, assim, garantir-lhes a sobrevivência. Com isso, começam a 
surgir às primeiras escassezes, e os povos precisam lidar com isso de maneira 
inteligente, como hominoideos são seres pensantes, surge à necessidade de migrar 
de área, de modo a atender as demandas da população local, como mais abundância 
de água, alimentos, etc. (FELDENS, 2018). 
No entanto, no que diz respeito à agricultura, ela teve sua origem ainda na pré-
história.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.