A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
31 pág.
Resumo  Materiais Dentarios

Pré-visualização | Página 1 de 7

MATERIAIS DENTÁRIOS	ODONTOLOGIA	1º SEMESTRE
Introdução
Cárie Dental
Quase tudo começa por causa da doença
Restaurar
Devolver a forma e a função do dente, removendo o agente agressor
Restaurações Segundo Black
Classe I: envolve a face oclusal do dente
Classe II: envolve a face oclusal e mesial ou distal, ou ainda, as três modalidades
Classe IV: envolve a Classe III
Envolve as faces proximais dos dentes anteriores (restauração, estética)
Proximais dos dentes anteriores com comprometimento do ângulo incisal
Classe V: envolve o terço cervical (gengival)
Exemplos de Classes
Classe I: Face Oclusal somente nos dentes posteriores (ex: dentes 17, 27 e 47).
Classe II: Somente nas faces proximais dos dentes posteriores (ex: dente 17)
Posteriores = 1º Pré-molar a 2º ou 3º Molar.
Classe III: Somente nas faces proximais dos dentes anteriores (ex: dente 11)
Classe IV: Ocorre no comprometimento do ângulo incisal nas faces proximais dos dentes anteriores (ex: dente 21)
Classe V: Envolve o terço cervical (ex: dente 33)
Exemplos de Faces
Dente 17 = Oclusal/Mesial – Dente 13 = Distal – Dente 12 = Distal – Dente 11 = Mesial
Dente 21 = Incisal – Dente 22 = Distal – Dente 27 = Oclusal – Dente 47 = Oclusal
Dente 41 = Vestibular – Dente 33 = Cervical
Restauração pode ser direta ou indireta
Exemplo de restauração direta não estética: é aquela que faz direto na boca.
Neste caso utilizaremos amálgama de prata, que é um dos materiais mais antigos utilizados.
Qual material é utilizado?
Material de proteção pulpar
Amálgama: limalha de Ag e Hg
Material de Polimento
Exemplo de restauração direta estética: classe IV – é quando ocorre o comprometimento de ângulo nas faces proximais dos dentes anteriores.
Restauração Indireta
Restaurações Metálicas Fundidas – RMF
Prótese Parcial Fixa – PPF
INLAY / ONLAY: Cerâmica / Resina Composta
Restauração Prot Provisórias – Resina Acrílica
Classificação e Indicação dos Materiais Restauradores e Propriedades dos Materiais Odontológicos
O melhor material dentário é, e sempre será, o dente natural que consiste numa mistura de hidroxiapatita e colágeno. Seu ponto fraco é que pode ser destruído pela ação do ácido láctico resultante do metabolismo de bactérias, presente na boca. 
Este processo gera as cáries e muita pesquisa tem sido desenvolvida para a obtenção de materiais que tenham as propriedades mecânicas do dente natural e também resistência a reações químicas como o ácido láctico e com outras substâncias presentes na saliva e nos alimentos.
Os materiais restauradores são divididos em 4 grupos:
metais
cerâmicas
polímeros
compósitos
Os materiais restauradores incluem:
Metais nobres e básicos
Ligas de amálgama
Cimentos
Compósitos (resina composta)
Ionômero de vidro
Cerâmicas (porcelanas)
Gesso
Revestimento para fundição
Ceras odontológicas
Compostos para moldagem
Resina para base de prótese (resina acrílica)
Durante a seleção dos materiais dentários para o emprego clínico, várias propriedades dos materiais devem ser levadas em consideração, como:
Biocompatibilidade;
Propriedades físico-químicas;
Característica de manipulação;
Estética;
Fator econômico
A cada material é estudado:
Características físicas e químicas
Propriedades relacionadas à aplicação envolvida
Composição química
Manipulação (para desenvolver as propriedades mais satisfatórias)
Todo material tem que ter autorização da A.D.A (American Dental Association), tem a função de controlar as características e propriedades físicas e químicas de um material de modo a assegurar um desempenho satisfatório do material quando este é adequadamente empregado. 
Objetivo:
Conhecer o desenvolvimento dos materiais restauradores para concluir a respeito da situação atual dos mesmos.
Relacionar o conteúdo da disciplina de Materiais Dentários com as demais disciplinas do currículo.
