Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Deglutição

Pré-visualização | Página 1 de 3

DeglutiçãoDeglutição Mirela Scarpino
@Fonomirela
Anatomia e fisiologia da deglutição no lactente e na criança
A deglutiçãoA deglutiçãoA deglutição
Tem a função de levar a saliva ou alimento da boca
(cavidade oral) até o estômago;
Papel essencial para nutrição e hidratação;
Tem a função de proteção das vias aéreas
superior;
Podemos viver sem falar e mastigar mas não sem
deglutir, é essencial. 
Função BiológicaFunção BiológicaFunção Biológica
Sucção, respiração e deglutição são presentes
desde o nascimento exceto a mastigação. Essas
se desenvolvem e vão modificando de acordo ao
crescimento e desenvolvimento craniofacial.
Inata
Ocorre ainda em ambiente intra-uterino;
De uma maneira mais primitiva, mas com o
desenvolvimento neuromuscular a função de
deglutição se desenvolve;
Os processos de deglutição ao longo da vida vão
se modificando, apresentando diferentes padrões
de normalidade;
De acordo a faixa etária;
É vital para o RN;
Ajuda na regulação materno-fetal de volume e
composição desse líquido amniótico; 
Favorece o amadurecimento gastro-intestinal
ainda no útero; 
Degluti o líquido amniótico, ajudando no
equilíbrio e composição desse líquido,
favorecendo o ambiente somático;
Funções OrofaciaisFunções OrofaciaisFunções Orofaciais
Deglutição, assim como a sucção, está presente a
partir da 20ª semana gestacional;
É considerado uma preparação para o
nascimento;
A partir da 32ª a 34ª semana de gestação, o feto
consegue coordenar sucção, deglutição e
respiração
Impulsos aferentes: Aqueles que saem e sobem
para serem analisados no cérebro. São os que vão
para o cérebro;
Fibras sensórias: N. Trigêmeo (V par), N.
Facial (VII par), N. Glossofaríngeo (IX par),
ramo interno do nervo laríngeo superior e
outros ramos do N.Vago (X par);
Impulsos eferentes: Aqueles que se referem aos
núcleos motores, os impulsos que saem do cérebro; 
Núcleos motores: Núcleo motor do trigêmo,
Núcleo motor facial, núcleo ambíguo e núcleo
motor do hipoglosso, mais os pares cranianos
Os pares cranianos são: N. Trigêmeo (V par),
N. Facial (VII par), N. Glossofaríngeo (IX
par), N. Vago (X par), N. Hipoglosso ( XII
par) e Nervo cervical superior (C1-C3);
Fases da deglutiçãoFases da deglutiçãoFases da deglutição
Controle NeuromuscularControle NeuromuscularControle Neuromuscular
Fase Oral : Preparatória oral + Oral propriamente
dita (ou proprulsiva);
Fase Faríngea;
Fase Esofágica.
A divisão ocorre pela localização do bolo alimentar;
Mirela Scarpino
@Fonomirela
A língua arranja e dispõe o bolo, dando formato e
impulsionando ele; É a preparação do alimento;
Acontece quando pensamos no alimento ou sentimos
o cheiro dele e já começamos a salivar, já enviamos
informação;
Alguns alimentos já são macios e líquidos e não
precisam de tanta preparação;
Também envolve a mastigação em suas três fases:
incisão, trituração e pulverização;
O tempo:
Em bebês essa fase é feita em tempo mínimo,
pois a sucção e deglutição de líquidos não
exige tando, mas quando as crianças começam a
provar alimentos de textura mais grossa, essa
fase dura um tempo maior; 
Está relacionado com o tempo de mastigação;
Os lábios: Vedam a cavidade oral sem esforço
Músculo orbicular da boca;
Deglutição normal não há esforço para
vedação, não se verifica contração visível;
Língua: O bolo alimentar é colocado no dorso da
língua depois de mastigado; 
O palato mole: Ocupa uma posição mais baixa a fim
de prevenir que o bolo caia na faringe a antes da
deglutição ser produzida, para o alimento não
escapar;
Músculo palatoglosso -> Contrai; 
Faringe e Língua: Em repouso;
Via área aberta: Respiração nasal continua até que
a deglutição ocorra;
Fase preparatória oralFase preparatória oralFase preparatória oral
Fase oral propriamente ditaFase oral propriamente ditaFase oral propriamente dita
Até essa fase que conseguimos ter controle;
Ocorre a transferencia do bolo alimentar da
cavidade oral para a orofaringe, passando a
arcada amigdaliana
Essa é a ultima atividade voluntaria da
