Buscar

Educação das Relações Étnicos - Raciais

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 3 páginas

Prévia do material em texto

Aluno: Leonardo Batista Rebelo
Matrícula: 04087878 
Curso: Pedagogia 
Disciplina: Gestão e Cultura Educacional
JOGOS E BRINCADEIRAS DE ORIGEM AFRICANAS E INDÍGENAS PARA EDUCAÇÃO ETNICO-RACIAIS
Teresa é uma professora com bastante experiência e que sempre foi sensível às questões da inclusão e das problemáticas sociais. Ela sempre se preocupou para que tais questões não fossem apenas questões trazidas, discutidas ou vivenciadas por demanda de um calendário apenas, mas que fosse algo vivido pelos estudantes cotidianamente.
O ano letivo estava se iniciando e com ele o planejamento pedagógico. Teresa tomou por base as Leis de nº 10.693 de 9 de janeiro de 2003 e a Lei nº 11.645 de 10 de março de 2008 que estabelece as diretrizes da educação nacional a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-brasileira e Indígena”, para organizar um projeto interdisciplinar. Porém, ela gostaria de iniciar o ano letivo com uma atividade instigante, capaz de engajar os estudantes não somente naquele momento inicial, mas por todo o ano letivo. 
Ela realizou algumas pesquisas para organizar seu planejamento e percebeu que boa parte dos textos, livros, vídeos acercavam-se das danças. Teresa compreende que a dança é um elemento muito forte em nossa cultura e na desses povos que nos presentearam com tão bela herança. No entanto, ela sentia necessidade de criar atividades fazendo uso de outros elementos dessas culturas e assim, pesou nos jogos e brincadeiras, elemento tão importante nas culturas matrizes do povo brasileiro. Teresa tem pouco tempo para desenvolver seu planejamento de modo criativo e vai precisar de novas ideias. 
Desse modo, como Teresa pode fazer uso desse elemento cultural para iniciar o ano letivo e seu projeto? Proponha uma aplicação didática, uma atividade, a partir desse elemento que mobilize a aprendizagem das crianças para tal conteúdo.
A professora Teresa poderá começa seu ano letivo e seu projeto propondo trabalhar com seus alunos atividades lúdicas. os jogos e brincadeiras de origem africanas e indígenas, podem ser trabalhados para se trazer a diversidades cultural dos povos matrizes da cultura brasileira. Pois a história e cultura afro-brasileira e indígena será o tema gerador para propor atividades ativas e o reconhecimento cultural dos educandos, os alunos já trazem múltiplas expressões de distintas visões das culturas, implicando a necessidade de a educação ser multicultural e pluralista. 
Poderá ser aplicado as didáticas, expositiva dialogada, projetos de pesquisa e aulas práticas onde irá trabalhar juntamente com os jogos e brincadeiras o desenvolvimento da motricidade, emoções, inteligência como também o reconhecimento da diversidade cultural de pessoas negras e indígenas na cultura brasileira. O educando a partir de seu próprio ponto de vista, poderá obter o conhecimento da história do Brasil com a visão de mundo da população brasileira. 
A atividade lúdica contribui para esse desenvolvimento e auxilia na aprendizagem cultural e pessoal do educando, assim proporcionando a aquisição do conhecimento e da história e cultura afro-brasileira e indígena. Os jogos e brincadeiras indígenas e africana contribuirá para que esse educando forme seu ponto de vista cultural correto, pois se tem hoje uma adversidade cultural muito grande no Brasil, essa temática étnico racial na educação tem uma grande importância, pois visa garantir uma educação que supere as diferenças e as desigualdades geradas por uma cultura a muito tempo errônea. A metodologia lúdica inscreve nas áreas do prazer, sensibilidade e também da sociabilidade assim podendo ser trazer uma educação de relações étnico raciais com ludicidade. 
Trazendo essa temática geradora de questionamentos junto com jogos e brincadeiras a professora está se importando com a formação dos educandos, pois deve proporcionar o desenvolvimento de sua capacidade crítica e reflexiva, possibilitando que o educando faça uma análise de forma clara sobre sua realidade e a realidade que o cerca, proporcionara situações em que o aluno construa seu próprio saber ativo. 
Existem jogos e brincadeiras de origem africanas e indígenas que há muito tempo fazem parte da nossa cultura, como é o caso de matacuzana, terra-mar de origem africanas e arranca mandioca e Peteca, de origem indígenas, esses jogos e brincadeiras podem ser utilizados dentro e fora de sala de aula para propor atividades mais ativas e significativas para o educando, como e o caso do jogo e brincadeira da peteca que pode ser trabalhada como atividade lúdica e de conhecimento com os alunos, pois tem um contexto histórico e cultural indígena, o surgimento desse elemento a peteca se originou nas tribos indígenas que moravam na região onde hoje é o estado de Minas Gerais, o nome peteca e de origem Tupi, significa tapear ou golpear com as mão. Ao desenvolver essa atividade com os educandos, os alunos descobrirão o contexto histórico e cultural do jogo como maneiras de jogar o brinquedo (Peteca), para fazer pontos, não podendo deixar a peteca cair, pode ser uma atividade muito prazerosa e interdisciplina, pois pode ser trabalhada em conjunto com as aulas de educação física, a professora aborda a origem dos jogos e sua historia, o brinquedo pode ser confeccionado em sala de aula pelos alunos a parti da matéria prima, os indígenas confeccionavam a peteca a parti da palha seca do milho, e os educandos podem pratica o jogo nas aulas de educação física na quadra da escola. 
Referencias:
FREITAS, Maria da Glória feitosa. Educação das Relações Étnico-Raciais. Recife: Telesapiens, 2020. E-book.
NEGUEIROS, Dalila Fenandes de. Educação das Relações Étnico-Raciais: Avaliação da Formação Docentes. São bernado do Campo, SP: EdUFABC, 2017. E-book.
RERREIRA, Aparecida de Jesus (Org.). Relações Étnico-Raciais, de Genero e Sexualidade: Perspectivas Conteporâneas. [s.l.]: UEPG, 2014. E-book.