Qualidade de Vida no Trabalho
56 pág.

Qualidade de Vida no Trabalho


DisciplinaQualidade de Vida no Trabalho222 materiais2.482 seguidores
Pré-visualização9 páginas
Qualidade de 
Vida no 
Trabalho
SEST \u2013 Serviço Social do Transporte
SENAT \u2013 Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte
Fale Conosco
0800 728 2891
ead.sestsenat.org.br 
Curso on-line \u2013 Qualidade de Vida no Trabalho \u2013 
Brasília: Sest/Senat, 2016.
56 p. : il. \u2013 (EaD)
1. Condições de trabalho. 2. Ambiente do
trabalho. I. Serviço Social do Transporte. II. Serviço 
Nacional de Aprendizagem do Transporte. III. 
Título. 
CDU 331.4 
3
Sumário
Apresentação 5
Unidade 1 | Como Promover a Qualidade de Vida 7
1. Como Promover a Qualidade de Vida 8
1.1 Qualidade de Vida 8
1.2 Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) 9
1.3 Promoção de Qualidade de Vida 10
1.4 Algumas Vantagens da Promoção em QVT 15
1.5 Desafios da Promoção da QVT 16
Glossário 17
Atividades 18
Referências 19
Unidade 2 | Bem-Estar e Mal-Estar no Trabalho 20
1. Bem-Estar e Mal-Estar no Trabalho 21
1.1 Formas de Combate ao Mal-Estar no Trabalho 23
1.2 Razões para não se Aplicar a QVT em um Ambiente de Trabalho Prejudicado 24
Glossário 25
Atividades 26
Referências 28
Unidade 3 | Qualidade de Vida no Trabalho e Produtividade 29
1. Qualidade de Vida no Trabalho e Produtividade 29
1.1 As Metas Empresariais e o Dinamismo Profissional 30
1.2 Produtividade Individual e Coletiva 31
1.3 Os Benefícios da QVT em Longo Prazo para a Produtividade 32
Glossário 33
Atividades 34
4
Referências 36
Unidade 4 | A Ética e a Promoção da Qualidade de Vida no Trabalho 37
1. A Ética e a Promoção da Qualidade de Vida no Trabalho 38
1.1 Ética Aplicada ao Ambiente de Trabalho 39
1.2 A Ética Profissional em Situações de Atrito 41
1.3 A Abordagem de Conflitos 42
Glossário 43
Atividades 44
Referências 46
Unidade 5 | A Política de Qualidade de Vida no Trabalho 47
1. A Política de Qualidade de Vida no Trabalho 48
1.1 Formulação de uma Política de Qualidade de Vida 49
Glossário 51
Atividades 52
Referências 54
Gabarito 55
5
Apresentação
Prezado(a) aluno(a),
Seja bem-vindo(a) ao curso Qualidade de Vida no Trabalho! 
Neste curso, você encontrará conceitos, situações extraídas do cotidiano e, ao final de 
cada unidade, atividades para a fixação do conteúdo. No decorrer dos seus estudos, 
você verá ícones que tem a finalidade de orientar seus estudos, estruturar o texto e 
ajudar na compreensão do conteúdo. 
O curso possui carga horária total de 20h e foi organizado em 5 unidades, conforme a 
tabela a seguir.
Unidades Carga Horária
1 - Como Promover a Qualidade de 
Vida
5 horas
2 - Bem-Estar e Mal-Estar no 
Trabalho
3 horas
3 - Bem-Estar e Mal-Estar no 
Trabalho
5 horas
4 - A Ética e a Promoção da 
Qualidade de Vida no Trabalho
3 horas
5 - A Política de Qualidade de Vida 
no Trabalho
4 horas
6
Fique atento! Para concluir o curso, você precisa:
a) navegar por todos os conteúdos e realizar todas as atividades previstas nas 
\u201cAulas Interativas\u201d;
b) responder à \u201cAvaliação final\u201d e obter nota mínima igual ou superior a 60; 
c) responder à \u201cAvaliação de Reação\u201d; e
d) acessar o \u201cAmbiente do Aluno\u201d e emitir o seu certificado.
Este curso é autoinstrucional, ou seja, sem acompanhamento de tutor. Em caso de 
dúvidas, entre em contato por e-mail no endereço eletrônico suporteead@sestsenat.
org.br ou pelo telefone 0800 72 82 891.
Bons estudos!
7
UNIDADE 1 | COMO PROMOVER 
A QUALIDADE DE VIDA
8
1. Como Promover a Qualidade de Vida
A ideia de ter qualidade de vida no trabalho é justificada quando colocada em prática. 
