A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
PLANO DE AULA   5 AULAS

Pré-visualização | Página 1 de 2

PLANO DE AULA – AULA 1.
	Turma (faixa etária): 10 anos (5° ano – Ensino Fundamental I).
	Quantidade de Alunos: 36.
	
Duração: 1h/ aula.
	
Local: Sala de aula.
	Estratégia: Aula expositiva e dialogada;
Debate;
Atividade em dupla.
	Material:
	Recursos: Música, vídeo.
	Tema/Assunto: Cultura africana: Tradições.
	Objetivos (características)
	Conteúdo
	Avaliação
	Gerais
	Específicos
	
	
	Reconhecer e valorizar a diversidade cultural;
	Conhecer sobre a cultura africana: Língua falada, vestuário, costumes, rituais (conceitual); 
	Organizar a sala em círculo e entregar aos alunos a letra da música “África” do grupo Palavra Cantada. Em seguida, o professor deverá colocar a música, com o vídeo, para os alunos acompanharem com a letra. 
	O professor deverá avaliar os alunos através da observação do interesse pelas atividades propostas, as respostas e organização das mesmas. 
	Compreender fundamentos teóricos dos elementos da cultura africana;
	Conhecer diferentes manifestações culturais (conceitual);
	Após tocar a música, propor aos alunos um debate, com o objetivo de apresentar a cultura africana e seus valores. O professor deverá fazer as seguintes perguntas aos alunos nesse momento: Vocês conhecem essa música? O que vocês sabem sobre a cultura africana? Vocês sabem alguma coisa sobre os povos africanos?
	Considerar o texto e sua coerência de informações.
	Sensibilizar para a importância da produção textual.
	Aprimorar a prática de elaboração de texto (procedimental);
	Após a fala dos alunos, explicar que a África é um continente, que tem países diferentes, e que na música são citados oito países dos 53 existentes. Nesse momento o professor deve preparar algumas imagens explicativas que trazem informações sobre os seguintes assuntos: costumes, vestimenta, condições de vida, coisas em comum com o Brasil.
	
	Desenvolver habilidades argumentativas. 
	Trabalhar o convívio social (atitudinal).
	Propor aos alunos que se formem em duplas, para elaborar um texto que contemple todos os assuntos relacionados à cultura africana, trabalhado nos momentos anteriores. Enfatizar que o texto precisa ter um começo, meio e fim, título, e ilustrações criadas pelos próprios alunos.
	
	Justificativa: Aos dez anos, a criança encontra-se nas fases Operatória Concreta de Piaget e Categorial de Wallon, nas quais a mesma adquire desenvolvimento cognitivo, isto é, pensamento lógico, objetivo e a diferenciação mais nítida entre o eu e o outro, cujas condições são mais estáveis para a exploração mental do mundo externo, mediante atividades cognitivas em grupo, valorizando também a ideia de Vygotsky de interação e convívio social. É importante ressaltar a abordagem triangular desenvolvida por Ana Mae Barbosa, que apresenta os aspectos: fazer artístico, apreciação e reflexão. Essa atividade, no geral, engloba vários pontos da aprendizagem, como: leitura e análise de imagens, contextualização e prática artística. É indispensável instigar os alunos para um olhar diferenciado, uma reflexão sobre o assunto étnico-racial e apresentá-lo de forma significativa.
	PLANO DE AULA – AULA 2.
	Turma (faixa etária): 10 anos (5° ano – Ensino Fundamental I).
	Quantidade de Alunos: 36.
	Duração: 1h/ aula.
	Local: Sala de aula.
	Estratégia: Leitura de textos;
Aula expositiva e dialogada;
Aula prática.
	Material: Tinta, tesoura, cartolina colorida, tecido, pincel, cola, papel laminado, folha de sulfite, glitter, caneta hidrográfica, lantejoulas.
	Recursos: Imagens, texto.
	Tema/Assunto: Cultura africana: Máscaras.
	Objetivos (características)
	Conteúdo
	Avaliação
	Gerais
	Específicos
	
