A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
AV2 História da África - Uniasselvi

Pré-visualização | Página 1 de 2

Acadêmico: Francirley Gemaque Sampaio (862160) 
Disciplina: História da África (HID02) 
Avaliação: Avaliação II - Individual Semipresencial ( Cod.:432855) ( peso.:1,50) 
Prova: 8065267 
Nota da Prova: 9,00 
Gabarito da Prova: Resposta Certa Sua Resposta Errada 
1. Até 1970, as produções bibliográficas que circulavam e difundiam a história da 
África desconsideravam a tradição oral dos diferentes povos africanos e seus saberes 
anteriores à chegada dos europeus e do colonialismo no século XIX. E para além 
disso, os estudos disponíveis, com raras exceções, apresentavam uma imagem 
racializada sobre o Continente Africano fundamentada nas concepções do 
darwinismo social e do determinismo racial, o que desfigurava e desumanizava a sua 
história. Nas últimas décadas, muitos conceitos vêm sendo criados para tentar 
elucidar as problemáticas que envolvem a história da África. Neste sentido, o 
filósofo ganês Kwame Anthony Appiah (1997), estabeleceu uma distinção entre 
racismo e racialismo. Sobre a sua concepção de racialismo, assinale a alternativa 
CORRETA: 
 a) O racialismo estabelece a crença de que cada raça tem um lugar determinado e 
um valor intrínseco e isso iria ao ponto de tentar-se negar a capacidade da "raça 
negra" produzir civilizações originais por conta própria, dependendo sempre dos 
brancos para lhes trazer cultura. 
 b) O racialismo seria simplesmente a concepção de que existem grupos humanos - 
raças essencialmente diferentes entre si, por algumas características físicas que 
são parte de um conjunto. Cada raça, então, teria determinadas características 
específicas, que permitiriam identificar a qual delas um determinado indivíduo 
pertence. 
 c) O racialismo e o racismo são sinônimos e se amparam conceitualmente numa 
perspectiva única que estabelece uma hierarquia moral entre as raças ou, em 
outras palavras, algumas raças têm mais valor moral que as outras. 
 d) O racialismo é uma concepção que estabelece diferenças raciais e, por isso, juízo 
de valor ou gradação moral entre as raças, ou seja, define que existem raças 
inferiores e superiores entre si. 
 
2. Ao longo do século XV, em meio a corrida e domínio das rotas marítimas, o 
continente africano foi fundamental e usado de forma estratégica pelos navegadores 
europeus no sentido de intensificar e ancorar a presença dos mesmos na região. Que 
expedições e fatos podem ser indicados como favorecedores deste avanço ao longo e 
no interior do território africano? Assinale a alternativa correta: 
 a) As expedições empreendidas tanto por portugueses como por espanhóis no 
sentido de alcançar o extremo sul da América e da Ásia. 
 b) As expedições de Pedro Álvares Cabral encontra terras na América do Sul, a 
partir do qual os portugueses assinam um Tratado com a Espanha dando-lhe 
plenos poderes de exploração do comércio com as Índias. 
 c) As expedições de Vasco da Gama que chegam ao extremo sul do continente 
africano e as de Vasco da Gama que chegam à Índia contornando o extremo o sul 
da América. 
 d) As expedições de Bartolomeu Dias que por sua vez alcançam ao extremo sul do 
continente e de Vasco da Gama chega até à Índia contornando o sul da África. 
 
