A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Resumo - Digestão e Absorção (Gastro)

Pré-visualização | Página 1 de 3

Digestão e Absorção 
RESUMO – Alberto Galdino LoL 
Digestão 
Hidrólise de Carboidratos 
Quase todos os carboidratos da dieta são 
grandes polissacarídeos ou dissacarídeos, que 
são combinações de monossacarídeos ligados 
uns aos outros por condensação. Significa que 
um íon de Hidrogênio (H⁺) foi removido de 
um dos monossacarídeos e um íon Hidroxila (-
OH) foi removido do outro. Os dois 
monossacarídeos combinam-se então para 
formar água (H₂O). 
Quando os carboidratos são digeridos, o 
processo descrito acima é invertido e os 
carboidratos são convertidos a 
monossacarídeos. Enzimas específicas nos 
sucos digestivos do TGI catalisam a 
reintrodução dos íons hidrogênio e hidroxila, 
obtidos da água, nos polissacarídeos e assim, 
separam os monossacarídeos. Este processo 
é a HIDRÓLISE (no qual R’’-R’é um 
dissacarídeo) 
Os processos digestivos das macromoléculas 
são efetuados por enzimas luminais e da 
borda em escova dos enterócitos do delgado. 
A digestão de macronutrientes orgânicos 
(carboidratos, proteínas, e lipídeos) é 
efetuada pelas enzimas do SGI. Estas são hidrolases, que catalisam a adição de moléculas de 
água às ligações C-O e C-N dos nutrientes, em sítios específicos. 
R’’-R’+H₂O ↔ R’’-OH+R’H⁺ 
Os processos hidrolíticos ocorrem nas seguintes porções do SGI: 
-cavidade oral: onde os carboidratos começam a ser ingeridos 
-estômago 
-duodeno: onde é predominante 
-nas porções proximais do íleo 
 
Hidrólise de Gorduras 
Quase todas as gorduras de uma dieta consistem em triglicerídeos (gorduras neutras), 
que são formadas por 3 moléculas de ácidos graxos condensadas com uma única 
molécula de glicerol. Durante a condensação, 3 moléculas de água são removidas. 
Digestão e Absorção 
RESUMO – Alberto Galdino LoL 
A digestão de triglicerídeos consiste no processo inverso: as enzimas digestivas de 
gorduras reinserem 3 moléculas de água em uma molécula de triglicerídeo e, assim, 
separam as moléculas de ácido graxo do glicerol. Aqui, mais uma vez, o processo 
digestivo é a hidrólise. 
Hidrólise de Proteínas 
As proteínas são formadas por múltiplos ácidos graxos que se ligam por ligações 
peptídicas. Em cada ligação, um íon hidroxila foi removido de um aminoácido e um íon 
hidrogênio foi removido do outro; assim, os aminoácidos sucessivos na cadeia de 
proteína ligam-se também por condensação, e a digestão se dá por efeito inverso: 
hidrólise. Ou seja, as enzimas proteolíticas inserem de novo íons hidrogênio e 
hidroxila, das moléculas de água, nas moléculas de proteína, para clivá-las em seus 
aminoácidos constituintes. 
A química da digestão é simples porque, no caso dos 3 tipos principais de alimentos, o 
mesmo processo básico de Hidrólise está envolvido. A única diferença encontra-se nos 
tipos de enzimas necessárias para promover as reações de hidrólise para cada tipo de 
alimento. 
 
