Resumo de Direito das Obrigações
60 pág.

Resumo de Direito das Obrigações

Disciplina:Direito das Obrigações699 materiais6.657 seguidores
Pré-visualização20 páginas
Resumo de Direito das Obrigações
Introdução ao direito das obrigações
Conceito e âmbito do direito das obrigações
	Pode-se dizer que o direito das obrigações consiste num complexo de normas que regem relações jurídicas de ordem patrimonial, que têm por objetivo prestações de um sujeito em proveito de outro. Disciplina as relações jurídicas de natureza pessoal, visto que seu conteúdo é a prestação patrimonial, ou seja, a ação ou omissão do devedor tendo em vista o interesse do credor que, por sua vez, tem o direito de exigir o seu cumprimento, podendo, para tanto, movimentar a máquina judiciária, se necessário. A finalidade das obrigações consiste em fornecer meios ao credor para exigir do devedor o cumprimento da prestação.
Conceito: obrigação é o vínculo jurídico que confere ao credor (sujeito ativo) o direito de exigir do devedor (sujeito passivo) o cumprimento de determinada prestação. Corresponde a uma relação de natureza pessoal, de crédito e débito, de caráter transitório (extingue-se pelo cumprimento), cujo objeto consiste numa prestação economicamente aferível.
Elementos constitutivos da obrigação: sujeito, objeto e vínculo jurídico (teoria dualista: débito e responsabilidade).
Sujeito – pode ser pessoa natural, jurídica ou entes despersonalizados. Podendo ser determinado ou determinável. No cumprimento da obrigação o sujeito deve ser determinado.
Objeto – o objeto é a prestação, que é uma conduta ou ato humano que se traduz no ato de dar, fazer ou não fazer. A prestação é o objeto imediato. O objeto mediato da prestação é a coisa propriamente dita. Deve ser lícito, possível, determinado ou determinável. Deve ser também, economicamente apreciável.
Vínculo jurídico – é a união existente entre o sujeito ativo e o passivo, que confere ao primeiro o direito de exigir coercitivamente o cumprimento da obrigação.
Débito: elemento espiritual da relação. Diz respeito ao comportamento que o devedor deve adotar no sentido de cumprir com a obrigação de forma pontual.
Responsabilidade: confere ao credor o poder de exigir do devedor o cumprimento da obrigação. O que guarnece essa obrigação são os bens do devedor.
Débito sem responsabilidade – dívidas prescritas -> obrigações naturais ou imperfeitas
Responsabilidade sem débito - > fiador.
Características principais do direito das obrigações

Transitoriedade – a obrigação nasce para ser adimplida, o quanto antes melhor.
Vínculo jurídico – poder que é conferido ao credor de exigir do devedor o cumprimento da obrigação.
Patrimonialidade – o objeto da relação deve ter cunho patrimonial, que é a garantia de adimplemento, exceto a prisão por pensão alimentícia.
Relatividade – a obrigação só vincula as partes envolvidas. O credor só pode executar o devedor.
Prestação positiva/negativa – positiva: dar, fazer, restituir. Negativa: não fazer – pode decorrer da lei ou de uma obrigação contratual entre as partes.
Direitos obrigacionais e direitos reais
	Direito real é aquele que afeta a coisa direta e imediatamente, sob todos ou sob certos aspectos, e a segue em poder de quem quer que a detenha. Direito pessoal/obrigacional é direito contra determinada pessoa.
	Os direitos reais têm como elementos essenciais: o sujeito ativo, a coisa e a relação ou poder do sujeito ativo sobre a coisa.
Principais distinções
	Os direitos obrigacionais diferem, em linhas gerais, dos reais:
Quanto ao objeto: porque exigem o cumprimento de determinada prestação, ao passo que estes incidem sobre uma coisa.
Quanto ao sujeito: porque o sujeito passivo é determinado ou determinável, enquanto nos direitos reais é indeterminado (são todas as pessoas do universo que devem abster-se de molestar o titular).
Quanto à duração: porque são transitórios e se extinguem pelo cumprimento ou por outros meios, enquanto os reais são perpétuos, não se extinguindo pelo não uso, mas somente pelos casos expressos em lei (desapropriação, usucapião, etc.).
Quanto à formação: pois podem resultar da vontade das partes, sendo ilimitado o número de contratos inominados, ao passo que os direitos reais só podem ser criados pela lei, sendo seu número limitado e regulado por esta.
Quanto ao exercício: porque exigem uma figura intermediária, que é o devedor, enquanto os direitos reais são exercidos diretamente sobre a coisa, sem necessidade da existência de um sujeito passivo.
Quanto à ação: que é dirigida somente contra quem figura na relação jurídica como sujeito passivo, ao passo que a ação real pode ser exercida contra quem quer que detenha a coisa.

