Psicologia instituição e saúde
26 pág.

Psicologia instituição e saúde


DisciplinaPsicologia em Instituiçoes em Saúde24 materiais36 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Abrangência e níveis de 
aplicação da Psicologia da Saúde 
Railda Fernandes Alves;Maria do 
Carmo Eulálio 
Para lembrar... 
\u2022 O psicólogo em política pública atua além dos 
ambulatórios, nas unidades dos centros de 
atenção psicossocial para adultos, para 
crianças e para usuários de álcool e outras 
drogas. Ainda nas residências terapêuticas, 
nos leitos psiquiátricos de curta duração 
localizados nos hospitais gerais. 
\u2022 A ação do psicólogo não se restringe mais 
apenas às pessoas com transtornos mentais 
graves, mas para todos que buscam ajuda. 
 
Promoção de saúde 
É uma intervenção anterior à prevenção de 
doenças. 
Deve ser pensada com base no perfil 
epidemiológico da comunidade ou grupo. 
É voltada à proposição das assistências antes 
mesmo do aparecimento das enfermidades, e 
tem o compromisso ético de melhorar o 
potencial de saúde socioecológico das 
comunidades. 
\u2022 Atividades dirigidas à proteção, manutenção e 
aumento da saúde e relacionadas com a 
elaboração, aplicação e avaliação de 
programas e atividades direcionadas à 
educação, proteção, manutenção e acréscimo 
da saúde dos indivíduos, grupos ou 
comunidades. 
\u2022 Depois de envolver-se com a promoção de 
saúde, as intervenções do psicólogo se voltam 
para a prevenção de doenças nos diversos 
níveis de atenção de saúde. 
Organização e políticas públicas 
AULA 9: A psicologia nas políticas públicas de saúde 
Atenção Primária: usa o processo de prevenção da doença. Assim o psicólogo estará 
inserido nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e nas policlínicas, atuando em grupo ou 
individual, de acordo com a demanda. Percebendo a demanda, busca formas de atenção ao 
usuário; este é assistido ao apresentar uma queixa; sendo trabalhado, evitará o processo de 
adoecimento psíquico ou ajudará a minimizar os conflitos, atuando de acordo com a 
necessidade. 
 
Atenção Secundária: baseia-se na apresentação de queixa já existente, cabendo ao 
profissional, caso seja necessário, encaminhar para outros profissionais e atender o usuário 
facilitando um melhor encontro consigo mesmo. 
 
Atenção Terciária: a doença já existe, seja física ou mental. Existe ainda alguma perda a 
nível social ou ainda precisa dos recursos do poder público. O psicólogo deve buscar 
acompanhar o momento de perda e se caso seja necessários atuar, ou encaminhar para um 
profissional que possa intervir a nível de cuidados paliativos. 
Níveis de atenção à saúde 
A prevenção de enfermidades 
\u2022 Objetivo: contribuir com a diminuição da 
incidência (surgimento) de enfermidades, a 
diminuição da prevalência (existência da 
doença), mediante o encurtamento do 
período de duração da doença ou a 
diminuição das sequelas e complicações da 
doença. 
\u2022 As ações que visam à diminuição da incidência 
das enfermidades são consideradas prevenção 
primária; as que visam à diminuição da 
prevalência são prevenção secundária; e a 
diminuição de sequelas e complicações das 
enfermidades são prevenção terciária . 
\u2022 O psicólogo estará inserido nas Unidades 
Básicas de Saúde (UBS) e nas policlínicas, 
atuando em grupo ou individual, de acordo 
com a demanda. 
Prevenção e intervenção primárias 
\u2022 Deve ser realizada antes que se encontre um 
problema concreto. 
 
