Relatório 5
10 pág.

Relatório 5


DisciplinaQuímica Prática38 materiais1.132 seguidores
Pré-visualização2 páginas
UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO 
CURSO DE ENGENHARIA CIVIL 
DISCIPLINA: QUÍMICA GERAL 
PROFESSORA: FERNANDA ANJOS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
RELATÓRIO DE EXPERIMENTO 
 
"Preparo de soluções." 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Alunos: Edinaízio Machado Rocha 
 Fernanda Amorim Medeiros Patriota 
 Michele Mota Sampaio Lopes 
Turma: A 
Data: 12 de Março de 2013 
 
 
 
 
 
 
Juazeiro-Bahia 
 
 
 
 
 
UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO 
FRANCISCO 
CURSO DE ENGENHARIA CIVIL 
 
 
1. INTRODUÇÃO TEÓRICA 
 
Soluções são sistemas homogêneos formados por uma ou mais substâncias 
dissolvidas, que denominamos soluto, em outra substância presente em maior 
quantidade na mistura, que denominamos solvente. As soluções mais comuns em nosso 
dia-a-dia são as soluções de sólidos em líquidos. A água é o solvente mais utilizado e 
por isso é conhecida como solvente universal. [1] 
As substâncias podem se dissolver em outras, mas em uma quantidade limitada, 
ou seja, existe uma quantidade máxima de soluto para ser dissolvido em uma certa 
quantidade de solvente. Este limite é o coeficiente de solubilidade e varia de acordo 
com a temperatura. A solubilidade das substâncias são classificadas como: 
\uf0b7 Saturada: quando se tem a quantidade máxima de soluto para um dado solvente. 
\uf0b7 Insaturada: quando a quantidade de soluto é inferior à capacidade máxima de 
dissolução do solvente. 
\uf0b7 Supersaturada: quando se tem uma quantidade de soluto superior à quantidade 
máxima para um dado solvente. 
Uma solução pode ser preparada pelo processo de diluição, onde um solvente é 
adicionado a uma solução inicialmente concentrada. Quando se adiciona mais solvente a 
esta solução faz com que seu volume aumente, mas a quantidade do soluto permanece a 
mesma. Ocorre concentração quando a quantidade de soluto dissolvida na solução está 
próximo a solubilidade deste soluto. A concentração pode ser medida destas formas: 
\uf0b7 Concentração comum (C): razão entre a massa do soluto e o volume da solução 
(g/L ou g/mL); 
\uf0b7 Densidade (d): razão entre a massa da solução e o volume da solução (g/L ou 
g/mL); 
\uf0b7 Titulo (T): razão entre a massa do soluto e a massa da solução (sem unidade de 
medida); 
\uf0b7 Molaridade (M): razão entre o número de mols e o volume da solução (mol/L); 
A concentração também pode ser expressa em porcentagem, onde multiplica-se o 
resultado do título por cem. Lembrando que 0 < T <1. 
 
2. OBJETIVOS 
 
 
 Preparar várias soluções, fazer diluições e preparar uma solução supersaturada. 
 
3. PARTE EXPERIMENTAL 
 
O experimento foi dividido em cinco partes, sendo elas: 
 
 Parte 1: Preparar 200 mL de uma solução de NaOH 0,1 mol/L 
Pesou-se a massa do NaOH em um béquer de 50 mL, adicionou-se água no 
béquer até metade do seu volume para dissolver o NaOH. Transferiu-se a mistura para 
um balão volumétrico de 200 mL, completou-se o volume do balão volumétrico até a 
marca do menisco com água destilada, fechou-se e homogeneizou-se a solução. Este 
procedimento foi feito rapidamente pelo fato de que o NaOH é higroscópio, ou seja, 
absorve água do ambiente. 
Parte 2: Preparar 100 mL de HNO3 0,1 mol/L 
 Adicionou-se 20 mL de água em um béquer de 50 mL, em seguida foi levado 
este para a capela. Com o uso de uma pipeta graduada adicionou-se ao balão 
volumétrico de 100 mL o volume de HNO3 calculado e completou-se com água 
destilada até a marca de menisco. Fechou-se o balão volumétrico, agitou-se e 
homogeneizou-se. Neste procedimento o ácido foi adicionado lentamente para que não 
houvesse o aquecimento e projeção do tal. 
Parte 3: Preparar 50 mL de NaCl 0,1 mol/L 
Em um vidro de relógio foi pesada a massa de NaCl, em seguida transferida para 
um béquer e feita a diluição adicionando-se água destilada ao béquer. Transferiu-se a 
mistura para um balão volumétrico de 50 mL. Após não haver mais resíduos do NaCl 
completou-se o balão volumétrico até a marca de menisco com água destilada. Por fim 
fechou-se o balão volumétrico e homogeneizou-se. 
Parte 4: Preparar 50 mL de solução de NaCl 0,01 mol/L 
Foram retirados 5 mL da solução de NaCl 0,1 mol/L preparado anteriormente e 
adicionado a um balão volumétrico de 50 mL e completado até o menisco com água 
destilada, fechado e homogeneizado. 
Parte 5: Preparar uma solução supersaturada 
 
