A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
41 pág.
Capitulo 01

Pré-visualização | Página 1 de 5

1
1 Lesões Brancas
Lesões brancas da mucosa bucal são um grupo de desordens multifatoriais, cuja 
cor é produzida pela dispersão da luz sobre uma superfície epitelial alterada. O 
diagnóstico clínico e diferencial das lesões brancas bucais deve ser baseado na 
história médica, nas características clínicas e nos testes laboratoriais.
• Leucoplasia • Matéria alba da gengiva
• Leucoplasia pilosa • Grânulos de Fordyce
• Líquen plano • Leucoedema
• Reações liquenóide • Nevo branco esponjoso
• Linha alba • Disceratose congênita
• Estomatite nicotínica • Paquioníquia congênita
• Estomatite urêmica • Síndrome da hiperceratose palmo-
plantar e da mucosa bucal focal• Estomatite por contato com canela
• Queimadura química • Papiloma
• Candidíase • Carcinoma verrucoso
• Lesão por mordiscamento • Carcinoma espinocelular
• Língua geográfi ca • Enxertos de pele e mucosa
• Língua pilosa • Peeling epitelial
• Língua saburrosa
Laskaris_01.indd 1Laskaris_01.indd 1 8/9/07 2:39:22 PM8/9/07 2:39:22 PM
2 Lesões Brancas
Leucoplasia
Defi nição Leucoplasia é um termo clínico, e a lesão é defi nida como uma 
mancha ou placa branca, fi rmemente aderida à mucosa bucal, que não pode 
ser classifi cada como nenhuma outra lesão ou patologia. É uma lesão cance-
rizável.
Etiologia A etiologia exata continua desconhecida. Cigarro, álcool, irritação 
local crônica e Candida albicans são fatores predisponentes importantes. O 
papilomavírus do humano (HPV) pode também estar envolvido na patogenia 
da leucoplasia bucal.
Aspecto clínico Três tipos clínicos (Figs.1 e 2) são reconhecidos: a homogê-
nea (comum), a salpicada (menos comum) e a verrucosa (rara). As leucoplasias 
salpicada e verrucosa apresentam um risco maior de transformação maligna 
do que a forma homogênea. A taxa média de transformação maligna para a 
leucoplasia varia entre 4 e 6%. As localizações afetadas com maior freqüência 
são a mucosa jugal, a língua, o assoalho de boca, a gengiva, e o lábio inferior.
Testes laboratoriais Exame histopatológico.
Diagnóstico diferencial Líquen plano, estomatite por contato com canela, 
candidíase, leucoplasia pilosa, reação tipo líquen plano, lesão por mordisca-
mento, ceratose no fundo de sulco relacionada ao tabaco, leucoedema, quei-
madura química, estomatite urêmica, enxerto cutâneo, algumas genodermato-
ses e lúpus eritematoso discóide.
Tratamento Eliminação ou suspensão dos fatores predisponentes compos-
tos retinóides; sistêmicos. A excisão cirúrgica é o tratamento de escolha.
Laskaris_01.indd 2Laskaris_01.indd 2 8/9/07 2:39:23 PM8/9/07 2:39:23 PM
Lesões Brancas 3
Figura 1 Leucoplasia homogênea.
Figura 2 Leucoplasia salpicada.
Laskaris_01.indd 3Laskaris_01.indd 3 8/9/07 2:39:23 PM8/9/07 2:39:23 PM
4 Lesões Brancas
Leucoplasia Pilosa
Defi nição A leucoplasia pilosa é uma das lesões mais comuns e caracte-
rísticas da infecção do vírus da imunodefi ciência humano (HIV). Em raros 
casos, pode ser observada em pacientes imunossuprimidos após transplante 
de órgãos.
Etiologia O vírus Epstein-Barr parece desempenhar papel importante na pa-
togenia.
Aspecto clínico A leucoplasia pilosa apresenta-se como uma placa bran-
ca, geralmente elevada, não-removível e assintomática. A lesão é quase 
sempre observada nas bordas da língua bilateralmente e pode envolver o 
dorso e a superfície ventral da língua (Fig. 3). Caracteristicamente, a su-
perfície da lesão é corrugada com orientação vertical. Entretanto, também 
podem ser observadas lesões lisas ou planas. Não é considerada uma lesão 
cancerizável.
Testes laboratoriais Exame histopatológico, hibridização in situ, reação 
em cadeia da polimerase (PCR) e microscopia eletrônica.
Diagnóstico diferencial Lesão por mordiscamento, líquen plano, ceratose 
friccional, estomatite por contato com canela, estomatite urêmica, candidíase.