Digestão e Absorção 
RESUMO – Alberto Galdino LoL 
Digestão de Carboidratos 
Os carboidratos da dieta são 3 
principais fontes: Sacarose 
(dissacarídeo, açúcar de cana); 
Lactose (dissacarídeo, leite); 
Amidos (grandes polissacarídeos 
presentes em quase todos os 
alimentos de origem não-animal, 
batatas e grãos). 
Outros carboidratos ingeridos em 
menor quantidade são Amilose, 
Glicogênio, Álcool, Ácido Lático, 
Ácido Pirúvico, Pectinas, 
Dextrinas, e quantidades ainda 
menores de derivados de 
carboidratos nas carnes. A dieta 
contém ainda uma grande 
quantidade de CELULOSE, um 
carboidrato, porém nenhuma 
enzima é capaz de hidrolisar a 
celulose. 
BOCA E ESTÔMAGOQuando o alimento é mastigado, mistura-se coma saliva, que 
contem a Ptialina (uma α-amilase) secretada pelas glândulas parótidas. Ela hidrolisa o 
amido no dissacarídeo Maltose e em outros pequenos polímeros de glicose, que 
contém 3 a nove moléculas de monossacarídeos (Glicose, Galactose, Frutose...) 
Menos de 5% do alimento terão sofrido hidrólise na boca até a deglutição. A digestão 
do amido por vezes continua no corpo e no fundo do estômago por até uma hora 
antes de o alimento ser misturado às secreções estomacais. A atividade da AMILASE 
SALIVAR é então bloqueada pelo ácido das secreções gástricas (é inativada como 
enzima quando o pH do meio cai abaixo de 4). Em média, antes de o alimento e da 
saliva estarem completamente misturados com as secreções gástricas, cerca de até 30 
a 40% dos amidos terão sofrido hidrólise para formar Maltose. 
Digestão e Absorção 
RESUMO – Alberto Galdino LoL 
A glicose representa mais de 80% dos produtos finais da digestão de carboidratos, 
enquanto a fração de galactose ou frutose raramente ultrapassa 10%. 
INTESTINO DELGADOA secreção pancreática, como a saliva, contém grande 
quantidade de α-AMILASE PANCREÁTICA. 15 a 30 minutos depois de o quimo ser 
transferido do estômago para o duodeno e misturar-se com o suco pancreático, todos 
os carboidratos terão sido digeridos. Os carboidratos são quase totalmente 
convertidos em maltase e/ou outros polímeros de glicose pequenos antes de irem 
além do duodeno ou do jejuno superior. 
Os enterócitos que revestem as vilosidades do intestino delgado contém 4 enzimas 
(lactase, sacarase, maltase e α-dextrinase), que são capazes de separar os 
dissacarídeos lactose, sacarose e maltose, mais outros pequenos polímeros de glicose , 
nos seus monossacarídeos constituintes. Estas enzimas estão localizadas nos 
ENTERÓCITOS que formam a borda em escova das microvilosidades intestinais, de 
maneira que os dissacarídeos são digeridos quando entram em contato com esses 
enterócitos. 
Os produtos finais da digestão de carboidratos são todos monossacarídeos 
hidrossolúveis que são absorvidos imediatamente pelo sangue portal. 
 
Digestão de Proteínas 
As proteínas da dieta são, em termos químicos, cadeias de aminoácidos conectados 
por ligações peptídicas. 
Digestão de proteínas no estômagoPepsina, é ativa em pH 2 a 3, e inativa em pH 
acima de 5. Para que ela tenha ação digestiva sobre a proteína, os sucos estomacais 
precisam ser ácidos. O HCl é secretado pelas células parietais (Oxínticas) nas glândulas 
a um pH em torno de 0,8 até misturar-se aos conteúdos estomacais a às secreções das 
células glandulares não-oxinticas do estômago; o pH então fica em torno de 2 a 3, uma 
faixa favorável á atividade da Pepsina. A Pepsina digere a proteína Colágeno, que é um 
importante constituinte do tecido conjuntivo celular das carnes. 
A pepsina inicia o processo de digestão das proteínas, normalmente promovendo 10% 
a 20% da digestão total das proteínas, para convertê-las a proteases, peptonas e 
outros polipeptídeos. 
Grande parte da digestão de proteínas ocorre no intestino delgado superior, duodeno 
e jejuno, sob a influência de enzimas proteolíticas da secreção pancreática, sendo as 
principais: 
-Tripsina , -Quimiotripsina, -Carboxipolipeptidase, -Proelastase 
 
Digestão e Absorção 
RESUMO – Alberto Galdino LoL 
Tanto a Tripsina como a Quimiotripsina clivam 
moléculas de proteína em pequenos 
polipeptídeos; A Carboxipeptidase, então, 
libera aminoácidos individuais dos terminais 
carboxila dos peptídeos. A Proelastase é 
convertida em Elastase, que então digere 
fibras de elastina, abundantes em carnes. 
O último estágio na digestão das proteínas no 
lúmen intestinal é feito pelos enterócitos que 
revestem as vilosidades do intestino delgado, 
especialmente no duodeno e jejuno. Essas 
células possuem uma borda em escova que 
são centenas de microvilosidades que se 
projetam da superfície de cada célula. Nas 
membranas de cada microvilosidades, 
encontram-se múltiplas peptidases que se 
projetam através das membranas para