Identificar os materiais restauradores com fundamento nas evoluções e suas necessidades em função da aplicação.
Valorizar e identificar os materiais restauradores, com fundamento nas suas propriedades, para indicar a sua aplicação nos processos de recuperação oral.
Propriedades físicas:
resistência à abrasão;
viscosidade;
relaxamento estrutural e de tensões;
creep e escoamento;
cor e percepção de cor (está presente em grande parte das atividades do dentista);
condutibilidade térmica (é a quantidade de calor que atravessa um corpo).
Propriedades mecânicas:
retenção;
resistência;
dureza;
resiliência;
tensões: de tração, compressão, cisalhamento e flexão;
módulo de elasticidade.
Biocompatibilidade:
não devem prejudicar a polpa nem aos tecidos moles;
não devem conter substâncias tóxicas (sistema circulatório);
devem ser livres de agentes sensibilizantes que possam causar reações alérgicas;
não devem ter potencial carcinogênico.
1 - GESSO:
Identificar os diversos tipos de gesso e conhecer a estrutura do material.
Executar a manipulação dos gessos com base na relação A/P, de acordo com as diferentes finalidades do material.
Indicar e valorizar o uso dos diferentes tipos de gesso, com fundamento nas suas respectivas propriedades.
2 - MATERIAIS DE MOLDAGEM:
Moldeiras de Estoque
AÇO
PLÁSTICO
ALUMÍNIO
Moldeiras individuais
RESINA ACRÍLICA
GODIVA
MOLDAGEM / MOLDE / MODELO
Moldagem: é o ato de obtermos a cópia em negativo do(s) dente(s) em questão, ou seja, é o ato para obtermos o molde.
Molde: corresponde ao resultado da operação de moldagem e é representado pela cópia em negativo, do arco dental e tecidos circunjacentes.
Modelo: é a reprodução do(s) elemento(s) desejado(s), em positivo, isto é, a reprodução “idêntica” dos elementos desejados.
Material utilizado nas restaurações indiretas.
Material de moldagem
Material para modelo (gesso)
Cera
Metal, porcelana, resina e outros
Material de forramento
Cimentos
Requisitos de um material de moldagem
Alta capacidade de cópia (reproduzir detalhes, margens)
Baixa alteração dimensional de presa
Estabilidade dimensional após a presa
Elasticidade
Fácil manipulação
Não tóxico, não irritante
Odor sabor agradável
Tempo de trabalho adequado
Classificação dos materiais de moldagem
ELÁSTICOS
Hidrocolóides reversíveis
A mudança do estado de sol para gel, ou vice versa é provocado pela mudança de temperatura.
Composição: Ágar, Boratos, Sulfatos, Cera dura, Materiais Tixotrópicos e Água.
Propriedades Mecânicas: o molde nunca deve ser removido fazendo-se movimentos de báscula, mas sim a remoção deve ser de forma rápida, com uma direção paralela e mais próxima possível ao longo eixo dos dentes, para que não haja deformação do molde.
Manipulação
Precisão
Preparo do material: transformação do estado gel para o estado sol com água em ebulição por 10 minutos.
Condicionamento: o material que é utilizado para preenchimento da moldeira deve ser condionado a uma temperatura de 43º por aproximadamete 17 minutos para aumentar sua viscosidade e não escoe para fora da moldeira.
Moldagem: quando os dentes forem cobertos com o material da seringa, imediatamente trazer a moldeira carregada com hidrocolóide e que se encontra armazenada no banho de condicionamento. A gelificação é favorecida pela circulação de água fria (18º a 21º C), pelos tubos que existem nessas moldeiras, por no mínimo 5 minutos.
Hidrocolóides irreversíveis
A mudança do estado de sol para gel, é provocado por reação química. Composição: Alginato de potássio, sulfato de cálcio, óxido de zinco, fluoreto de potássio e titânio, terra diatomácea e fosfato de sódio.
Propriedades: Facilidade de manipulação, material confortável para o paciente, custo baixo, não requer equipamento elaborado.
Manipulação: deve ser feito de forma rigorosa e comprimindo-se o material

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.