A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
Roteiro para sabatina de Pediatria

Pré-visualização | Página 2 de 3

tenesmo. 
Genitourinário: alteração da cor da urina, alteração do jato urinário, alterações
menstruais, corrimento vaginal ou uretral, dor ou massas testiculares, disúria,
enurese, incontinência, polaciúria, hematúria, hérnias, nictúria, poliúria. 
Neurológico: alteração da marcha ou do equilíbrio, cefaleia, convulsões, desmaios,
dislalias, paralisias, paresias, parestesias, perda de memória, vertigens. 
Endócrino: bócio, fome ou sede excessivas, instabilidade ao calor ou frio, sudorese
excessiva. 
Psiquiátrico: agitação, alteração do humor, ansiedade, depressão, nervosismo,
tensão. 
Personalidade: desobediência, hiperatividade, irritabilidade, medo, preguiça,
temperamento difícil ou destrutivo, timidez, tristeza. 
Comportamento: chupar dedo, dificuldade de relacionamento, enurese, encoprese,
fobia escolar, gagueira, masturbação, perversão do apetite, problemas de sono,
problemas sexuais, roubo, uso de drogas (álcool, tabaco, outras drogas)
Testes de triagem
Estado Geral (bom, regular, comprometido ou ruim), fácies, presença de
malformações congênitas, biotipo/conformação corpórea, atitude (ativo, hipoativo,
atitude passiva, posições características, movimentos significativos), estado psíquico
(irritado, prostrado, obnubilado, sonolento, comatoso), estado de nutrição e
hidratação, coloração da pele e mucosas, reação da criança aos pais,
acompanhantes e médico, presença de edema. 
Completar a ectoscopia com uma inspeção geral da pele, anexos e subcutâneo - Cor:
(pigmentação, cianose, palidez, icterícia), Vasos sanguíneos: Pulsos, alterações
vasculares (telangiectasias, hemangiomas, circulação colateral, púrpura - petéquias e
equimoses), erupções, dermografismo, , xantomas, nódulos subcutâneos, turgor e
elasticidade, escamação, estrias, cicatrizes, estado de hidratação (umidade das
mucosas, turgor e elasticidade, fontanelas, enoftalmia), edema, enfisema. Unhas:
cianose, palidez, pulsação capilar, coloração, estrias, infecção (paroníquia). Cabelos:
distribuição, coloração, textura. 
Avaliar cheiro, aparência, marcha da criança (atáxica, tabética, cerebelar ou
escavante) e a atitude desde que entra para consulta. Podendo, assim, caracterizar
possíveis atitudes inesperadas: ortopneica (pacientes respiratórios), genupeitoral
(apendicite), cócoras (pericardite e tetralogia de Fallot), antálgica (dor abdominal) e
de gatilho (dor abdominal). 
Sinais vitais: temperatura, FC, FR, PA e perfusão (menor que 2s).
Exame físico
1. Ectoscopia
Frequência respiratória
Exame físico
Frequência cardíaca
Gráfico de peso
Exame físico
Exame físico
Gráfico de comprimento
Exame físico
Perímetro cefálico
Cabeça
Crânio: tamanho, presença de lesões e cistos, características dos cabelos, pontos
dolorosos, tumorações.
Face: inspeção - alterações na coloração e tumores; palpação - avaliar dor e
sensitividade bilateral.
Olhos: inspecionar os globos oculares, córnea, esclerótica, tamanho das pupilas e
sua reação à luz, inspecionar e palpar as pálpebras, verificar acuidade visual.
Fossas nasais: inspecionar a forma, o tamanho e a presença de inflamações.
Ouvido: inspecionar externamente (alterações de pele, massas e secreção), palpar
ouvido externo e mastoide avaliando a presença de dor, examinar canal auditivo e
membrana timpânica com otoscópio, avaliar audição com testes de Rinne e Weber
(diapasão).
Boca: inspecionar mucosa, dentes, úvula, amígdalas, língua (em cima, embaixo e
lateral). Observação: inspecionar com luz, solicitando para abrir a boca, colocar a
língua para fora, falar "ahhh" e elevar a língua.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Pescoço
Inspeção: desvios de traqueia, contratura muscular.
Palpação: glândula tireoide (consistência e nodulações), linfonodos.
Exame físico
2. Cabeça e pescoço
Linfonodos
Exame físico
3. Cardiovasccular
Manifestações comuns das doenças cardiovasculares: dispneia, fadiga, precordialgia,
palpitações, desmaio, edema, cianose. Importante avaliar: sinais vitais, nível de
consciência, perfusão periférica, coloração das extremidades, estase de jugular,
ascite.