4. RESULTADOS E DISCUSSÃO 
 
Antes do preparo de soluções deve-se ter bastante cuidado. Alguns procedimentos 
devem ser seguidos, como: 
\uf0b7 É de extrema importância obter todas as informações em relação à execução do 
preparo de soluções. 
\uf0b7 Tratar sempre com o volume mínimo necessário de reagentes. 
\uf0b7 O ácido deve ser adicionado lentamente na água, e jamais a água deve ser 
adicionada diretamente sobre o ácido. 
\uf0b7 Dissolver o material cautelosamente, utilizando água purificada recentemente, 
aguardando o equilíbrio térmico para completar o volume até quase a marca de 
aferição adicionando o restante da água com auxilio de pipeta ou conta-gotas. 
\uf0b7 Observar os fatores que afetam a solubilidade. 
Para o cálculo de obtenção de massa foi utilizada a Fórmula 1, e para o cálculo de 
obtenção de volume foi utilizada a Fórmula 2. 
 
 Formula 1 
 
 
 
 Formula 2 
 
 
Onde: 
 
 
 
 
 
 
\uf0b7 Utilização da Fórmula 1 para obtenção da massa do NaOH: 
MM NaOH: 40 g/mol Volume NaOH: 200 mL ou 0.2 L 
 
m = 0.8 g de NaOH 
\uf0b7 Utilização da Fórmula 1 para obtenção da massa do HNO3: 
MM HNO3: 63 g/mol Volume HNO3: 100 mL ou 0,1 L 
 
m = 0.63 g de HNO3 
\uf0b7 Utilização da Fórmula 2 para a obtenção do volume de HNO3: 
(esta fórmula foi utilizada para a obtenção da concentração) 
 
 
 V = 0,63 mL de HNO3 
 
 
\uf0b7 
 
Utilização da Fórmula 1 para obtenção da massa do NaCl Parte 3: 
MM NaCl: 58,5 g/mol Volume NaCl: 50 mL ou 0.05 L 
 
 m = 0,2925 g de NaCl 
\uf0b7 Utilização da Fórmula 2 para obtenção do volume do NaCl Parte 4: 
 
Abaixo, segue a tabela contendo os solutos e solventes utilizados no experimento e as 
características soluções obtidas nos quatro balões volumétricos. 
 
 Tabela 1: Dados calculados e obtidos. 
 
 
Volume (L) 
Massa Teórica 
(g) 
Massa 
alcançada 
(g) 
Erro relativo 
NaOH 0,2 0,8 0,8101 1,2625% 
HNO3 0,1 0,63 0,6301 0,0159% 
NaCl 0,05 0,2925 0,2866 2.0170% 
 
 
 
 
Em todas as partes da preparação de solução foram obtidos resultados satisfatórios por 
terem sido realizadas com a devida cautela, inclusive na preparação da solução com HNO3 que 
exige um maior cuidado na adição do ácido em água, para evitar seu aquecimento e sua 
projeção. Foram realizadas as devidas pesagens e homogeneização das substâncias utilizadas 
no experimento e os resultados foram positivos ao esperado. 
Todos os solutos se dissolveram na água destilada, e os cálculos realizados para a 
obtenção de massa e volume das substâncias foram cruciais para este resultado satisfatório 
porque deu exatidão na quantidade que deveria ser usada de soluto na solução para que 
formassem soluções saturadas contendo uma quantidade máxima de soluto para uma 
determinada quantidade de solvente. 
Para uma substância se dissolver em outra vai depender do soluto e do solvente utilizados. 
A temperatura também tem um papel fundamental. O que determina a solubilidade é a tendência 
que as substâncias têm de se misturarem. [4] 
Os íons das substancias sofrem forças atrativas intermoleculares que os mantem juntos. 
As forças de atração relativas entre as moléculas do soluto e do solvente também tem papel 
muito importante