A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
46 pág.
Apostila de Fisica Experimental I

Pré-visualização | Página 6 de 8

do nônio. A extremidade da peça, vista na escala principal, está entre o 
2 e o 3. A parte que excede aos 2mm da peça é determinado com o emprego do nônio. 
 
 
ESCALA PRINCIPAL (mm) 
 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 
 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 
NÔNIO 
 
 
T0049Apost./2000.1/N 24 
 
 
 
 Fig. 4 
 
 
Como a parte excedente, é exatamente igual a distância entre o 2 da escala 
principal e o zero do nônio, e o traço do nônio que coincide com um dos traços da escala 
principal é o 3, então o excedente é 
 
3 x 0,1mm = 0,3mm 
 
e a medida exata da peça é 
 
2,3mm 
 
 
 
Em termos de equação, a medida da peça poderia ser obtida, do seguinte 
modo: como o traço 5 da escala principal coincide com o traço 3 do nônio, temos que: 
 
5 partes da escala principal = (comprimento x da peça) + (3 partes do nônio) 
ou 
5 = x + 3 x 0,9, onde: uma parte da escala principal = 1mm. 
 uma parte do nônio = 0,9mm 
logo 
x = 5 - 3(1 - 0,1) 
= (5 - 3) + 3 x 0,1 
= 2 + 0,3 donde x = 2,3mm 
 
Como foi visto, a diferença entre cada parte da escala principal e da do nônio, é 
a precisão “P” do instrumento (Menor medida mensurável). 
 
ESCALA PRINCIPAL 
 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 
 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 
NÔNIO 
 
 
T0049Apost./2000.1/N 25 
 
USO DO PAQUÍMETRO 
 
a) Determine a precisão de um paquímetro 
 
 
 
 
a) Feche o paquímetro, isto é, o zero da escala principal coincidindo com o zero do 
nônio; 
b) Verifique o comprimento do nônio usando a escala principal inferior de seu 
paquímetro; 
c) Verifique em quantas partes o nônio é subdividido; 
d) Determine o comprimento de cada parte do nônio, dividindo o seu comprimento, item 
b, pelo número de subpartes do nônio, item c; 
e) Cálculo da precisão P do paquímetro (diferença entre as partes). Normalmente a 
escala inferior do paquímetro é em milímetro, isto é, cada parte da escala principal é 
igual a 1mm. Seja N o valor de cada parte da escala do nônio, item d. Então a 
precisão P do paquímetro é: 
P = 1mm - N diferença entre as partes. 
= mm 
Note que “P” é a menor medida que o seu paquímetro pode efetuar. 
 
 
 
 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 1 0 
Mitutoyo 
 
 
T0049Apost./2000.1/N 26 
 
EXEMPLO DE LEITURA 
 
Coloque a peça entre o zero da escala principal e o zero do nônio. Chame de 
L0 o maior valor inteiro da peça, lido na escala principal do paquímetro, e que fica 
imediatamente antes da extremidade final da peça. O comprimento total L da peça é: 
 
L = L0 + (a parte excedente). 
 
Calcule a parte excedente assim: Verifique qual a ordem do traço “n” do 
nônio que melhor coincide com qualquer um dos traços da escala principal, e a 
parte excedente = n. precisão (diferença das partes) 
 = n. P 
 
 
Logo o comprimento L da peça é: 
 
L = L0 + nP 
 
 
 
 
 
 
3. MATERIAL NECESSÁRIO: 
a) Paquímetro 
b) Peças, fios e cilindros 
20,76mm 
 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 
 0 1 2 3 4 5 6 7 
Mitutoyo 
 
 
T0049Apost./2000.1/N 27 
EXPERIÊNCIA No 2 
 
 
MICRÔMETRO 
 
1. OBJETIVO: 
Obtenção de medidas de comprimento com o uso do micrômetro. 
 
2. INTRODUÇÃO TEÓRICA: 
2.1. INTRODUÇÃO 
Quando se deseja medir comprimentos, com precisão de ordem de 0,01 a 
0,001mm, usa-se o micrômetro, também chamado de palmer; destina-se a medir 
diâmetro de fios, espessura de chapas de lâminas, etc. 
O micrômetro é composto de uma parte curva, o arco que contém o encosto e 
a haste, além de um fixador; solidário ao arco há um cilindro chamado bainha, 
contendo uma graduação em milímetros ou em polegadas, conforme o modelo de 
micrômetro, e o tambor, com uma graduação circular. 
 