Inspeção/palpação: localizar o ictus cordis (normal: 5° espaço intercostal esquerdo
na linha médio clavicular. Cardiomegalias: deslocado para a esquerda e para baixo
próximo à linha axilar). Buscar frêmitos, pulsações epigástrica, supraesternal e
jugular. Palpar pulsos.
Observação: pulso parvus tardus: baixa amplitude (estenose de valva aórtica); pulso
em martelo d'água: grande amplitude (insuficiência de valva aórtica)
Ausculta
Foco aórtico: 2° EIC direito na linha paraesternal direita
Foco pulmonar: 2° EIC esquerdo na linha paraesternal esquerda
Foco tricúspide: 4° ou 5° EIC esquerdo na linha paraesternal esquerda
Foco mitral: 5° EIC esquerdo na linha hemiclavicular esquerda
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Bulhas cardíacas
B1: fechamento das valvas tricúspide e mitral (TUM)
B2: fechamento das valvas pulmonar e aórtica (TA)
B3: início da diástole; som auscultado imediatamente depois de B2
B4: final da diástole, som de "galope" auscultado imediatamente antes de B1
Sopros
Sistólico: estenose aórtica ou insuficiência mitral/tricúspide.
Diastólico: insuficiência aórtica ou estenose mitral/tricúspide.
Radiação do sopro
Axila: insuficiência de valva mitral
Carótida: estenose de valva aórtica
Exame físico
3. Cardiovasccular
Exame físico
4. Respiratório
Inspeção: comparar ambos os lados do tórax analisando a forma (tórax em tonal,
funil, peito de pombo - pectus carinatum - e cifoescoliose torácica), tiragem
intercostal e respiração paradoxal, determinar frequência e ritmo respiratório
Palpação: traqueia, massas e desvios, tórax, amplitude dos movimentos
Percussão: som claro pulmonar/maciço/timpânico
Ausculta: ruídos respiratórios, murmúrio vesicular (bem distribuído/reduzido em
algum segmento), ruídos adventícios, roncos, sibilos, cornagem, atrito pleural e sons
crepitantes.
Inspeção: forma (plano/globoso), cicatrizes, circulação colateral, estrias, varizes,
pulsação, abaulamentos e hematomas
Ausculta: ruídos hidroaéreos (presente/ausente/aumentado), sopros em focos
arteriais (artéria aorta e renal)
Percussão: timpânico/submaciço/maciço, delimitação da macicez hepática
Palpação: indolor/doloroso à palpação superficial e profunda, presença/ausência de
visceromegalias, presença/ausência de massas palpáveis, espaço de Traube livre
(baço), ascite (sinal de piparote positivo/negativo), fígado (tamanho/superfície -
lisa/irregular, borda - fina/cortante/romba, consistência - mole/endurecida).
Observação: inicie a palpação pelo ponto mais distante da dor referida pelo paciente
Manobras e sinais
Murphy: tosse ou inspiração profunda durante palpação do quadrante superior
direito > dor e interrupção da inspiração (colecistite)
Blumberg: palpação do quadrante inferior direito no ponto de McBurney > dor
durante a descompressão (apendicite)
Rovsing: palpação do quadrante inferior esquerdo > dor referida em quadrante
inferior direito (apendicite)
Obturador: rotação interna da perna direita com o joelho flexionado > dor referida
em quadrante inferior direito (apendicite)
Giordano: punho percussão lombar > dor (pielonefrite)
Exame físico
5. Abdome
Pode ser um sintoma isolado ou acompanhado de outros sinais e sintomas. Nem
sempre é sinal de gravidade.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Febre aguda: <2 semanas. Podendo ser localizada ou indeterminada (conhece ou
não o foco da febre). Febre de origem obscura ou desconhecida: >2 semanas e sem
foco determinado. 
Etiologias: infecciosa (mais comum: viral), vacinas (podendo aparecer de 4 a 72h
após e durar até 3 dias), intoxicações, neoplasias (febre noturna sem mais sintomas),
colagenoses, endócrinas, etc. 
Quadro clínico: prostração, irritabilidade, extremidades frias, cianose nas unhas (leito
engueal), delírio e tremores. 
Fatores de risco: idade (menores de 3 meses: alto risco), cronologia (até 72h, conta-
se em horas; a partir disso, em dias), caráter da febre (saber valores e quantidade de
vezes que houve febre) e estado geral da criança quando