A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
pessoa jurídica

Pré-visualização | Página 1 de 1

Pessoa jurídica tem uma personalidade jurídica própria 
Constituição da pessoa jurídica 
➔ Vontade humana criadora: A pessoa jurídica tem sua 
gênese na vontade humana, vontade eminentemente 
criadora que, para ser eficaz, deve emitir-se na 
conformidade do que prescreve o direito positivo. 
Intenção de criar uma entidade distinta dos seus 
membros. 
➔ Elaboração do ato constitutivo e seu registro no 
órgão competente (PJ Dpriv)* 
➔ A pessoa jurídica pode ser de direito privado ou 
publico 
➔ observância das prescrições legais relativas à sua 
constituição - É a lei que determina a forma a que 
obedece a declaração de vontade. 
➔ Liceidade, determinação e possibilidade dos seus 
objetivos - sem o qual não poderá haver pessoa 
jurídica, ainda que se agreguem pessoas naturais e 
se encontrem presas pelo encadeamento psíquico. 
(=licitude) 
 
A pessoa jurídica possui vários direitos, tais como alguns 
relacionados com a proteção dos direitos da 
personalidade (art. 52 do CC), com o direito das coisas (a 
pessoa jurídica pode ser proprietária ou possuidora), 
direitos obrigacionais gerais (tendo a liberdade plena de 
contratar como regra geral), direitos industriais quanto às 
marcas e aos nomes (art. 5.º, XXIX, da CF/1988) e direitos 
sucessórios (a pessoa jurídica pode adquirir bens mortis 
causa, por sucessão testamentária). 
 
Quando há aquisição da personalidade jurídica das 
pessoas jurídicas de direito privado ? 
 
➔ Para uma entidade jurídica possui direitos e deveres, 
ela necessita possuir uma personalidade jurídica 
 
➔ A lei que estipula a inscrição do ato constitutivo 
(estatuto ou contrato social) no Registro Público 
como condição de aquisição da personalidade. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
➔ Registro na junta comercial (soc. Empresária – 
contrato social) ou no (RCPJ) Registro Civil 
das Pessoas Jurídicas do Rio de Janeiro (sociedade 
simples/ associação/ fundação/ org. religiosa – 
estatutos e demais atos const.) – registro tem 
natureza constitutiva 
 
Art. 45. Começa a existência legal das pessoas jurídicas 
de direito privado com a inscrição do ato constitutivo no 
respectivo registro, precedida, quando necessário, de 
autorização ou aprovação do Poder Executivo, 
averbando-se no registro todas as alterações por que 
passar o ato constitutivo. 
 
O ato constitutivo deve ser escrito. A emissão de 
vontade pode revestir a forma pública ou particular, salvo 
quanto às fundações, que estão sujeitas ao requisito 
formal específico: instrumento público ou testamento. 
 
➔ Em situações especiais, para que se possa constituir a 
pessoa jurídica exige-se a obtenção de uma 
autorização específica do poder executivo, a 
exemplo daquela dada pelo Banco Central aos bancos 
ou da autorização concedida pela SUSEP às 
seguradoras. 
 
➔ O registro da PJ tem efeito constitutivo. 
 
➔ Pessoa jurídica tem CNPJ - Cadastro Nacional da 
Pessoa Jurídica 
 
➔ Para ver a situação registral de pessoa jurídica, é só 
ver no site da receita federal. Com isso, pode analisar 
as ações fiscais em curso, patrimônio, se é uma 
empresa que responde a muitos processos... 
 
➔ Art. 46. O registro declarará: 
I - a denominação, os fins, a sede, o tempo de duração e 
o fundo social, quando houver; 
II - o nome e a individualização dos fundadores ou 
instituidores, e dos diretores; 
III - o modo porque se administra e representa, ativa e 
passivamente, judicial e extrajudicialmente; 
IV - se o ato constitutivo é reformável no tocante à 
administração, e de que modo; 
V - se os membros respondem, ou não, subsidiariamente, 
pelas obrigações sociais; 
VI - as condições de extinção da pessoa jurídica e o 
destino do seu patrimônio, nesse caso. 
 
➔ Art. 47. Obrigam a pessoa jurídica os atos dos 
administradores, exercidos nos limites de seus 
poderes definidos no ato constitutivo 
 
➔ A manifestação de vontade da pessoa jurídica se dá 
pelos administradores, cujos poderes devem ser 
fixados no ato constitutivo. Quem o ato constitutivo 
indicar para administrar e representar a pessoa 
jurídica tem legitimidade. 
 
