Lahire, Bernard  - Sucesso Escolar nos meios populares   as razões do improvável final
58 pág.

Lahire, Bernard - Sucesso Escolar nos meios populares as razões do improvável final

Disciplina:Psicologia Educação165 materiais211 seguidores
Pré-visualização33 páginas
136

BERNARD LAHIRE

SUCESSO ESCOLAR
NOS MEIOS POPULARES

As razões do improvável

Traduçãu
Ramon Américo V:l.squcs

Sonia GolJfeJcr

Editor
Miriam Gold(eder

Editor~assistente
Claudcmir D. de Andrade

Preparação de texto
Maria de Fátima Mendonça Couto

Revisão
F,hima de Carvalho M. de SOllz::t (cllord.)

Isa ías Zilli

Paginação eletrônica
G&C Associados
Laura Sanae Dlli

Capa
1,,;t hl,1 C lrh:tl1p

Impresso nas oficinas da
Gráfica Palas Alhena

1.9 Sl!ud/uallunard, Paris, 19Y5
Título orlg-ina l: Tableaux de familles - HeuTs el malheuTS scolaires

cn milieux populaires
ISf\N 2 02 02>911 O

ISBN 8508 06601 5

1997
Todos os direitos reservados pela Editora Ática

Rua Barão de Iguape. 110 - CEP 01507-900
Caixa Postal 2937 - CEP 0 1065-970

São Paulo - SP
TeL (0 11) 278-9322 - Fax: (011) 277-4146

Internet: http://www.atica.com.br
e-mail: editora@atica.com.br

SUMARIO

Prelúdios ... I I

\. O PONTO DE VISTA DO CONHECIMENTO. 17

• A estrutura do comportamento e da personJlidade da criança 17
• Os traços pertinentes da leitura sociológica 19

As formas fami li ares da cultura escrim, 20 Condições c dispo~
siçõcs econômicas, 24 A ordem moral doméstica, 25 As (ormas
de autoridade familiar 27, As formas (mniHares de in ... cstimcn~
to pedagógico, 28

• A pluralidade dos estilos de "sucesso" 29
• Singularidade e generalidade 31

Contexrualizar, 32 Ext'mplos caricaturais. 34 A «ucstãn lia
equiva lência, 36 A estruturação de objetos singubrcs, 37 Por
um procedimento experimental , 40

2. uFRACASSO" E "SUCESSO" .

• A população pesquisada
• A percepção escolar dos alunos

A orJl!m cSClllar das qualidades, 54 Sobre a autonomia e a dis-
ciplina,58

3. PERFIS DE CONFIGURAÇÕES ..

• Vari<lções sobre o mesmo tema
• A elucidação das palavras: à procura de indícios

O elo impossível
Perfil I : A distância em relação aos universos objetivados, 79 Per-
fil 2: Uma prisão familiar, 88 Perfil 3: Uma ruptura radical, 97

A herança difícil
Perfil 4: A difícil situação do filho mais novo. 106 Perfil 5: As
más condiçõcs de herança, 115 Perfil 6: Dois capitais culturais
indisponíve is, 124 Perfi l 7: Uma perturbada divisão sexual das
[arefas d()m~sticas . 131

47

47
53

71

71
74
77

104

DlI indisciplina à autodisciplina
Perfil 8: Recusa às coerções c "bloqueio" em r .... b çãtl ~I tsc ri la, 143
Pt:rfil 9: A mo nll, a aucoridade e a escola, 155 Perfil 10: A "cscrc-
vinhadora" disciplinaJa , 164

Sentimento de inferioridade, sentimenw de superioridade
P .... rfil 11 : U m s .... mimtnto de "inferioridade culntral", 173 Per-
fi l 12: U ma rcencamação sucia l, 181 Ptrfil1 3: Vigi lânc ia moral
e auxílio 1l1ÚCUO famil iar, 190 Pcrfil14: Um afável confinamen -
to simlx'J lico, J97

Configurações familiares heterogêneas
Perfil 15: As conrraJições, 208 Perfil 16: Entre inquisiçij() c indul -
gência, 219 Pt.:rfi I1 7: Uma relação de forç a cultural, 227

A criança no cemro da famma
Perfil 18: Uma situação com dupla facc, 234 Perfil 19: A crian-
ça-rc i num rcinll mlxlesto, 244

Inves timento familiar positivo ou negativo
Perfil 20: Um superinvestimento esco lar paradoxa l, 258 Perfil
21: Os limites da ... Icspesa familiar, 268 Perfil 22: O invt~tillle n ·
LO escolar. 277

Os "brilltanres" sucessos
Perfil 23: Aqui, tudo é ordem e rcgularidaJc .. ,288 Perfil 24:
Um,1 vigi lância regular e sistemática, 296 Perfil 25: U m caso
"ideal", 303 Perfil 26: Uma mili tância f<lmiliar, 313

CONCLUSÕES ....

• O mito da omissão parenta I e as relações famíHas,escola
• As modalidades da transmissão

O h::mpo e as opurtuniJades dc socialização, 338 Tmnsmissão
ou cons(T\lçiio!, 340 U m patrimônio cultural mo rto, 3 42 A
integração soc ial c simbúlica da experiência esco lar, 343 Capi ,
tal escolar e experiênc ia escolar, 344 A const ituiç5o das iJt!n-
{iJaJcs ~exllab, 345 Contrad ições e instabilidades, 346

141

171

207

233

256

285

334

334
338

• Uma antropologia da imerdependência 348
A inct:rJt:pcndênc ia. 348 Das estruturas objetivas às est ruHlras
mcmais, 350 O "interior" e o "exterior", 352

BIBLIOGRAFIA . 359

A CRADECIMENTOS

Agradeço antes de tudo às faml1ias que me confiaram uma /)arte de
sua exJ)eriência. Espero que es te trabalho, ao evocar situações sociais sem
nenhum sentimenlO de desprezo nem piedade, /)ossa devolver a cada uma
delas a dignidade que raramente lhes é atribuída.