Figuras híbridas
Obrigações propter rem
Conceito
	Obrigação propter rem é a que recai sobre uma pessoa, por força de determinado direito real. Essas obrigações são concebidas como ius ad rem ( direitos advindos da coisa). Há uma obrigação dessa espécie sempre que o dever de prestar vincule quem for titular de um direito sobre determinada coisa, sendo a prestação imposta precisamente por causa da titularidade da coisa. Provêm da existência de um direito real, impondo-se a seu titular. Esse cordão umbilical jamais se rompe. Se o direito de que se origina é transmitido, a obrigação o segue. A transmissão ocorre automaticamente. O adquirente não pode recusar-se a assumi-la.
Ônus reais
	Ônus reais são obrigações que limitam o uso e o gozo da propriedade, constituindo gravames ou direitos oponíveis erga omnes. Aderem e acompanham a coisa. Quem deve é esta e não a pessoa, são encargos que a coisa produz. A responsabilidade pelo ônus real é limitada à coisa, não respondendo o proprietário além dos limites do respectivo valor.
obrigações com eficácia real
	São as obrigações que, sem perder seu caráter de direito a uma prestação, transmitem-se e são oponíveis a terceiro que adquira direito sobre determinado bem. Exemplo: obrigação que resulta do compromisso de compra e venda, direito de preferencia.
Noções gerais de obrigações
 Fontes das obrigações
	As fontes das obrigações são os fatos jurídicos que dão ensejo às relações obrigacionais. É de onde surge o dever de prestação assumido pelo devedor.
4 correntes:
Dualista – Professor Caio Mário – as obrigações decorrem da vontade ou da lei.
Tríplice – Sívio Rodrigues e Carlos Roberto Gonçalves – a obrigação resulta ou da lei – fonte primária ou imediata de todas as obrigações – ou de uma declaração de vontade ou de um ato ilícito.
Vontade, lei e boa fé objetiva – Nelson Rosenvald
O acontecimento é que faz surgir a norma – professor Fernando Noronha.

Distinção entre obrigação e responsabilidade
	A distinção entre obrigação e responsabilidade foi feita por Brinz, na Alemanha, que discriminou na relação obrigacional, dois momentos distintos: o do débito (schuld), consistindo na obrigação de realizar a prestação e dependente da ação ou omissão do devedor, e o da responsabilidade (Haftung), na qual se faculta ao credor atacar e executar o patrimônio do devedor a fim de obter o pagamento devido.
	Embora os dois conceitos estejam normalmente ligados, nada impede que haja uma obrigação sem responsabilidade ou uma responsabilidade sem obrigação.
Das modalidades das obrigações
Noção geral
	As obrigações se dividem em três grupos: obrigações de dar, obrigações de fazer e obrigações de não fazer. As duas primeiras são positivas, a terceira, negativa. Nas obrigações positivas é possível a mora. Nas negativas, a doutrina tradicional (Caio Mário) afirma não caber mora, enquanto a corrente mais moderna afirma que depende da obrigação, cabendo mora, por exemplo, nas obrigações de trato sucessivo.
Das obrigações de dar – artigo 233
	A obrigação de dar é aquela na qual fica o devedor obrigado a, em benefício do credor, promover a tradição da coisa móvel ou imóvel, ceder sua posse ou, ainda, restituir a coisa. A obrigação de dar é obrigação de prestação de coisa, determinada ou indeterminada.
Das obrigações de dar coisa certa
Noção e conteúdo
	Nessa modalidade de obrigação, o devedor se compromete a entregar ou a restituir ao credor um objeto perfeitamente determinado, que se considera
Jéssica Thaís Fossa fez um comentário
  • Alguém possui este material pra me enviar por e-mail? Achei ele muito bom e me ajudaria muito... meu e-mail é jethais1@hotmail.com Agradeço de coração
    0 aprovações
    Hugo Oliveira fez um comentário
  • por favor alguém pode me enviar esse material por e-mail ? Vai salvar meu semestre kkkkkkkkkkk
    1 aprovações
    Matheus Botelho fez um comentário
  • Alguém conseguiu por email?
    0 aprovações
    Matheus Botelho fez um comentário
  • Como faço para imprimir?
    1 aprovações
    Carregar mais