A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
105 pág.
TUDO JUNTO

Pré-visualização | Página 3 de 24

nem jorram sangue quando seccionadas, o que é justificado por sua 
camada muscular ser menos espessa que a das artérias uma vez que a pressão arterial nesses vasos é menor. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 A TIPOS DE VEIAS 
• Pequenas veias e vênulas: as vênulas drenam diretamente os leitos capilares e se unem para formar pequenas veias. As pequenas 
veias se unem e formam plexos venosos. Ambas não recebem nome. 
• Veias médias: drenam plexos venosos e acompanham artérias médias. Em locais com maior atuação da força gravitacional, 
apresentam válvulas venosas, válvulas passivas que permitem o fluxo sanguíneo em direção ao coração, mas não no sentido inverso. 
▪ Veias médias superficiais: veia cefálica e veia basílica nos membros superiores e veia safena magna e parva nos membros 
inferiores. 
▪ Veias médias acompanhantes: são aquelas que acompanham artérias profundas, recebem os mesmos nomes das artérias que 
acompanham. Quando a artéria acompanhada se expande durante a contração do coração, as veias são distendidas e achatadas, 
o que ajuda a conduzir o sangue venoso para o coração (bomba arteriovenosa). Outra bomba se dá a partir da compressão de 
veias por músculos dos membros drenados 
• Grandes veias: são caracterizadas por largos feixes de músculo liso longitudinal e uma túnica externa bem desenvolvida. 
▪ Ex: Veia cava superior e inferior. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 A ANASTOMOSES 
• As comunicações entre veias também são existentes de forma que as anastomoses venosas são até mais frequentes que as arteriais. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 P V CAPILARES 
• Os capilares são tubos endoteliais simples que unem os lados arterial e venoso da circulação e permitem a troca de materiais com o 
líquido extracelular (LEC) ou intersticial. Os capilares geralmente são organizados em leitos capilares, redes que unem as arteríolas 
e as vênulas. 
• Sistema venoso porta: é constituído por um sistema venoso que une dois leitos capilares, o sangue atravessa ambos os leitos antes 
de voltar ao coração. 
▪ Ex: Sistema porta do fígado. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
‘ 
 P V COMPOSIÇÃO 
SISTEMA LINFÁTICO 
 
• O sistema linfático proporciona a drenagem do líquido tecidual e proteínas plasmáticas e remove resíduos resultantes da 
decomposição celular e infecção. É composto por linfa, plexos linfáticos, vasos linfáticos, órgãos linfoides, linfócitos e linfonodos. 
▪ Linfa: o líquido tecidual que entra nos capilares linfáticos e é conduzido por vasos linfáticos. 
▪ Plexos linfáticos: são redes de capilares cegos formadas no espaço extracelular. 
▪ Vasos linfáticos: uma rede presente em quase todo o corpo, com vasos de paredes finas que têm muitas válvulas linfáticas. Os 
capilares e os vasos linfáticos estão presentes em quase todos os lugares onde há capilares sanguíneos. 
✓ Vasos linfáticos superficiais: acompanham a drenagem venosa e convergem para ela. Eles são mais numerosos que as 
veias no tecido subcutâneo e que se anastomosam livremente, 
✓ Vasos linfáticos profundos: acompanham as artérias e também recebem a drenagem de órgãos internos. É provável que 
os vasos linfáticos profundos também sejam comprimidos pelas artérias que acompanham, o que leva ao ordenhamento da 
linfa ao longo desses vasos. 
✓ Troncos linfáticos: são vasos linfáticos profundos fundidos que podem drenar mais de uma região. 
✓ Ductos linfáticos: formados pela convergência de troncos linfáticos. 
❖ Ducto linfático direito: drena linfa do quadrante superior direito do corpo (lado direito da cabeça, pescoço e tórax, 
além do membro superior direito). Na raiz do pescoço, entra na junção das veias jugular interna direita e subclávia 
direita, o ângulo venoso direito. 
❖ Ducto torácico: drena linfa do restante do corpo. Na raiz do pescoço, entra na junção das veias jugular interna 
esquerda e subclávia esquerda, o ângulo venoso esquerdo. 
 
 
 
 
▪ Órgãos linfoides: partes do corpo que produzem linfócitos. 
▪ Linfócitos: células circulantes do sistema imune que reagem contra materiais estranhos. 
▪ Linfonodos: pequenas massas de tecido linfático, encontradas ao longo do trajeto dos vasos linfáticos, que filtram a linfa em seu 
trajeto até o sistema venoso. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
‘ 
 P V COMPOSIÇÃO 
SISTEMA NERVOSO 
 
• O tecido nervoso tem dois tipos principais de células: neurônios (células nervosas) e neuróglia (células gliais), que sustentam os 
neurônios. 
▪ Neurônios: Os neurônios são as unidades estruturais e funcionais do sistema nervoso especializadas para comunicação rápida. 
✓ Um neurônio é formado por um corpo celular com prolongamentos denominados dendritos e um axônio, que conduzem os 
impulsos que entram e saem do corpo celular, respectivamente. A bainha de mielina ao também envolve alguns axônios, 
propiciando grande aumento da velocidade de condução do impulso. 
▪ Neuróglia: Aproximadamente cinco vezes mais abundante que os neurônios, é formada por células não neuronais, não excitáveis, 
que formam um importante componente do tecido nervoso, sustentando, isolando e nutrindo os neurônios. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 P V DIVISÃO ANATÔMICA 
• A parte central do sistema nervoso ou sistema nervoso central (SNC) é formada pelo encéfalo e pela medula espinal. Os principais 
papéis do SNC são integrar e coordenar os sinais neurais que chegam e saem e realizar funções mentais superiores, como o raciocínio 
e o aprendizado. 
• O encéfalo e a medula espinal são formados por substância cinzenta e substância branca. 
▪ Substância cinzenta: Constituída pelos corpos de neurônios. 
▪ Substância branca: Constituída pelos sistemas de tratos de fibras interconectantes. 
• Meninges e o líquido cerebrospinal (LCS): Circundam e protegem o SNC. O encéfalo e a medula espinal são revestidos em sua 
superfície externa pela meninge mais interna, um revestimento delicado e transparente, a pia-máter. O LCS está localizado entre a 
piamáter e a aracnoide-máter. Externamente à pia-máter e à aracnoide-máter está a dura-máter espessa e rígida. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 A SISTEMA NERVOSO CENTRAL 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 A SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO 
• A parte periferia do sistema nervoso ou sistema nervoso periférico (SNP) é formada por fibras nervosas e gânglios, corpos celulares 
fora do SNC, que conduzem impulsos que chegam ou saem do sistema nervoso central. 
• O sistema nervoso periférico é organizado em nervos que unem a parte central às estruturas periféricas. Suas fibras podem ser 
aferentes ou eferentes. 
▪ Fibras aferentes (sensitivas): Conduzem impulsos nervosos dos órgãos dos sentidos (p. ex., os olhos) e dos receptores 
sensitivos em várias partes do corpo (p. ex., na pele) para o SNC. 
▪ Fibras eferentes (motoras): Conduzem impulsos nervosos do SNC para os órgãos efetores (músculos e glândulas). 
• Os nervos são cranianos ou espinais. 
▪ Nervos espinais: Saem da coluna vertebral através de forames intervertebrais. Todos os 31 segmentos da medula espinal e os 
31 pares de nervos que se originam deles são identificados