Assim, uma ação que busque qualidade de vida no trabalho só faz sentido quando for 
aplicada e der resultados de fato. Antes de qualquer coisa, precisamos entender o que 
é qualidade de vida e como se dá sua aplicação no trabalho.
1.1 Qualidade de Vida
Qualidade de vida pode ser definida 
como uma combinação de fatores 
subjetivos e objetivos. No grupo dos 
fatores subjetivos estão todos aqueles 
elementos que contribuem para nossa 
qualidade de vida, mas não são palpáveis. 
Ou seja: não podemos ver, tocar ou 
mensurar nenhum deles. As sensações de 
felicidade e de bem-estar, por exemplo, 
são fatores subjetivos.
O segundo grupo corresponde aos 
fatores objetivos. Nele, estão inseridos os 
indicadores palpáveis (mais próximos da 
realidade). Podemos citar como exemplo 
a satisfação de suas necessidades 
\u201cbásicas\u201d como cidadão (acesso à 
educação, saúde, direitos e deveres). 
Perceba que, ao contrário do grupo 
anterior, temos estímulos para que esses 
fatores estejam presentes. Por exemplo: 
você sabe quando precisa ir ao hospital 
cuidar de sua saúde quando se sente doente. Nesse grupo, há um maior relacionamento 
com os fatos ao seu redor, enquanto, no primeiro grupo, estão concentrados fatores 
mais íntimos. 
9
 h
Justamente por ser em parte tão subjetivo, o conceito de 
qualidade de vida ainda alimenta diversas discussões e não 
possui uma definição única, sendo inclusive utilizado como 
sinônimo para \u201cboa saúde\u201d e \u201cplenitude\u201d. 
Ainda que existam várias definições, há consenso em dizer que a qualidade de vida é 
bastante influenciada pelo âmbito pessoal. Assim, sabemos que a qualidade de vida 
pode ser medida por alguns fatores muito familiares a todos nós: vida em família, 
amigos, bom ambiente de trabalho. Sem ordem de importância ou prioridade! Que tal 
conhecer os principais parâmetros subjetivos e objetivos ligados à qualidade de vida? 
Observe-os na tabela.
Tabela 1: Parâmetros de Qualidade de Vida no Trabalho
1.2 Qualidade de Vida no Trabalho (QVT)
Durante a década de 1950, a relação entre a qualidade de vida do funcionário e o seu 
trabalho despertou o interesse de estudiosos na área de organização do trabalho. As 
primeiras medidas visando a uma melhoria da qualidade de vida por parte das empresas 
surgiram ainda nesse mesmo período, mas é somente nos anos 60 que esse conceito 
toma força. 
Ao aplicar a QVT ao ambiente de trabalho, os empregadores observaram um aumento 
da produtividade de seus funcionários. Isto é: o gestor, ao adotar medidas dedicadas 
a melhorar a qualidade de vida dos empregados, acabava por estimular algumas 
características importantes para a atuação destes na empresa, como o rendimento, 
saúde, bem-estar, comunicação e eficiência. Os gestores logo começaram a entender 
que o aumento desses índices individuais resultaria em melhorias de rendimento nas 
atividades. Durante a década de 1970, a QVT passou a conter mais relevância e a ser 
adotada, ainda que de forma inicial, pelo mercado de trabalho.
Parâmetros subjetivos Parâmetros objetivos
\u2022 Sentimentos como felicidade, 
compaixão, satisfação
\u2022 Bem-estar e sensação de integração 
à sociedade
\u2022 Saúde
\u2022 Direitos básicos garantidos
\u2022 Acesso a bens de consumo
10
Mas, afinal, como podemos definir a qualidade de vida no trabalho? Sem grandes 
complicações, podemos encarar a QVT como um conjunto de ações realizadas pelo 
setor responsável (RH, gestão, chefe etc.) que tem como objetivo principal a melhoria 
dos níveis de satisfação dos empregados e dos grupos profissionais em que estes 
se encaixam. Essas melhorias são alcançadas por meio de medidas idealizadas com 
esse objetivo. Por exemplo: alterações na forma de gestão da empresa, inovações 
tecnológicas, desafios profissionais pensados para os funcionários, aprimoramentos 
na estrutura oferecida para os empregados \u2013 ou seja, medidas que auxiliem o 
desenvolvimento dos funcionários, tanto no âmbito pessoal quanto profissional.
 a
Por fim, é importante entender a qualidade de vida no trabalho 
como uma ferramenta auxiliar e paralela à atividade da empresa, 
a qual deve receber constante atenção quanto ao seu modelo 
de atuação, uma vez que uma abordagem desatualizada da QVT