\u2022 Deve estar condicionada à promoção da 
saúde. Suas ações devem envolver planos de 
educação para a saúde, com suporte em 
conteúdos de outras áreas de aplicação da 
Psicologia, como a do trabalho, comunitária, 
social, educacional. 
\u2022 Investe na construção de estilos de vida 
saudáveis e na evitação de comportamentos de 
riscos. Busca desenvolver práticas de prevenção 
que sejam utilizadas durante toda a vida. 
\u2022 Ex.: programas de educação diabetológica aos 
indivíduos afetados e também aos seus 
familiares e cuidadores, com objetivos de 
treinamento de estratégias tanto para evitar a 
enfermidade, no caso de filhos e netos dos 
enfermos, como ao desenvolvimento de 
condutas favoráveis à adesão aos programas de 
tratamento dos familiares enfermos. 
Intervenção primária 
\u2022 Intervenção direta sobre uma queixa detectada 
em um indivíduo ou em um coletivo social. 
\u2022 Primeira ação de saúde ante a presença de um 
problema que deverá ser identificado e 
orientado. 
\u2022 Em seguida, se o caso necessitar de uma 
intervenção psicológica especializada será 
encaminhado a um dos outros níveis de atenção 
de saúde, já que neste nível a intervenção nunca 
deverá ser especializada. 
 
\u2022 A intervenção primária do psicólogo na equipe 
de saúde, ainda que desempenhe um papel 
específico, deverá ser realizada numa 
perspectiva interdisciplinar e 
multiprofissional: o trabalho necessita ser 
compreendido, planejado e executado em 
equipes multiprofissionais. 
\u2022 As intervenções do psicólogo na APS deverão 
priorizar a saúde geral:a APS é a porta de 
entrada para todos os episódios relacionados 
à saúde-doença. 
Atividades compatíveis com a 
prevenção e intervenção primárias: 
\u2022 atuar na atenção básica de saúde/APS (compor as 
equipes e trabalhar nas Unidades Básicas de Saúde 
da Família e Centros de Saúde); 
\u2022 assistir os pacientes em consultas primárias (não 
pode ser confundida a psicoterapia); 
\u2022 atuar na saúde geral dos coletivos sociais a serem 
assistidos; 
\u2022 elaborar e implementar programas de promoção 
e de educação para a saúde e propor programas de 
humanização e melhoria da qualidade dos serviços; 
 
\u2022 estudar o perfil epidemiológico visando a 
elaboração de um plano de intervenção primária; 
\u2022 abordar temas/problemas de saúde coletiva, 
como: prevenção de transtornos alimentares; 
prevenção do abuso de drogas legais ou ilegais...; 
\u2022 fazer interconsulta com outros profissionais de 
saúde; 
\u2022 fazer encaminhamento a outros profissionais e/ou 
serviços tanto de saúde como sociais; 
\u2022 fazer visitas domiciliares e assistências familiares 
etc. 
 
Prevenção e intervenção secundárias 
\u2022 Acompanhamento dos paciente ajudando-os 
no seguimento do tratamento, seja físico ou 
psicológico, com o objetivo de prevenir o 
agravamento da doença. 
\u2022 Realizados nos ambulatórios e/ou centros de 
especialidades. 
 
\u2022 Os psicólogos da saúde devem utilizar 
conhecimentos produzidos sobre 
investigações de causas e fatores associados à 
falta de adesão ao tratamento, para a 
formulação de programas preventivos, que 
ajudem a evitar comportamentos que 
reforcem a dificuldade de seguimento do 
tratamento. 
\u2022 A atividade psicológica em nível de prevenção 
é para os psicólogos um desafio, porque ainda 
que seja realizada em algumas situações em 
que a equipe de saúde tenha saturado suas 
possibilidades de convencimento do paciente 
para que lhe ajude em seu tratamento, a 
intervenção do psicólogo é ainda um último 
recurso. De fato, isso deve ser negativamente 
criticado porque indica que o psicólogo não 
participou na elaboração do programa 
proposto ao paciente, desde o início de seu 
tratamento. 
Intervenção secundária 
\u2022 Assistências especializadas de apoio 
diagnóstico e terapêutico e também de 
atendimento de urgência e emergência, que 
incluem a saúde mental. 
\u2022 Atende aos usuários derivados dos outros 
níveis de assistência proporcionando-lhes os 
tratamentos mais específicos. 
 
Atividades de prevenção e intervenção 
secundárias: 
\u2022 atuar em conjunto com os demais profissionais de 
saúde; 
\u2022 fazer encaminhamento de pacientes a outros 
especialistas e serviços; 
\u2022 oferecer as assistências psicoterápicas; 
\u2022 realizar psicodiagnósticos; 
\u2022 elaborar pareceres para responder às demandas 
de outros profissionais, inclusive para a justiça; 
\u2022 realizar orientação e propor atividades de suporte 
social; 
\u2022 elaborar em conjunto com a equipe 
multiprofissional