A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Microbiologia do rumen

Pré-visualização | Página 1 de 1

Temperatura : 38 a 42° C ( média 39° C)
Anaerobiose
pH tampão entre 5,5 a 7,0 ( média 6,8)
Umidade 85% a 90%
Protozoários ciliados e flagelados
Fungos anaeróbicos
Bactérias
Micoplasmas 
bacteriófagos
O trabalho de uma colabora com o trabalho
da outra.
Ex: Celulase quebra as extremidades da
celulose ( 4 moléculas de glicose ) formando
celobiose ( 2 moléculas de glicose) que
poderá ser quebrada pela celobiase
liberando assim as moleculas de glicose ).
Microbiologia do rúmenMicrobiologia do rúmen
Simbiose
Relação funcional estreita, harmônica e
produtiva entre dois organismos, os quais
interagem de modo ativo visando ao
proveito mútuo. 
No rúmen os microrganismos
fazem a digestão da fibra
celulolítica. 
Transformando as substancias indigeríveis
como celulose, lignina e outros compostos em
ácidos orgânicos, AA e vitaminas.
Funções
Degradar substratos que chegam no
rúmen, princialmente o conteúdo
fibroso.
Transformação de proteínas de
baixo valor biológico em proteína
rica em AA essenciais 
Degradação de compostos
antinutricionais e / ou tóxicos p/ o
animal
Síntese de vitamina do complexo B 
 (possuindo o princípio ativo
presente: COBALTO)
Utiliza de NNP
1.
2.
3.
4.
5.
Questionamentos
O que valor biológico de uma proteína ? 
R: É a proporção de AA essencial que o animal
precisa, de acordo com essa necessidade
determinamos o valor biológico ( 20
aminoácidos ) 
O que é um carboidrato estrutural?
R: São aqueles responsáveis pela manutenção
da estrutura das plantas. 
Parede celular: Celulose, hemicelulose e Lamela
média: pectina, B- glucanos e galactosanos.
O que é um carboidrato não estrutural?
R: São aqueles carboidratos não incluídos na
matriz da parede celular e armazenam energia.
Açúcares, amido, ácidos orgânicos 
Ambiente Ruminal
Questionamentos
Porque o rúmen não secreta enzimas ?
R: Porque a mucosa do rúmen é aglandular ou
seja incapaz de secretar qualquer coisa.
Microrganismos
Bactérias
Sinergismo
Antagonismo
O trabalho de uma interfere negativamente
para o trabalho de outras.
A maioria das bactérias são gram-
negativa. O número de bactérias gram-
positivas tende a aumentar com a
elevação da energia na dieta.
A maioria das bactérias são anaeróbias
obrigatórias. Existem algumas anaeróbias
facultativas.
O ótimo pH de crescimento de bactérias
ruminais é entre 6,0 e 6,9.
Bactéria primária
Bactéria secundária
Temperatura ótima em torno de 39°C.
Toleram níveis altos de ácidos orgânicos
sem prejudicar seu metabolismo
Gram-positiva
São aquelas cujas paredes celulares não
perdem a cor azul-arroxeada quando
submetidas a um processo de descoloração
depois de terem sido coloridas pela violeta de
genciana.
Gram-negativa
São aquelas cujas paredes celulares 
 assumem um tom róseo-avermelhado
quando submetidas ao mesmo processo.
Classificação das bactérias
Fermentadoras de carboidratos não -
estruturais
Degradam os carboidratos de natureza
não estrutural, como amido, dextrinas,
frutosanas (CNE e CF) e açúcares; 
Taxa de crescimento alta 
Podem utilizar amônia, aminoácidos 
(preferencialmente) e peptídeos para
síntese de suas proteínas.
Classificação A
Degradam os constituintes que chegam
via dieta. 
 Ex: Baterias celulolíticas ( NÃO toleram pH
baixo) e amilolíticas 
Archea Metanogênicas
Anaeróbias 
Produzem metano a partir da síntese de
energia usando CO2 e H2, o produto final é
o CH4, liberando para no lúmen do rúmen.
Função: Retira H2 para evitar o pH baixo.
Lácticas
Crescem em condições de baixo pH
ruminal 
Utilizam ácido láctico como substrato
energético.
Pectinolíticas
Fermentam pectina 
Lipolíticas
Hidrolisam triglicerídeos em glicerol e
ácidos graxos.
Ex: Anaerovibrio lipolytica
Ureolíticas
Se encontram no rúmen aderidas no
epitélio ruminal; 
Hidrolisam uréia liberando amônia.
Ex: Megasphaera elsdenii
Produzem H+, acetato e CH4
Produzem succinato
e proprionato
Bactérias primárias
Bactérias secundárias
Utilizam como substratos o produto de
degradação das bactérias primárias. 
 Ex: Proprionabactérias e metanogênicas 
Classificação B - Por preferência de
substratos Geralmentegram-negativas
Utilizam aminoácidos como principal
substrato energético
Degradam proteínas mais intensamente
Ex: Streptococus bovis 
Proteolíticas
Fermentadoras de carboidratos
estruturais
Degradam a celulose e hemicelulose
Taxa de crescimento relativamente mais
lenta ( processo de degradação do
conteúdo fibroso é lento)
Dependem de amônia ( fonte de
nitrogênio) para síntese de proteína
microbiana. 
Geralmente
gram-positivas
Conceitos
Carboidrato fibroso: Conteúdo de difícil
digestão, parte da planta que só é digerido
pelas enzimas microbianas.
Questionamentos
R: Colonização dos microrganismos
O que acontece quando o alimento chega no
rúmen?
Defaunação ruminal: retirada dos
protozoários do rúmen
Qual o efeito de limitação de consumo
quando a digestibilidade baixa?
R: O material passa mais tempo no rúmen e o
consumo diminui. 
Como obtêm a matéria orgânica ?
R: MO = MS - MM
Protozoários
Controle do ambiente ruminal
Podem ser classificados como
entodinomorfos e holotrichas 
Ingerem granulosos de amido
Utilizam parte da amônia para seus
crescimento 
Fungos
Anaeróbicos restritos 
Alta atividade de degradação da fibra