deglutição; 
Consciente e voluntária;
Lábios vedam a cavidade oral;
O bolo alimentar é colocado no dorso da língua;
Os dentes se ocluem centralmente;
Durante a deglutição frequentemente há contato
interdentário;
Língua se aclopa no palato e faz movimentos
ondulatórios; 
O bolo alimentar quando chega no pilar anterior das
fauces, região da amígdala, é disparado o reflexo de
deglutição;
Estruturas envolvidas: 
Lábios: 
Vendam anteriormente a cavidade oral, com
pouca tensão, ou seja, a atividade
muscular perioral é limitada ou nula na
deglutição normal; 
Língua: 
Se contrai contra o palato duro;
Na região ântero superior e se apoia
nas papilas reto incisivas; O dorso se
adere ao palato duro;
Movimentos ondulatórios (elevação do
músculo milohóideo);
Transporte do bolo alimentar para a
orofaringe e em consequente acontece o
reflexo da deglutição;
Músculos Elevadores da Mandíbula: 
Masseter, temporal e pterigóideo medial;
Eles se contraem a fim de promover a
oclusão cêntrica dos dentes e estabilizar a
mandíbula e língua; 
Ocorre principalmente na deglutição de
sólidos;
Mirela Scarpino
@FonomirelaMúsculos Suprahioide: 
Eleva o osso hióide o que também ajuda a
estabilizar a mandíbula;
Eleva a laringe para que ocorra a
deglutição;
Contrações da língua pela ação de seus
músculos intrínsecos empurram o bolo
alimentar em direção á faringe; 
Músculos Infrahióideos
M. Esternohióideo, M.Esternotiroideo,
M.Omohióideo ventre superior e
M.Omohióideo ventre inferior
Modulam o quanto o osso hióide vai suber
e quanto a laringe vai elevar.
Consciente e involuntária;
Percebemos que ela está acontecendo mas não
tem como controlar;
Dois movimentos básicos: 
Elevação de todo tubo faríngeo, incluindo a
laringe;
Onda peristáltica descendente para que o
alimento consiga descer;
3 Mecanismos de Válvula: Interrompe as conexões
entre:
Cavidade nasal e orofaringe;
Impede o refluxo do alimento para o nariz;
Faringe e laringe;
Impedi que vai para pregas vocais e
pulmões;
Faringe e esôfago; 
Os movimentos da laringe, a elevação dela, varia de
acordo com o tipo de alimento a ser deglutido; 
Volume e textura do alimento
Ocorre o fechamento da nasofaringe;
O que interrompe a respiração; 
M. Supra-hioides: 
Elevam e anteriorizam osso hióde e a laringe, por
consequencia, protegendo as vias aéreas
inferiores e aumentando o espaço do esofâgo;
Mecanismo propelente:
O esfícter cricofaríngeo se abre pele contato,
propulsão, do bolo alimentar
Os mecanismos: 
Propulsão, de impelir o bolo para o esôfago;
Válvula, de interromper as conexões; 
Mecanismo de PropulsãoMecanismo de PropulsãoMecanismo de Propulsão
Músculos constritores da faringe 
Superior, médio e inferior
Trabalham de forma condenada para gerar
uma onda e o alimento descer;
Esôfago.
As válvulasAs válvulasAs válvulas
Interrompem as conexões entre: 
Cavidade oral e orofaringe; 
Cavidade nasal e orofaringe;
Faringe e laringe;
Faringe e esôfago.
Interrupção entre cavidadeInterrupção entre cavidadeInterrupção entre cavidade
oral e orofaringeoral e orofaringeoral e orofaringe
Ocorre elevando da raiz da língua e ações das
fauces, havendo uma contração dessa região para
que o alimento não volte para a boca; 
Mirela Scarpino
@FonomirelaMúsculos envolvidos:
Músculos intrínsecos da língua
M. Estuloglosso (nervo hipoglosso)
M. Estilohióideo (nervo facial)
M. Palatoglosso (nervo vago)
M. Longitudinal superior
Interrupção entre cavidadeInterrupção entre cavidadeInterrupção entre cavidade
nasal e orofaringenasal e orofaringenasal e orofaringe
Ocorre quando o céu da boca, o palato mole, se eleva
fechando a passagem do alimento para a rinofaringe;
Músculos envolvidos: 
M. da úvula (nervo vago);
M. Superior da faringe (plexo faríngeo);
Constrição;
M. Elevador do palato mole.
M. Tensor do palato
Interrupção entre faringe eInterrupção entre faringe eInterrupção entre faringe e
laringelaringelaringe
Músculos envolvidos: 
M. Salpingofaríngeo;
M. Palatofaríngeo;
M. Estilofaríngeo;
M. Genioglosso.
EpigloteEpigloteEpiglote
Durante a deglutição ocorre
Página123