Tratamento Não requer. Em alguns casos, entretanto, o aciclovir e o valaci-
clovir podem ser usados com sucesso.
Líquen Plano
Defi nição Líquen plano é uma doença crônica infl amatória mucocutânea 
relativamente comum.
Etiologia Apesar de a causa ser desconhecida, mecanismos auto-imunes 
mediados por células T estão envolvidos na patogenia do líquen plano.
Aspecto clínico As lesões bucais que caracterizam a doença são pápulas 
brancas que geralmente coalescem formando um rendilhado (estrias de Wi-
ckham). São reconhecidas seis formas da doença na mucosa bucal, classifi -
cadas de acordo com sua freqüência: comum (reticular e erosiva, Figs. 4 e 5); 
menos comum (atrófi ca e hipertrófi ca, Fig. 6); e rara (bolhosa e pigmentada, 
Fig. 7). Afeta indivíduos de meia-idade com maior freqüência (a relação de 
Laskaris_01.indd 4Laskaris_01.indd 4 8/9/07 2:39:25 PM8/9/07 2:39:25 PM
Lesões Brancas 5
Figura 3 Leucoplasia pilosa.
Figura 4 Líquen plano na mucosa jugal: forma reticular.
Laskaris_01.indd 5Laskaris_01.indd 5 8/9/07 2:39:25 PM8/9/07 2:39:25 PM
6 Lesões Brancas
mulheres para homens é de 3:2). Os locais mais afetados são a mucosa jugal, 
a língua e a gengiva. As lesões cutâneas caracteristicamente aparecem como 
pápulas pruriginosas, poligonais de coloração púrpura, geralmente nas su-
perfícies fl exoras das extremidades. A glande do pênis e as unhas também po-
dem ser afetados. A doença pode ser, em geral, diagnosticada clinicamente. O 
prognóstico do líquen plano é bom, e a possibilidade de transfomação maligna 
(particularmente da forma erosiva) continua controversa.
Testes laboratoriais O exame histopatológico é de grande valia. A imuno-
fl uorescência direta pode ser utilizada, apesar de as características não serem 
específi cas.
Diagnóstico diferencial Lúpus eritematoso discóide, candidíase, doença do 
enxerto versus hospedeiro, língua geográfi ca, leucoplasia, eritroplasia, penfi -
góide cicatricial, pênfi go e penfi góide bolhoso.
Tratamento Nenhuma terapia é necessária nas lesões assintomáticas. O 
uso de esteróides tópicos (sob a forma de orabase ou injeção intralesional) 
pode ajudar. Pode-se utilizar esteróides sistêmicos em baixas doses nos casos 
severos e disseminados. Deve-se evitar o uso tópico de enxaguatórios bucais 
anti-sépticos.
Figura 5 Líquen plano na mucosa jugal, forma papular e reticular.
Laskaris_01.indd 6Laskaris_01.indd 6 8/9/07 2:39:26 PM8/9/07 2:39:26 PM
Lesões Brancas 7
Figura 6 Líquen plano no dorso da língua: forma hipertrófi ca.
Figura 7 Líquen plano na mucosa jugal, forma pigmentada.
Laskaris_01.indd 7Laskaris_01.indd 7 8/9/07 2:39:27 PM8/9/07 2:39:27 PM
8 Lesões Brancas
Reações Liquenóides
Defi nição Reações liquenóides ou reações do tipo líquen plano são um gru-
po heterogêneo de lesões que acometem a mucosa bucal e que apresentam 
semelhanças clínicas e histopatológicas com o líquen plano, porém com curso 
diferente.
Etiologia Os fatores causais mais comuns são hipersensibilidade a mate-
riais restauradores dentais, amálgama, resinas compostas e acúmulo de placa 
dental. Em raros casos, uma reação a drogas pode ser responsável pelo apare-
cimento da lesão.
Aspecto clínico Clinicamente, aparecem como lesões brancas e/ou eritema-
tosas geralmente associadas a uma delicada estria branca periférica (Fig. 8). 
Também é comum erosão (Fig. 9). As lesões imitam o líquen plano erosivo. 
Elas estão confi nadas estritamente à mucosa que está em contato direto com o 
material restaurador, não migrando para outros locais. As lesões desaparecem 
após a remoção do material adjacente. O diagnóstico é geralmente clínico.
Testes laboratoriais Em alguns casos, um teste cutâneo pode ser útil.
Diagnóstico diferencial Líquen plano, por drogas de uso contínuo, lú-
pus eritematoso discóide, penfi góide cicatricial e estomatite por contato com 
canela.
Tratamento Recomenda-se a substituição do material restaurador, polimen-
to e alisamento