3. O culto aos orixás atravessou os oceanos e se tornou muito forte na América, em 
especial no Brasil e em Cuba. Fato curioso é que não eram unanimidade no interior 
da África, restringiam-se a determinados povos, como os iorubás e os nagôs, das 
regiões da Nigéria e de Benin. Com relação às práticas desta vertente religiosa na 
África, classifique V para as sentenças verdadeiras e F para as falsas: 
 
( ) No Brasil, entre os adeptos e devotos dos orixás, pode-se relacionar as tribos 
indígenas nativas dos pataxós, assim como os descendentes de espanhóis e 
portugueses. 
( ) O culto aos Orixás e os rituais foram trazidos ao Brasil por meio do comércio de 
escravos e sofreram adaptações com relação a como eram cultuados e praticados na 
África. 
( ) No Brasil, a população católica não aderiu à prática e ao culto aos orixás, porém 
as comunidades indígenas podem ser indicadas como as que menos resistiram, em 
pouco tempo o culto aos orixás tornou-se unanimidade. 
( ) No interior da África, os povos como os zulus, xonas, banhus, iacas, macuas, 
angicos são indicados como os devotos mais fiéis dos orixás e os que praticam os 
rituais de forma mais tradicional. 
 
Agora, assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA: 
 a) V - V - F - V. 
 b) V - F - V - V. 
 c) F - V - V - V. 
 d) V - V - V - F. 
 
4. O movimento de independência dos países africanos criou, por parte de uma nova 
elite política e intelectual, a necessidade da elaboração das identidades africanas 
dentro do Continente, e deste diante do mundo. Para esse intento, era necessário 
retornar ao passado em busca de elementos que legitimassem uma História Africana 
rica e diversificada, tanto quanto a história da Europa. De acordo com Kwame 
Anthony Appiah, entre esses primeiros pensares pós-independência estaria o 
aparecimento de ideologias que defendiam e ressignificavam a identidade africana. 
Essas ideologias ficaram conhecidas como: 
 a) Movimento negro e dos panteras negras. 
 b) Cem por cento negro e pan-africanismo. 
 c) Black power e a negritude. 
 d) Pan-africanismo e a negritude. 
 
5. Nos ditos populares, em materiais didáticas e produções científicas é comum 
encontrar a expressão "África, o berço da humanidade". Qual é a razão, o fato que 
justifica a ocorrência, o uso e a aplicação desta expressão? 
 a) O fato de terem sido os africanos os primeiros povos a construir estradas e 
elaborar meios de transporte, que depois serviram de modelo a outras culturas. 
 b) O fato de que todos os continentes estiveram, em um passado longínquo, ligados 
e reunidos à África, isso se deu na era geológica da Pangea. 
 c) O fato de que foi na África onde foram encontrados os vestígios mais antigos de 
existência humana. 
 d) O fato de que, no final do século XVII, a corrente historiográfica do criacionismo 
defendeu tal teoria e nenhuma outra conseguiu colocá-la em xeque. 
 
6. Por muito tempo determinados estudos e teorias apresentaram os povos e sociedades 
africanas como sendo sociedades que não possuíam capacidade de se desenvolver de 
forma autônoma assim como incapazes de apresentar uma cultura original e 
sofisticada. Diante disto é possível afirmar que: 
 a) Tais estudos são reveladores de concepções dos estudiosos que procuram 
justificar a colonização dos povos brancos em meio às populações africanas. 
 b) Tais estudos são reveladores de que a diversidade cultural e étnica do continente 
não permite que uma única cultura seja definida. 
 c) Tais estudos são reveladores do fato de que a história oficial do Continente inicia 
à partir do século XIX, o que por sua vez é muito recente em relação às demais 
sociedades, e por outro lado aquelas sociedades ainda não produziram 
tecnologias. 
 d) Tais estudos acabam por revelar concepções e entendimentos elaborados diante 
do contexto de conflitos étnicos que são aturais e típicos em meio aos povos 
africanos. 
 
7. Ainda em tempos longínquos, a escravidão estruturava-se a nível internacional e 
fortalecia-se por meio de emaranhamentos de laços de parentescos e vínculos de 
dependência. A prática da escravidão organizada nesta tradição foi incorporada pelos 
islâmicos que atuavam no comércio de escravos. Com relação à comercialização de 
escravos praticada pelos negociadores islâmicos e às atividades realizadas pelos 
cativos, classifique V para as sentenças verdadeiras e F para as falsas: 
 
( ) As funções dos cativos eram praticamente as mesmas; dentre os afazeres