SÍNCOPE
4 pág.

SÍNCOPE


DisciplinaCardiopulmonar159 materiais2.211 seguidores
Pré-visualização2 páginas
SÍNCOPE
Definição= É a interrupção episódica da consciência e do tônus muscular devido a diminuição ou ausência súbita e transitória do fluxo sangüíneo para o cérebro (ou seja, o mecanismo fisiopatológico envolvido na síncope é sempre hipoperfusão cerebral!), com alteração da oferta de oxigênio ou de glicose. É uma perda da consciência e motora TOTAL TEMPORÁRIA. Lembrar que síncope é um sintoma, e não uma doença!
A pausa ventricular de 4 segundos é suficiente para evoluir ao coma se o paciente encontrar-se em pé e 12 seg. se em decúbito. Esta pausa pode ser causada por arritmias e disfunção cardíaca.
ETIOLOGIA:
Circulatória - Inadequado mecanismo vasoconstritor.
	 - Hipovolemia (diarreia, hemorragia...)
	 - Redução Mecânica do Retorno Venoso ao Coração ( Mixoma Atrial)
	 - Débito Cardíaco Diminuído.
	 -Arritmias Cardíacas: Bradicardias, Taquicardias 
		
Outras Causas:	Alterado estado do sangue para o cérebro:	- Hipóxia
	- Anemia
	- Hipocarbenia (Hiperventilação)
	- Hipoglicemia
		
