A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
ANASTOMOSE DIGESTIVA E VASCULAR

Pré-visualização | Página 1 de 1

ANASTOMOSE DIGESTIVA
- chama-se anastomose à comunicação, natural ou resultante de processo cirúrgico, entre tubos, vasos sanguíneos ou nervos.
- Premissas para uma anastomose:
Firme (bordos saudáveis e fios adequados)
Vedante
Hemostática porém sem isquemia
Vascularização adequada
Não estenosante
Permitir peristalse
Vedante, hemostática, sem isquemia e permeável
- Indicações:
Reconstrução do trânsito alimentar, das secreções digestivas e dejetos (ressecções)
Desvio paliativo do alimento – secreções no caso das obstruções
Drenagem de coleções líquidas
Estenose – atresia congênita
Lesões traumáticas – perfurações – fístulas
Isquemia – necrose alça
- Quanto ao posicionamento dos eixos:
Término-terminal
Término-lateral
Latero-lateral
- Quanto à abrangência do diâmetro do órgão envolvido:
Oralis totalis
Oralis parcialis
- Quanto ao número de planos envolvido:
Plano único
Dois planos - dupla camada (1º plano é total o 2º plano sero-muscular)
- Quanto aos componentes envolvidos:
Vísceras semelhantes (jejuno-jejuno)
Vísceras distintas (íleo-cólica)
Víscera com outra estrutura (hepático-jejuno, pancreático-jejuno, ureterosigmoidostomia)
- Esôfago:
Laparotomia
Laparotomia + cervicotomia
Toracotomia
Esôfago – esôfago
Esôfago – estômago
Esôfago – jejuno
Esôfago - cólon
- Estomago:
Estômago – estômago
Estômago – duodeno - Billroth I
Estômago – jejuno - Billroth II 
 - Y-de-Roux
Esôfago - cólon
- Intestino delgado:
Entero-enteroanastomose 
- Cólon:
Colectomia direita com íleo-transversoanastomose
Colectomia direita ampliada com íleo-transversoanastomose
Colectomia transversa com colo-coloanastomose
Colectomia esquerda com colo-coloanastomose
- Reto:
Retossigmoidectomia com colo-retoanastomose/colo-anal
Amputação de reto (sem anastomose)
- Complicações:
Deiscência
Estenose
Pode ser por:
Iatrogênica (técnica – material)
Causas inerentes ao paciente (desnutrição, circulação, infecção, patologias associadas, medicações)
- Teste da patencia:
Azul de metileno
Teste do borracheiro (submersão da sutura em solução salina isotônica com o intuito de observar escape de ar ao ser aplicada uma pressão positiva sustentada por 10 segundos)
- Anastomoses digestivas:
Cushing: sutura contínua longitudinal sero-muscular 
Lembert: pontos separados simples transversal sero-muscular invagiante
Halsted: pontos separados tipo “U” transversal sero-muscular invaginante
Gambee: pontos separados perfurante total
Connel-Mayo: sutura contínua perfurante total invaginante (entra e sai em cada bordo)
Schimieden: sutura contínua perfurante total invaginante (sai de um bordo e entra no outro)
ANASTOMOSE VASCULAR
Cuidados devem ser tomados ao manipular vasos:
anatomia
vaso normal / doente
tática cirúrgica (abordagem do vaso, dissecção proximal e distal, material delicado, dissecção e ligadura de ramos, placas ateroma, tempo De isquemia ...
ar dentro do vaso
TIPOS DE ANASTOMOSES VASCULARES:
Termino-terminal
Possibilidade de aproximação dos cotos sem tensão
interposição de segmentos de vasos ou enxertos
pontos de aproximação e reparo para iniciar a anastomose
rotação da anastomose (quando possível)
vasos de calibre pequeno (< 5 mm) bisel, 
ampliação do coto
vasos muito pequenos pontos separados
Termino-lateral
É a técnica mais utilizada na cirurgia reconstrutora 
artéria/artéria, veia/veia, veia/artéria, prótese/ artéria 
mais usada em enxertos em ponte
doador em bisel e receptor incisão longitudinal
fios de sutura com 2 agulhas
Latero-lateral
é a técnica menos utilizada 
anastomose porto - cava (hipertensão portal) e nas fistulas arterio-venosas 
vasos próximos
incisões com os vasos lado a lado
- Complicações:
Sangramento
Estenose
Trombose
Infecção
Pseudo-aneurisma