	
	Reconhecer as diferentes formas de manifestações culturais;
	Identificar a importância das mascaras africanas (conceitual);
	A aula se inicia com uma conversa sobre a presença das máscaras na cultura africana e sua importância. O professor deve utilizar o texto “A importância das máscaras africanas na espiritualidade, arte e política” (Flávia Leal, 2013) para apresentar o tema.
	O professor irá observar durante todo o desenvolvimento da atividade se os objetivos específicos foram alcançados. 
	Desenvolver e aprimorar capacidade de produção artística.
	Compreender a função das máscaras na cultura africana (conceitual); 
	Para ilustrar, o professor deverá apresentar imagens de diferentes formas e estilos de máscaras africanas. Nessa apresentação de imagens o professor deve realizar alguns questionamentos para orientar o olhar das crianças para a leitura das imagens, com perguntas que promovam a reflexão, são elas: Que cores estão mais presentes nas máscaras? Quais materiais fazem as máscaras? As máscaras são produzidas com a mesma finalidade sempre?
	Registrar o desempenho dos alunos. 
	
	Desempenhar a percepção, atenção e memória (procedimental);
	O professor irá propor a construção de um tipo de máscara para rituais africanos: máscara de Bruxo, seguindo a ordem na criação da máscara: desenhar um rosto na cartolina e recortar apenas o nariz, preservar a boca e os olhos; pintar a cartolina com tinta guache, de acordo com a preferencia de cor de cada aluno; pintar o tecido e deixar secando por alguns minutos, após seco, colar em volta da máscara com cola; escolher as cores das penas e colar na parte superior da máscara, o aluno deve decorar a máscara como quiser, usando lantejoulas, glitter, canetas hidrográficas, tinta.
	
	
	Incentivar a criação artística (atitudinal).
	A aula terá continuidade com o outro momento de vivência. Os alunos poderão elaborar outro estilo de máscara, diferente da primeira que o professor sugeriu, utilizando outros materiais: sulfite em tiras largas e finas, cola e pincel. Essa máscara é modelada ao rosto da criança, podendo fazer umas nas outras, e pedir ajuda do professor somente quando necessário. Seguindo a ordem: prender a tira mais larga na testa na criança, envolvendo toda a cabeça, e duas tiras perto da orelha (formando o contorno do rosto); colocar para secar; depois decorar com tinta guache ou qualquer outro material colorido.
	
	LANO DE AULA – AULA 3.
	Turma (faixa etária): 10 anos (5° ano – Ensino Fundamental I).
	Quantidade de Alunos: 36.
	Duração: 1h/ aula.
	Local: Sala de aula.
	Estratégia: Aula expositiva e dialogada;
Aula prática;
Atividades em dupla.
	Material: Tecidos, tesoura.
	Recursos: Texto.
	Tema/Assunto: Cultura africana: Boneca Abayomi.
	Objetivos (características)
	Conteúdo
	Avaliação
	Gerais
	Específicos
	
	
	Identificar a importância da história dos negros e da Consciência Negra, com as bonecas Abayomi.
	Compreender a boneca Abayomi como símbolo da cultura africana (conceitual);
	Contar a história de como surgiu à boneca: Quando os negros vieram da África para o Brasil como escravos, atravessaram o Oceano Atlântico numa viagem muito difícil. As crianças choravam assustadas, porque viam a dor e o desespero dos adultos. As mães negras, então, para acalentar suas crianças, rasgavam tiras de pano de suas saias e faziam bonecas com elas para as crianças brincarem. Essas bonecas são chamadas de Abayomi.
	O professor deve avaliar o entendimento com relação à boneca observando criticamente o desenvolvimento da atividade e a participação dos alunos no decorrer do projeto.
	
	Reconhecer a importância da boneca para a cultura africana (conceitual);
	Explicar as crianças que as Abayomi são bonecas pretas, sem costura alguma, feita apenas com nó ou pequenas tranças. Explicar o significado da palavra Abayomi: Encontro precioso/ feliz; aquele que traz alegria e felicidade.
Os alunos precisam entender que quando você da uma boneca Abayomi para alguém, o gesto significa que você está dando o que possui de melhor para essa pessoa.
	Avaliar a confecção da boneca Abayomi.
	
	Aprimorar a atenção e a coordenação motora fina (procedimental); 
	Dividir os alunos em duplas (as mesmas da 1ª aula) e oferecer tecidos cortados em tiras de 10 cm de largura para produzir o corpinho