Distúrbios Emocionais:	Histeria, Ataques de Ansiedade. 
TIPOS DE SÍNCOPE:
Síncope Vasovagal= São as causas mais comuns de síncope. Ocorre em todos os grupos etários, afeta igualmente homens e mulheres e podem ser mais frequentes em algumas famílias. Os fatores precipitantes incluem: dor, trauma, fadiga, perda de sangue ou permanência em postura ortostática sem se movimentar por tempo prolongado. Há presença de pródomos e um fator desencadeante! Carcteriza-se por súbita queda na pressão sangüínea, com ou sem bradicardia em associação com atividade autonômica e humoral tais como: Palidez cutânea, Náusea, Salivação, Tontura, Mal estar epigástrio, Perspiração, Ansiedade, Bradicardia, Taquipnéia, Fraqueza, Dilatação da pupila. Etapas: a)elevação da pressão sangüínea e da FC seguida por: b) acentuada hipotensão abrupta e bradicardia as vezes assistolia de 10 a 20 seg., e por fim: c) rápida recuperação com o decúbito. 
Hipotensão Ortostática= Há instabilidade ou defeito do reflexo vasomotor. A postura é o ponto inicial. Os pacientes estão em posição ereta durante os surtos, há sintomas prodrômicos. O diagnóstico é sustentado por uma queda de 30mmHg ou mais na OS e de 10mmHg na PD entre as medidas na posição horizontal e ereta. Muitas causas incluem drogas, polineuropatias ou distúrbios degenerativos, diabetes, amiloidose, varizes, decúbito prolongado, hipovolemia, etc
Síncope Miccional ou Situacional= Esta síncope pode ser induzida pela micção, defecação, deglutição ou em neuralgia glossofaríngea. A causa é a bradicardia mediada pelo vago. Ocorre em homens jovens e idosos. A bexiga cheia promove uma vasoconstrição, quando esvaziada, há uma vasodilatação, podendo ocorrer bradicardia. Fatores predisponentes: Fadiga, fome, infecção pulmonar, medicamentos, álcool, etc.. Existe fatores facilitadores na maioria das vezes, tais como: estado emocional, volemia e postura que predispõe a sincope. 
Síncope Cardiogênica= Geralmente ocorre durante o exercício ou está associada com palpitações. Podem-se encontrar episódios na História Familiar de síncope de origem cardíaca. Esta síncope ocorre na condição de doença cardíaca orgânica produzindo obstrução do influxo ou do efluxo de sangue (ex: Mixoma, pericadite, estenose aórtica, miocardiopatia hipertrófica) ou como resultado de bradi ou taquiarritmias. Não é comum sintomas premonitórios, é uma Sincope Súbita!. Exemplos de doenças causadoras: Anemia, D. Coronariana, Mixoma atrial, D. Valvular: Estenose Aórtica etc. Mais comum: Bloqueio Átrio - Ventricular (Síndrome de Adams - Stokes - Morgani).
Síncope do Seio Carotídeo= Resulta da estimulação vagal do seio carotídeo, produzindo hipotensão ou bradicardia. É incomum, ocorre mais nos homens e afeta principalmente os idosos. A massagem do seio carotídeo pode ser diagnóstica. Massagem do Seio Carotídeo leva a 3 tipos de resposta: a) cardioinibitória (assistolia de 3 seg. ou mais, queda da PA sem alentecimento da FC. b) vasodepressora (queda de 50 mmHg na Pas), c) Tipo misto.
Neuralgia do Vagoglossofaringe= Dor localizada no dorso da língua, faringe ou laringe, áreas tonsilares ou ouvido. Impulsos aferentes levam a ativação do Centro Vasomotor.
Vertigem Laríngea (Síncope da Tosse)= Tabagistas, com Bronquite Crônica. Ocasionalmente em crianças com Tosses Paroxísticas. Há aumento da pressão intratorácica com diminuição do retorno venoso.
Síncope Cerebrovascular= Temos geralmente vertige, diplopia, distúrbios do campo visual, dormência hemifacial, disartia, ataxia precedendo a síncope. Está associada à oclusão de grandes artérias.
Síncope Psiquiátrica= é diagnóstico de exclusão, porém a idade, surtos frequentes, múltiplos sintomas podem ser sugestivos. Muitas vezes estes eventos começam com o fechamento dos olhos. Não há alterações clínicas.
Temos ainda a Síncope de Causa Desconhecida.
Síncope no Idoso= frequentemente o idoso apresenta múltiplos fatores que contribuem para a síncope, como fator situacional, reflexo, cardíaco, cerebrovascular e neurológico. Hipotensão ortostática é comum em idosos e é a causa de síncope em 6 a 33% dos pacientes. 
DIAGNÓSTICO:
Anamnese
 Uma vez que a maioria dos surtos episódicos de perda de consciência ocorre sem observação médica, a história é a parte mais crítica da avaliação. Cada episódio sincopal deve ser revisto com atenção em 3 pontos chaves: eventos e sintomas que precederam o evento, o que aconteceu durante o período de inconsciência e a progressão temporal do recobrar da orientação depois do retorno da consciência.
 Antes do Surto: 
- Em que posição estava o paciente? Arritmias cardíacas e convulsões podem se desenvolver em qualquer posição, já a síncope vasovagal raramente e a hipotensão ortostática nunca começam com o paciente em posição supina. 
- Quais foram os sintomas Prodrômicos? Sensação de cabeça leve, tontura, zumbido bilateral, náusea, fraqueza difusa, perda de nitidez da visão. As síncopes de origem Cardíaca não tem tempo de ter esta fase prodrômica, será uma Síncope Súbita. 
- Qual era a atividade do paciente antes dos sintomas? Esforço extremo (Cardíaco), estimulo emocional ou doloroso (Vasovagal), rápida mudança de postura (Ortostática), esforço para urinar (Situacional) pode ajudar a identificar a causa.
 Durante o evento:
- Que eventos ocorreram durante o episódio? Podemos ter abalos musculares, rigidez corporal (sintomas semelhantes a convulsões), incontinência urinária, evacuação, sudorese, alteração da coloração da pele... 
- Como caiu ao chão? Ele se apoiou antes ou caiu ereto?
- Duração do episódio.
 Após o evento:
- Quanto tempo demorou para recuperar consciência? É muito útil para diferenciar síncope de convulsões. Na síncope vasovagal ou reflexamente geralmente a recuperação da orientação e da consciência ocorrem simultaneamente, na Cardíaca é proporcional ao tempo da inconsciência, nas convulsões o período de confusão continua por 2 a 20 minutos.
- Teve náuseas, vômitos, sudorese?Dor muscular? Precordialgia e Palpitações?
Importantes dados a serem obtidos:
ƒ Testemunhas..................... Análise do evento de diferentes pontos de vista.
ƒ Situação............................. Houve um elemento deflagrador?
ƒ Idade ( > 65 )..................... Multifatorial. Afastar cardiopatia. Considerar a possibilidade de efeito medicamentoso. 
ƒ Jovem ( < 40 ).................... Neurocardiogênica é a causa mais comum.
ƒ Cardiopatia......................... Pode indicar pior prognóstico a longo prazo.
ƒ História Familiar de MS..... Maior predisposição para arritmia maligna ou causa cardíaca.
ƒ Número de episódios........... < 3 - Provavelmente maligna e com risco de vida 
 > 3 - Mais provável de ser benigna e um problema persistente.
ƒ Avaliação prévia.................. Obter dados de avaliações anteriores. 
ƒ Medicamentos...................... Possibilidade de pró-arritmia, bradicardia, hipotensão.