A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Patologia do trato urinário inferior

Pré-visualização | Página 1 de 1

Patologia do trato urinário inferior
Componentes
Funções:
● Propulsão
● Armazenamento (pela bexiga)
● Esvaziamento final
Aspectos importantes
● Efeito antirefluxo (bexiga e ureter) - angulação e valva vesico uretral
○ Evita que a urina vá até os rins
● Tono da musculatura vesical e valva vesico-uretral
● Uretra (extensão e proximidade com o ânus)
○ Fêmeas são predispostas a cistite (infecção bacteriana) por terem a uretra
mais curta e mais próxima do ânus
● Aspecto da urina (equinos) - turva por causa de mucina (pode-se confundir com
presença de infecção)
● Ureter à necroscopia - por ser bem estreito em algumas espécies é difícil de ser
seccionado longitudinalmente com tesoura se estiver normal
○ Ureteres são tubos musculares que passam através de um esfíncter, e
chegam a bexiga carregando pequenas quantidades de urina que vai se
acumulando na bexiga
Processo inflamatório
● Da bexiga para outras partes
● Cistite, uretrite, ureterite e pielite
Cistites
● Inflamação na bexiga
● Causa principal: infecção bacteriana ascendente
● Normalmente ocorre por via ascendente já que, mais de 85% das infecções do trato
urinário são causadas por bactérias presentes no intestino
● Podem ocorrer também em decorrência de FIV, diabetes, parto, obstrução urinária
(urólitos), metrite e por cateterização
Fatores de proteção
● Esterilidade do trato e micção constante
● Propriedades antibacterianas (pH ácido nos carnívoros, elevada osmolalidade como
fator bacteriostático, IgA e mucina - película que reveste a mucosa)
Fatores predisponentes
● Estase obstrutiva ou neurogênica
● Traumas da vesícula (cateterismo, cirurgias, urólitos e choques mecânicos)
● Proteinúria e glicosúria prolongadas (presença de proteína e glicose na urina, ex:
diabetes) - substrato bacteriano
● pH alcalino no estro devido a estrógeno nas porcas - cistite por Eubacterium suis
● Aspecto anatômico e enterobactérias: fêmeas mais predispostas a infecções
bacterianas, especialmente por coliformes fecais, uma vez que a uretra na fêmea é
mais curta e o orifício uretral externo é mais próximo do ânus
● Escherichia coli, Proteus spp, Corynebacterium renale, Streptococcus spp,
Staphylococcus spp
Tipos de cistites
Cistite aguda
● Exsudato mais líquido (presença de edema de submucosa, hiperemia, fibrina, etc)
● Aspectos macro e microscópicos - a parede da vesícula fica mais espessa e macia
devido ao edema
● A mucosa possui hiperemia (vermelhidão e focos de hemorragia
● Casos mais severos - ulcerações e ruptura
(cistite aguda hemorrágica em bovino)
(cistite aguda hemorrágica em equino)
Cistite crônica
● Provenientes de processos agudos e urolitíases
● Aspectos macro e microscópicos gerais (proliferação): parede espessada e de
consistência firme devido a processos proliferativos como fibrose, hipertrofia,
hiperplasia, etc. Diminuição do exsudato líquido. Diminuição do exsudato líquido.
Diminuição da hiperemia e mucosa pode apresentar-se irregular
● Tipos especiais em cães (folicular e polipóide)
● Cistites não infecciosas - ciclofosfamida
(cistite crônica polipóide em bovino)
Neoplasias vesicais
● Incomuns
● Mais frequentes em bovinos (hematúria enzoótica), cães e gatos
● 20% mesenquimais e 80% epiteliais (papilomas e carcinomas)
● Substâncias excretadas pelos rins (derivados do triptofano, benzidina, ciclofosfamida
e samambaia)
Hematúria enzoótica
● Bovinos adultos - hematúria persistente e anemia
● Pteridium aquilium (brotos) - palatável
● Lesão do urotélio, metaplasia escamosa (pelve até a uretra)
● Neoplasia e cistite crônica
Urolitíases
● Os cálculos são mais comuns em machos devido a uretra nesses indivíduos ser
longa e pouco calibrosa e podem estar presentes em doenças ou condições que
favorecem a formação de cristais
● Gatos e felinos são predispostos à formação de cálculos urinários devido à forte
concentração da sua urina. Isso se deve à baixa ingestão de água, o que gera pouco
volume urinário diário, tornando-os mais sujeitos ao desenvolvimento de urolitíase
● Fatores que predispõem a formação de urólitos
○ pH (precipitação): baixo oxalatos, aumento de estruvita e carbonatos
■ Em pH ácido tem cristais ou cálculos de oxalatos; pH alcalino tem
cálculos de estruvita e carbonatos
○ Bactérias + debris + leucócitos - núcleo de deposição (estrutural)
○ Fatores nutricionais
■ Farelos e sorgo (fosfato) em ovinos
■ Plantas com altos teores de oxalatos
■ Deficiência de vitamina A (metaplasia epitelial)
○ Hereditários
■ Dificuldade de absorção de cistina em Dachshunds
■ Aumento de excreção de ácido úrico em Dálmatas (alantoína)
● Consequências das urolitíases
○ Obstruções (machos):
■ Cães - base do pênis
■ Gatos - toda uretra
■ Bovinos - flexura sigmóide
■ Ovinos - ap. vermiforme
■ Nas fêmeas - bexiga ou pelve
○ Impactação - hemorragia e necrose (ureter, uretra e pelve)
○ Estase urinária
■ Infecções, uremia e hidronefrose
○ Alterações vesicais
■ Distensão e adelgaçamento de parede
■ Ulcerações e hemor
■ Ruptura e peritonite
○ Pielonefrites
● Tipos de cálculos e espécies mais acometidas
Prof: Franco
UC: Medicina Veterinária Investigativa

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.