 
 
2.2. FUNCIONAMENTO DO MICRÔMETRO - (Micrômetro de precisão 0,01mm) 
A haste é fixada ao tambor através de uma parte rosqueada, chamada 
parafuso micrométrico, de passo igual a 0,5mm, que gira em uma porca. Isto 
significa que para cada volta completa do tambor, a haste desloca-se 0,5mm na 
direção de seu eixo. Como o tambor está dividido em 50 partes iguais, pode-se medir 
qualquer deslocamento da ordem de 0,01mm, pois 0,5mm/50 = 0,01mm. 
 
2.3. PRECISÃO 
tambor do divisões de Número
Passo
 Precisão = 
 
1 
 2 
 ARCO 
 FIXADOR 
 BAINHA 
 TAMBOR 
1 - HASTE 
2 - ENCOSTO 
 15 
 10 
5 
 0 1 
0 - 25mm 0,01mm 
Mitutoyo 
 
 
T0049Apost./2000.1/N 28 
 
2.4. DESLOCAMENTO AXIAL ( D ) 
 
D = (Número de voltas ) x ( Passo ) 
 
 
2.5. MANUSEIO DO MICRÔMETRO 
O primeiro passo antes de usar o micrômetro consiste em zerar o instrumento. 
Para tal, é necessário fazer tocar a haste no encosto, girando o tambor por sua parte 
rugosa. Quando isto ocorre, o zero da escala do tambor deverá coincidir com a linha 
horizontal da escala da bainha. Caso contrário, terá que ser feita correção nas leituras 
subseqüentes. 
O segundo passo é girar o tambor, entre o polegar e o indicador; até que a 
abertura permita a colocação do objeto a ser medido. Deve-se ter o cuidado para que o 
objeto fique bem colocado, a fim de se evitar uma falsa medida. O terceiro passo 
consiste em girar o tambor no sentido contrário ao da operação anterior até que o 
tambor deslize sem avançar axialmente. A leitura poderá então ser feita. 
 
 
2.6. LEITURA DO MICRÔMETRO 
A bainha contém duas graduações em milímetros: a superior e a inferior à linha 
horizontal, sendo que a graduação inferior indica os “ meio-milímetros”. Leia a medida 
do micrômetro da forma seguinte: 
1. Verifique quantos milímetros há entre o zero da escala superior e o tambor; 
2. Verifique se há algum traço da escala inferior entre o último traço da escala 
superior e o tambor; 
3. Obtenha o valor do traço da escala do tambor que coincide com a linha 
horizontal da bainha; 
4. Coloque o número obtido na primeira instrução seguida de uma vírgula; se 
não houver o traço que indica meio milímetro na instrução 2, ponha após a 
vírgula o valor do traço da instrução 3. Caso haja o traço da 2, acrescente 50 
ao valor do traço da instrução 3 e coloque o resultado após a vírgula. 
 
 
EXEMPLO DE LEITURA 
 
 
 
 
 
1. 7mm na escala superior 
2. há o traço na escala inferior 
3. traço 11; 50 + 11 = 61 
4. resultado: 7,61mm 
 0 5 15 
 10 
 5 
 
 
T0049Apost./2000.1/N 29 
Verifique as leituras dos exemplos abaixo: 
 
 
 
Leitura = 4,20mm 
 
 
 
 
 
Leitura = ( ) - complete 
 
 
 
 
3. MATERIAL NECESSÁRIO: 
a) 1 micrômetro 
b) esferas 
c) fios 
 
 0 1 2 3 4 30 
20 
10 
 0 1 2 3 
 20 
10 
0 
 
 
T0049Apost./2000.1/N 30 
 
EXPERIÊNCIA No 3 
 
 
 
 MOVIMENTO RETILÍNEO UNIFORMEMENTE VARIADO (MRUV) 
 
1. OBJETIVO: 
Determinar a aceleração do movimento de um corpo num plano inclinado. 
 
2. INTRODUÇÃO TEÓRICA: 
O MRUV tem como características, trajetória retilínea e aceleração constante 
diferente de zero. 
Equações do Movimento: 
a) equação da velocidade: v = v ( t ) 
 
 
 
 
b) equação da posição - x = x ( t ) 
 
 
 
 
c) equação de Torricelli v = v ( x ) 
 
 
 
 
3. MATERIAL NECESSÁRIO: 
a) cronômetro 
b) plano inclinado ( calha ) 
c) esfera