A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
NÓDULOS DE TIREOIDE E CÂNCER DE TIREOIDE

Pré-visualização | Página 2 de 3

vendo um cisto, e 
ver um cisto, é uma imagem 
completamente BENIGNA. 
Se acharmos um nódulo da 
mesma cor da tireoide, ou 
seja, isoecoico, vamos conseguir vê-lo pois ele tem uma borda, também sugerindo 
BENIGNIDADE. 
Se por acaso o nódulo for branco, mais branco que a tireoide, ou seja, hiperecóico e sugere 
BENIGNIDADE. 
O dado que mais preocupa a gente, é ter um nódulo que não é preto nem branco, é entre o 
branco e o preto, ele é mais claro do que a tireoide, nós o chamamos de nódulo hipoecoico. 
Nódulo hipoecoico nos preocupa, é o que mais nos faz pensar em malignidade. 
 
Então: 
 
➢ Nódulos císticos, isoecóico, hiperecóico = sugerem benignidade; 
➢ Nódulo hipoecoico = nódulo suspeito. 
 
Então: 
 
❖ Se o nódulo tiver seus limites precisos, ótimo, também sugere benignidade. 
❖ Se os limites forem imprecisos, é um nódulo suspeito. 
 
Existe uma coisa chamada calcificação, se o nódulo tiver: 
 
❖ Calcificações grosseiras = sugere benignidade; 
❖ Microcalcificações = sugere malignidade. 
 
Presença de Halo: 
 
❖ Se o nódulo tiver halo, que o nódulo é bem delimitado = sugere benignidade; 
❖ Se não tiver halo = sugere malignidade. 
 
Então, precisamos de uma ultrassonografia bem feita para que podemos olhar as 
características do laudo da USG, e na verdade o ideal é vermos a imagem da USG, porque se ele 
tiver as características de benignidade, não precisamos fazer nada com esse paciente, apenas 
 
repetir a USG a cada 1 ano/ 1 ano e meio. Se eu tiver na dúvida ou se eu tiver um nódulo com 
características suspeitas, eu vou realizar a PAAF. 
 
 
 
 
 
 
✓ Esse é um nódulo que mata 
a gente de raiva, pois ele é 
muito pequeno, não é 
palpável e não deveria ter 
sido solicitada a USG. 
✓ Na imagem aparece um 
pontinho branco no meio, 
isso é uma calcificação 
grosseira, é BENIGNO. 
✓ Não tem que fazer nada, não 
dá nem para puncionar um 
nódulo desse. 
Esse é um lobo da tireoide normal, 
está todo bonitinho. O circulado em 
vermelho é o lobo da tireoide. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
COMO DAR O LAUDO DE UM USG: 
 
✓ Esse é um nódulo BENIGNO. 
✓ Nódulo que está todo preto! 
Nos tranquiliza. 
 
 6 
7 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
✓ Esse é um nódulo de 
18,9 mm, ou seja, tem 
todas características 
de benigno. 
✓ Esse nódulo já mudou 
um pouco. Ainda assim é um 
nódulo com toda cara de ser 
benigno. 
✓ Se esse nódulo tivesse 
3 cm, por conta do tamanho, 
a gente faria a PAAF. 
✓ E a punção tem que ser 
feita guiada por USG, pois vai 
entrar em vários lugares, 
puxando células de todos 
lados. 
✓ Mas batendo o olho 
nesse nódulo, sabemos que é 
benigno. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Esse é um nódulo que 
precisamos ficar mais atentos, 
claramente hipoecóico, mais 
claro do que a glândula, temos 
que prestar bem atenção. 
Embora seja regular e sem 
microcalcificações. 
 
Laudos de ultrassom precisam 
ser muito bem descritos, com 
todas essas características, 
incluindo o tamanho do nódulo. 
8 
 
Rodrigo usou essa imagem 
para contar uma história de 
um familiar dele, que ele viu 
um nódulo no pescoço dela e 
viu que estava grande e que 
foi de crescimento rápido 
porque ele a encontra quase 
toda semana e ela não tinha 
visto isso antes. Quando ele 
palpou, achou melhor 
solicitar uma USG, cujo 
nódulo tinha as 
características ao lado. 
Quando ele viu essas 
características, tinha tudo 
para ser benigno, mas era um 
nódulo grande (3 cm). Eles tinham uma viagem marcada e aí resolveram fazer a PAAF. Se viesse 
benigno, eles viajariam e ela operaria depois da viagem, se viesse maligno, ela operaria e eles não 
viajariam. O resultado da PAAF deu BENIGNO. Então, as características ultrassonográficas foram 
condizentes com as características com o laudo que eu esperaria da punção. Mas de novo, as 
características da imagem é o que define. 
 
