Buscar

Testes Psicológicos

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 3 páginas

Prévia do material em texto

Testes Psicológicos
Resumo do Livro Testes Psicológicos. Anna Anastesi
Existem duas razões principais para controlar o uso de teste psicológicos: (a) evitar a familiarização do público com o conteúdo, o que o invalidaria e (b) assegurar que o teste seja utilizado por um examinador qualificado. É claro que o conteúdo de testes de deve ser controlado, de forma a evitar esforções deliberados de falsificar resultados. 
Em outros casos o efeito de familiarização pode ser menos obvio, o o teste pode ser invalidado de boa fé por pessoas mal informadas.
A necessidade de examinador habilitado é evidente por três aspectos principais da situação de teste: na seleção do teste, na aplicação e avaliação, na intepretação dos resultados. Para que o teste seja útil a sua função, é essencial avaliar o seu valor técnico, em função de várias características, tais como validade, precisão e normas.
São essências o controlecuidadoso das condições de aplicação e a eficiência no estabelecimento da relação com o sujeito. Na ausência de processos adequados de verificação, os erros de avaliação são muitos mais prováveis do que geralmente se pensa.
A interpretação adequada dos resultados dos teste exige uma compreensão completa do teste, do individuo e das condições de aplicação. Para interpretar qualquer resultado de teste, são essências alguns dados referentes ao individuo testado.
A distribuição e o uso dos testes psicológicos constituem umas das áreas principais no Ethical Standards of Psychologists (1963), que é o código de ética profissional adotado oficialmente pela Amrican Psychological Association (APA). A primeira exigência, e a mais fundamental, é que a venda e a distribuição de testes seja restrita a aplicadores qualificados.
Da mesma forma, os resultados dos testes somente devem ser liberados para pessoas qualificadas para interpreta-los. Quando se fornece a um individuo seu resultado, este deve ser não apenas recursos para o aconselhamento de qualquer individuo que tenha distúrbios emocionais com o conhecimento desse resultado, Mesmo quando um etste é aplicado exatamente, corrigido e interpretado adequadamente, o conhecimento de tal resultado, sem a oportunidade de discussões adicionais, pode ser prejudicial para o individuo. O dano possível aumento se o próprio resultado também estiver errado,
Uma questão que se levanta, particular canexão com os testes psicológicos, é a da invasão de intimidade. É de primaria importância, nesse sentido, a obrigação de esclarecer o examinando a respeito do uso que será feito dos resultados de seu teste.
Em linguagem psicométrica, o termo rapport (“relação”) refere-se aos esforços do examinador para despertar o interesse do sujeito pelo teste, obter sua cooperação e conseguir que sega as instruções. Em testes de habilidades as instruções pedem concentração cuidadosa nas tabelas, e que o individuo dedique os melhores esforços para se sair bem.
O treino de examinadores exige técnicas para o estabelecimento do relacionamento, além das mais diretamente relacionadas com a aplicação do teste.
Deve se ter em mente que todo teste representa uma ameaça ao prestigio do individuo e que inicialmente se deve dar alguma tranquilidade. É bom explicar por exemplo, que não se espera que ninguém termine ou faça todos os itens corretamente.
Também é desejável a eliminação, tanto quanto possível do elemento surpresa da situação de teste, porque o inesperado e o desconhecido tendem a provocar ansiedade. Um procedimento melhor é de anunciar os testes alguns dias antes, e dar a cada sujeito um livreto impresso que explique o proposito e natureza dos testes.
Os testes para adulto apresentam alguns problemas adicionais. O adulto ao contrario da que ocorre com a criança, provavelmente trabalhará duro em uma tarefa apenas porque lhe foi imposta. Pode se fazer com que a maioria das pessoas entenda que uma decisão incorreta, que poderia resultar de testes sem valor.
Um volume inteiro poderia ser dedicado á discussão dos procedimentos desejáveis de aplicação de testes.
O requisito mais importante para procedimento de teste é o preparo prévio. Durante os testes não pode haver emergências. O preparo prévio para a sessão de teste assume varias formas, a memorização dos instruções verbais é essencial na maior parte dos testes individuais.
Outro pré requisito essencial tento em testes coletivos como individuais é o ensaio de procedimentos com um ou mais sujeitos experimentais. No caso dos testes coletivos e especialmente em projetos de grande escala tal preparação pode incluir o ensaio prévio de um com as funções que de desempenhar.
A padronização do procedimento se aplica não apenas as intruções verbais, horários, matérias e outros aspectos dos testes em se mas também ao ambiente do teste. 
É importante compreender a extensão em que as condições de testes podem influir nos testes podem influir nos resultados. Mesmos aspectos aparentemente sem importância na situação de teste pode alterar o desempenho apreciavelmente. 
Muitas condições de testes mais sutis tem mostrado afetar o desempenho tanto em testes de habilidade como de personalidade. As Implicações são tríplices, primeiro, siga os procedimentos-padrões até os mínimos detalhes, Quando estes vêm descritos no manual, segundo, registre quaisquer condições incomuns de testes, mesmo as insignificantes, Terceiro, considere as condições de teste quando for Interpretar as resultados dos testes.

Outros materiais