Memória, atenção, agnosias
13 pág.

Memória, atenção, agnosias

Disciplina:Psicologia, Psiquiatria e Neurociência28 materiais861 seguidores
Pré-visualização4 páginas
- processos envolvidos na memória- compreender memória (definição, tipos, formação, vias, processamento, neurotransmissores, alterações)
- compreender atenção (definição, tipos, formação, vias, processamento, neurotransmissores, alterações)
- conhecer a relação entre memória e atenção
- conhecer o Mini mental
- Citar os exames laboratoriais utilizados para a avaliação da atenção e memória e sua importância
- conhecer os padrões de RM na avaliação da memória
- descrever agnosia e seus tipos
- Dalgalarrongo cap 11 (atenção e suas alterações) e 15 (memória e suas alterações)
- Cem bilhões de neurônios? Cap 18 (pessoas com história)
- Exame clínico do porto (miniexame do estado mental)
- Propedêutica neurológica fundamental; Ivanilton Galhardo – RM de idosos normais e nos estados demenciais
- compêndio de clínica psiquiatria, Forlenza – cap 6 – exames subsidiários ao diagnóstico psiquiátrico

- evento*: qualquer coisa memorizável
 - podendo ser originados do mundo externo ou interno
- Aquisição: a entrada de um evento nos sistemas de memória
- Seleção: aquisição de alguns aspectos do evento;
 - mais marcantes, relevantes, importantes, focalizados pelo indivíduo ou priorizados por critérios desconhecidos
- Retenção: eventos armazenados por algum tempo (as vezes anos ou segundos)
 - disponíveis para serem lembradosA relação entre retenção e esquecimento se dá, entre outros aspectos, pelo tipo de utilização que se faz do evento memorizado

 - influenciada por elementos distratores e ordem de apresentação de uma sequencia
- Esquecimento: aspectos que desaparecerão da memória
 - a retenção nem sempre é permanente; a maioria das vezes não éPara alguns tipos de memória, a capacidade de retenção é finita: em torno de 7 eventos; letras (como a memória operacional)
Para outros, a capacidade parece ser infinita

 - importante na prevenção de sobrecargas do sistema
 - filtragem dos aspectos mais relevantes de um evento
 - esquecimento pode ser patológico na amnésia e hipermnésia
- Consolidação: quando a memória é prolongada ou permanente
- Evocação: acesso à informação armazenada para utilizá-la
 - na cognição, emoção ou exteriorização via comportamento
- tipos de memória
- diferentes tipos de memórias são operadas por mecanismos e regiões diferentes
- quanto ao tempo de retenção:
- memória ultrarrápida: não dura mais que alguns segundos (lembrar de palavras faladas durante uma frase)
 - lembrar da segunda fala até dizer a primeira
- memória de curta duração: dura minutos ou horas
 - proporciona uma continuidade do sentido de presente
- memória de longa duração: duradouras (semanas, dias ou anos)
- quanto à natureza da memória
(1) memória explicita (declarativa): o que pode-se evocar por meio de palavras ou outros símbolos
 - é mais facilmente adquirida e perdida
 - pode ser episódica quando envolve eventos temporais (lembrar que foi ao teatro domingo)
 - pode ser semântica quando envolve conceitos atemporais (lembrar que teatro é arte cênica)
(2) memória implícita: não precisa ser descrita em palavras
 - requer mais tempo e treinamento para se formar; persiste mais duradouramente
 - possui quatro subtipos:
 - memória de representação perceptual: imagem de um evento antes de se saber o que significa ou para que serve
 - memória de procedimentos: hábitos, habilidades, regras em geral; dirigir um carro; falar sujeito antes do verbo
 - memória associativa: relacionada a resposta/comportamento
 - (salivar antes de colocar comida na boca por associar cheiro ou aspecto da alimentação)
 - memória não-associativa: quando sem sentir, aprendemos que um estímulo repetitivo é inócuo e relaxamos
 - o latido de um cãozinho
(3) memória operacional: armazenamento temporário de informações úteis apenas para raciocínio imediato
 - como o local onde estacionou-se o carro
OBS.: os caminhos da memória são paralelos e não lineares; dessa forma, para chegar ao longo prazo, não se precisa, necessariamente, passar por todos os outros tipos de memória