 
Esse nódulo ao lado é feio, 
foi colocado como se fosse 
sólido, mas na verdade é um 
nódulo misto. Tem todas as 
características de um nódulo 
SUSPEITO. Não pode dizer 
ainda que é maligno, 
estamos dizendo com certeza 
que esse nódulo vai para 
uma punção. 
9 
 
 
 
Nessa imagem, de baixo para cima vamos vendo o risco de malignidade de cada nódulo. 
 
✓ O primeiro, de baixo para cima é um nódulo completamente cístico, ou seja, benigno. 
✓ Na segunda fileira, esses nódulos se chamam espongiformes, que ele não explicou 
anteriormente, mas são nódulos benignos; 
✓ Na terceira fileira, vemos um nódulo mais branco do que a tireoide, é hiperecoico, bem 
regular, perfeitinho. Ao lado dele, vemos um nódulo isoecoico, mas também direitinho, 
com margens regulares. 
✓ O terceiro nódulo da terceira fileira (low suspicion) é misto, mas dentro do nódulo tem 
uma parte sólida e acima líquida. Na hora que for fazer uma punção desse nódulo 
tenho que tirar células da parte sólida, pois é ali que se encontra a área suspeita, não 
adianta puncionar a parte líquida, pois não vai me fornecer informações suficientes. 
✓ Na quarta fileira (intermediate suspicion): são nódulos mais suspeitos, pois são 
hipoecoicos. Eles continuam regulares, mas são claramente hipoecogênicos. 
✓ Na quinta e última fileira (high suspicion), o primeiro nódulo é cheio de 
microcalcificações, não conseguimos ver as margens direito. Os outros nódulos também 
têm características estranhas. 
Começamos a ter aumento no risco de malignidade de acordo com as características dos nódulos. 
 
Tem mais um dado que podemos utilizar, que não vale muita coisa, mas pode ser feito. É o 
doppler, ele avalia a vascularização do nódulo. 
✓ Na letra A (o áudio cortou na hora gente, porém dá pra ver que tem muito pouca 
vascularização); 
10 
✓ Na letra B, temos uma vascularização periférica; 
✓ Na letra C, temos vascularização periférica e central; 
✓ Na letra D, temos um nódulo com vascularização central. 
 
 
 
 
Os nódulos vinham com o laudo e com uma classificação chamada de Chammas e Lagalla: 
 
Quanto mais tem vascularização 
central, maior seria o risco de câncer. E 
nos pacientes sem vascularização, não 
teria um risco tão alto. 
Mas hoje não é muito usado, pois as 
características do ultrassom são mais 
importantes do que as do Doppler. 
Então o risco de malignidade e fazer 
biópsia, vai de acordo com as 
características do USG. 
Então aquele nódulo que é todo cístico 
não tem que puncionar. Conforme vai 
tendo as características, você vai 
deixando sua indicação de PAAF mais, 
ou menos evidente. 
Um bom ultrassom hoje, vai vir sempre com o TI-RADS: 
Ele utiliza 5 itens: 
Composição: 
✓ Se é cístico ou completamente cístico – 0 pontos 
11 
✓ Espongiforme – 0 pontos 
✓ Misto- 1 ponto 
✓ Sólido – 2 pontos 
 
Ecogenicidade: 
 
✓ Anecoico – 0 pontos 
✓ Hiper ou isoecoico – 1 ponto 
✓ Hipoecoico -2 pontos 
✓ Muito hipoecoico – 3 pontos 
 
Formato: 
 
✓ Se o shape for do comprimento da glândula – 0 pontos 
✓ Se o shape for o contrário da glândula – 3 pontos 
 
Também olhar as margens e olhar se tem microcalcificações. O bom ultrassonografista ele vai 
olhar essa classificação. 
TI-RADS 1: 0 PONTOS – Nódulo cístico, anecoico, que segue o formato da glândula, de margens 
bem definidas e sem ecogenicidade.É BENIGNO. NÃO TEM QUE FAZER PUNÇÃO. 
TI-RADS 2: 2 PONTOS – Sem suspeita, não precisa puncionar. 
 
TI-RADS 3: 3 PONTOS – É um nódulo com suspeita baixa. Vai puncionar se ele for MAIOR QUE 
2,5 CM, mas se ele tiver abaixo disso, pode seguir. 
• Se for um nódulo de 4 a 6 pontos, é um nódulo de moderada suspeição. Punciona se o 
nódulo tiver MAIS DE 1,5 CM; 
• Se o nódulo tiver 7 pontos ou mais, você punciona se ele tiver MAIS QUE 1,0 CM; 
Então após a punção: 
• 70% dos nódulos são benignos 
• 5% vão vir malignos 
• 15% vão ser suspeitos 
• 10% insatisfatórios 
 
Então eu vou olhar meu 
nódulo, classificá-lo com 
TI-RADS e definir se vou 
fazer uma punção. Definiu 
se vai fazer,