 
Sociedades irregulares 
 
➔ A falta de registro implica ausência de personalidade 
jurídica. 
 
➔ A falta de registro tem por efeito a comunhão 
patrimonial e jurídica da sociedade e de seus 
membros, como um corolário natural do princípio 
que faz decorrer do registro a personificação, e 
desta a separação dos patrimônios. 
 
 
 
TEORIA DA REALIDADE TÉCNICA OU 
REALIDADE JURÍDICA (ART. 45) 
 
A personalidade jurídica é um atributo que a ordem 
jurídica estatal outorga a entes que o merecerem. Essa 
teoria estabelece que a pessoa jurídica é uma realidade 
jurídica. A personificação é puro efeito da técnica do 
direito. Reconhece a atuação social da pessoa jurídica, 
admitindo ainda que a sua personalidade é fruto da 
técnica jurídica. 
 
A pessoa jurídica é ente de existência real (e não mera 
ficção) que possui vida própria, autônoma à de seus 
integrantes ou criadores, havendo diversidade também 
entre suas personalidades jurídicas e vontades 
 
 
PRINCÍPIO DA ESPECIALIZAÇÃO 
Caio Mário: “a pessoa jurídica deve ter sua capacidade 
limitada à órbita de sua atividade própria, ficando-lhe 
interdito atuar fora do campo de seus fins específicos. 
DISSOLUÇÃO 
 
➔ Pode haver quando os sócios não querem mais 
trabalhar naquele ramo, no qual a pessoa jurídica esta 
inserida 
Art. 51. Nos casos de dissolução da pessoa jurídica ou 
cassada a autorização para seu funcionamento, ela 
subsistirá para os fins de liquidação, até que esta se 
conclua. 
§ 1o Far-se-á, no registro onde a pessoa jurídica estiver 
inscrita, a averbação de sua dissolução. 
§ 2o As disposições para a liquidação das sociedades 
aplicam-se, no que couber, às demais pessoas jurídicas 
de direito privado. (1.102-1112 CC) 
§ 3o Encerrada a liquidação, promover-se-á o 
cancelamento da inscrição da pessoa jurídica. 
 
 
Direitos da personalidade 
 
➔ Tutela reparatória (dano moral, dano material....), tutela 
inibitória 
➔ Vai ter direito a dano moral, quando houver um dano 
moral verificado e constatado 
Art. 52. Aplica-se às pessoas jurídicas, no que couber, a 
proteção dos direitos da personalidade 
SÚMULA N. 227 do STJ - A pessoa jurídica pode sofrer 
dano moral 
 
Classificação das pessoas jurídicas 
 
➔ PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO - são 
entidades que se originam do poder criador da 
vontade individual, em conformidade com o direito 
positivo, e se propõem realizar objetivos de natureza 
particular, para benefício dos próprios instituidores ou 
projetadas no interesse de uma parcela da 
coletividade. 
 
➔ Toda a gama de entidades dotadas de personalidade 
jurídica, sem distinção se se trata das de fins 
lucrativos ou de finalidades não econômicas. 
 
➔ Qualquer que seja a pessoa jurídica de direito 
privado, ela está sujeita às normas do Código Civil ou 
de alguma lei especial que lhe seja aplicável. 
 
As associações 
Art. 53. Constituem-se as associações pela união de 
pessoas que se organizem para fins não econômicos. 
 
A associação é uma pessoa jurídica de direito privado 
tendo por objetivo a realização de atividades culturais, 
sociais, religiosas, recreativas etc., sem fins lucrativos. 
 
→ Paga menos impostos, devido a não ter uma 
finalidade econômica direta 
 
→ Existes farias ongs que ter formação de 
associação 
 
→ A associação pode ate dar algum lucro, porem 
não é o seu foco, e esse lucro gerado devera 
ser revertido para própria associação, sem haver 
partilha do lucro aos associados. 
 
Ex. Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições 
Federais de Ensino Superior 
 
Art. 53. 
Parágrafo único. Não há, entre os associados, direitos e 
obrigações recíprocos. O vínculo se dá perante a 
associação. 
 
Ato constitutivo = estatuto

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.