Meus agradecimentos dirigem-se também ao Grupo de Pesquisa so/n-e
a Socialização (URA 893, CNRS), que contribuiu para a publicação
deste trabalho nas melhores condições possíveis. A Daniel Thin , que fez
uma grande parte das entrevistaS comigo , a todos os que participaram
da pesquisa , a Roger Chartier, Daniel Fa/n-e , Ylles Grafmeyer, Claude
Grignon , Jean-Claude Passeron, Jacques Revel e Guy Vincent, por
suas observQ{ões, e, finalmente , a Régis Bemard e Yane Golay, que ama-
lIelmente acompanharam a passagem da relatório de pesquisa inicial
(Les raisons de I' improbable. "Heurs" e "malheurs" à l'école élémen-
ta ire d'enfanrs de milieux po pulaires - As razões do improvável.
"Alegrias" e "tristezas" na escola primária de crianças de classes popu-
lares) à re~ão deste livro.

P enso, :llkb, comu VOCl-!>, q uc I,) qUI! deve
sohretudo solicitar n os!>a atenção ~iio (l!'>
!-,'1l1nJc!> I'rublcma~ do mundo c d :l cii!nc i:l.
Mas, mUll .. ~ "C:;:C', de 11.Ida ~r"c form ular
o :.imple::. proJl..'lII de ~leJ i car-.,c à 1Il\'cstlJ.!aç:io
de~ Oll d"tJude gr:lndc prohlema. ~llS ne m
!oCmpn~ ,,< Ihemm para onde dcvem()~ (IrkntM
U~ p:l~.,(I~. É ~cmr re 1ll:11S r:lC.lmal. em um
tr:lha lhn clen tí(icl), lIll'rgull \:l r naqul1u ql!!:
te mos J i.mle de nú~, nus ubje to::. que sc
oferece m por ... i nW!>Il\l.l!> ~ nÜ:.:.iJ 1't'~lI Ul ~ :l .
Se o (I:ermo::. com ~crkJade . ::.clll Idé l.!:.
rrecom .. c h.J<I~ . !oC 1ll expcct<lIIV,h ex,l~('r:lll:h .
e:.c ti verm tJ!> Il .. ..lrl c, pode acnlll eü'r que,
gmç"~ "tJ~ d t~ q llC Ilg<lm llldo a tudo.
u pequeno : 11 1 gr:tnde , il traba lho que
C\ 1Il11..~~. ,1 tl1 ( 1~ ~etll nenhum:l prctenSãtl :Ihr:!
ca rninlw :lll c~t Lldo de gr:mdell proh l t' Ill : I ~
(Sigmund Frl.!uJ, llll rudllCtlon li la
/l5)chmwl)'5i!, p. 17).

Enrl .... lanlU .. no ... 11\1 gdn 1..·-"'.:(,rh:g:<lJUJ onde
a frlcçãu t'~I,í :lL1loentc. c onde, portanto •
.. 110 CUn;..I I~~C ...... !> 1l:'i\1 Ide:l l~ em um certo SCIltLJ,I,
tIl,l:>, (Imle. e m tme .. , e cau ...... "l disso, n:111
1l( }t,.le m ().~ ca mmh:lr. ()m, queremo..\'> " ll11mh' lr;
prec i ~,lml)~, rnrmmo, de fricç flo. VulleUlus
,)" 1l{)1" llspcrn! (LUJWlg Wlllt..:en~ ll'lIl,
fllt !f.mgatiom /)hllmfJphlf/H<'s, p. 164.)

PRELÚDIOS

su t.'X I ~ I t.' UIll.! fllrTlM dI.' .'0.: d wg.1 1' :lll lllll\'cr ... al:
O hSCf\'iI T (! Pilrll t.'u l,lr, n;jn .'ulx·rflcmlmentc m,IS
mmllL I(I",tlll ... 'lltc c e m lk·l:llh ... ·~'.

P,lr,t t.'llIl1prccndcr 1:.1,1 .Ic Inlxkl mal:> d.l1\\ pr\.'o
l:1s,"mlo:..lall ll)aqu l Cl1nlOCIU I númcl\~ r.:. I:O:l!<lan,~·
li)gJl. .. , l:nmtdcrm ,I:> P:trt lt.'Lll.!riJ,t ... k,:. do. ... prtX ... ~·
:;0:': !l/flor IlUlb J.: /)Cltl) lllJ.Ul' t:!> l ;Í 'ICI"lIl ICl.cndo!,

Souyla está cursando a 2" série do I" grau. Seu pai, ex-operário
ua construção c ivil, não-qualificado, está aposentado. Ele e su"
mulher, dona-de-casa , são analfabetos, dominam com dificuldades a
língua francesa e têm um conhecimento bastante restrito do sistema
escolar (de seu funcionamento cotidiano, do desempenho de seus filhos,
das classes que freqüentam ... ). O casal teve onze filhos e vive na peri -
feria de uma grande cidade . Souyla está indo muito bem na escola.

Esta descriçiío sumária de uma situação soc ial e escolar, que pode-
ria ser a verbalização de algumas informações