- o primeiro dos processos mnemônicos ocorre nos sistemas sensoriais
 - é a chamada memória sensorial
 - é uma forma de memória ultrarrápida e pré-consciente
 - é 2 ou 3x maior que a memória de curta duração
 - possui decaimento com o tempo (não é esquecimento porque é pré-consciente)
- a memória operacional
- é um tipo de reserva dinâmica de informações disponíveis online
- lida com dados provenientes da memória ultrarrápida, mas não exclusivamente
 - utiliza também dados da memória de longa duraçãoCoordenador das alças visuoespacial e fonológica

- é constituída por um componente executivo central
 - não há certeza sobre sua localização específica, mas estudos indicam o partes do córtex pré-frontal
 - e pelo menos dois componentes de apoio: visuoespacial e fonológico
- componente visuoespacial: lobo parietal inferior e regiões da via dorsal do córtex visual
- componente fonológico: giro supramarginal no hemisfério esquerdo
- lobo temporal medial também participa dos mecanismos da memória operacional
 - na memória espacial
 - formação de um mapa cognitivo de relação dos eventos de cada momento com o espaço externo
- memória explícita
- uma seleção mais rigorosa, no SNC, envolvida na construção da autobriografia
- a memória de longa duração, especificamente a memória explícita
 - um enorme arquivo de dados para serem evocados sempre que necessário
- seu estudo começou com o paciente HM que teve regiões do lobo temporal medial afetadas
 - o hipocampo
 - o córtex endorrinal
 - o córtex perirrinal
 - o córtex para-hipocampal Entendeu-se que a participação específica do hipocampo está na consolidação

- o hipocampo não é o sítio onde as memórias explícitas estão armazenadas
 - mas é a estrutura que coordena o processo de consolidação
- o armazenamento ficaria a cargo de outras regiões corticais
 - teoria apoiada na quantidade de conexões que o hipocampo faz com demais regiões do lobo temporal
 - e do lobo temporal para diversas regiões corticais, especialmente córtex pré-frontal, parietal e regiões anteriores e laterais do lobo temporal
- hipocampo possui também conexões importantes com o diencéfalo
 - corpos mamilares do hipotálamo e indiretamente com núcleos anteriores do tálamo
- revelando importância também na consolidação da memória explícita
 - pacientes com lesões diencefálicas apresentam sintomas amnésicos
 - como alcoolistas graves na síndrome de Korsakoff
- quanto ao armazenamento, porém
 - a hipótese é a mesma de vários anos atrás (Lashley)
- a hipótese mais provável é que cada região cerebral de processamento complexo armazene informações
 - sob o comando do hipocampo
- de modo que, arquivos icônicos armazenam-se em áreas do córtex inferotemporal (percepção de objetos)
- arquivos léxicos e fonéticos armazenados na área de Wernicke e nas áreas vizinhas (confluência de lobos t, p e o)
- a memória implícita de longa duração estaria armazenada em regiões motoras do córtex, núcleos da base e cerebeloConhecer o Albert Einstein a partir de fotos ou caricaturas por tê-lo visto muitas outras vezes; não sabemos como reconhecemos, pois é pré-consciente

- memória de representação perceptual (subtipo de implícita)
- identificação com base na forma e estrutura de objetos
- sem que se saiba a função ou o nome da estrutura	
- para ativação dessa memória, pode-se utilizar objetos impossíveis, palavras inexistentes e sons sem nexo
 - o que prova a natureza pré-consciente dessa memória
- duas características típicas da memória de representação