Extinção do contrato de trabalho e trabalhadores especiais - Resumo
7 pág.

Extinção do contrato de trabalho e trabalhadores especiais - Resumo

Pré-visualização7 páginas
1
Extinção decorrente de falta grave do empregado
Dicas para apreciar a justa causa:
Imediatividade da punição (falta não punida é falta perdoada.);
Quebra de isonomia;
Ausência de bis in idem (não pode punir novamente pela mesma conduta.);
Razoabilidade e proporcionalidade da punição.
Art.482 – hipóteses que geram justacausa:
1. ato de improbidade: falta grave que não exige conduta anterior punida.
2. incontinência de conduta ou mau procedimento: dispositivo tido como decadente
na CLT, tido como preconceituoso. Gera justa causa ou o que o trabalhador faz fora do
emprego não interessa?
3. negociação habitual por conta própria ou alheia sem permissão do empregador, e
quando constituir ato de concorrência à empresa para a qual trabalha o empregado, ou
for prejudicial ao serviço.
4. condenação criminal do empregado.
5. desídia no desempenho das respectivas funções.
6. embriaguez ocasional ou em serviço: a embriaguez habitual é considerada doença.
7. violação de segredo da empresa.
8. ato de indisciplina ou de insubordinação: ato de indisciplina - recusa a seguir as normas da
empresa de forma geral / ato de insubordinação - recusa a determinada ordem especíca.
9. abandono de emprego: falta injusticada por 30 dias ou mais ou desempenho de
atividade incompatível que demonstre o ânimo de abandonar.
10. ato lesivo da honra ou da boa fé praticado no serviço contra qualquer pessoa.
11. ato lesivo da honra e boa fama ou ofensas físicas praticadas contra o empregador e
superiores hierárquicos, salvo em caso de legítima defesa.
12. Prática constante de jogos de azar.
Súmula 77, Súmula 32 TST.
Extinção do contrato de trabalho e trabalhadores especiais
Direito do Trabalho
2
Extinção decorrente de falta grave do empregador
Extinção por culpa recíproca, força maior e factum principis
Art.483 – hipóteses que geram rescisão indireta:
1. Forem exigidos serviços superiores às suas forças, defesos por lei, contrários aos bons
costumes, ou alheios ao contrato; (assédio moral);
2. Ser tratado pelo empregador ou por seus superiores com rigor excessivo; (assédio moral)
3. Correr perigo manifesto de mal considerável. Convenção 155 da OIT;
4. Não cumprir o empregador as obrigações do contrato;
5. Praticar o empregador ou seus prepostos contra ele ou pessoas de sua família, ato lesivo
de honra e boa fama;
6. O empregador ou seus prepostos o agredirem sicamente salvo em caso de legítima defesa.
7. O empregador reduzir o seu trabalho, sendo este por peça ou tarefa, de forma a afetar
sensivelmente a importância dos salários.
§3º- Empregado pode permanecer ou não no serviço.
Culpa recíproca
Art. 484 - todas as verbas rescisórias são pagas por metade
Súmula 14 TST - reconhecida a culpa recíproca na rescisão do contrato de trabalho, o
empregado tem direito a 50% (cinqüenta por cento) do valor do aviso prévio, do décimo
terceiro salário e das férias proporcionais.
Força maior: indenização de 40% atenuada em 20%.
Fato do príncipe: contrato de trabalho é extinto por decisão do poder publico.
Estado terá que indenizar em 40%.
Observação: sempre que a reação do Estado for uma resposta ao ilícito do empregador,
este empregador terá que arcar com a responsabilidade. Ex.: fabrica construída em área
ambiental proibida.
3
Aviso prévio
Obrigações decorrentes da extinção do contrato de trabalho: verbas rescisórias
Cumprido ou indenizado.
Cláusula assecuratória: rescisão dos contratos por prazo determinado.
Aviso prévio indenizado: Se o empregado, no contrato por prazo indeterminado, pede
demissão sem aviso prévio ou o empregador dispensa sem aviso prévio, a parte que rom-
peu terá que pagar certa quantia à outra (art. 487, §§ 1º e 2º).
Duração do aviso prévio:
Lei 12506/2011: até 1 ano trabalhando = 30 dias. A cada ano a mais aumentam-se 3 dias,
sendo o máximo 90 dias de aviso prévio.
Art. 489: o aviso prévio, para ser dado, precisa apenas da unilateralidade, mas caso quei-
ra-se desconstruir o aviso prévio é necessária a bilateralidade
Art. 488: A jornada é reduzida em 2 horas por dia.
Falta Grave durante o aviso prévio: artigos. 490 e 491.
Art. 487, §1º: O aviso prévio é computado no tempo de serviço, para todos os efeitos legais.
Sem justa causa Justa causa Rescisão indireta Pedido de demissão
Saldo de salário
Férias venc. + 1/3
Férias prop. + 1/3
Aviso prévio
13º prop.
FGTS + 40%
Seguro-desemprego
Saldo de salário
Férias venc. + 1/3
Saldo de salário
Férias venc. + 1/3
Férias prop. + 1/3
Aviso prévio
13º prop.
FGTS + 40%
Seguro-desemprego
Saldo de salário
Férias venc. + 1/3
Férias prop. + 1/3
Aviso prévio ao
empregador
13º prop.