A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Fisiopatologia da dor

Pré-visualização | Página 1 de 3

Anestesiologia dos animais domesticos
Aula: 16/03/2015
Final Opióides
Agonista µ parcial
Buprenorfina – Efeito teto. Ele tem afinidade pelos receptores mas não se encaixam todo no receptor. Ele tem o mesmo efeito que um µ total ocuparia porém ele tem um efeito teto. Se eu utilizar fármacos ou de doses maiores deste fármaco as vezes eu não consigo um efeito desejado que eu teria num µ total. PP µ parcial. É bastante utilizada em felinos Boa ação analgésica. Se não encontrar a buprenorfina, utilizar a morfina (felinos)
Agonista-antagonista -Ela tem uma capacidade de ter ação positiva em determinado receptor e de forma antagonista em outro receptor µ agonista e antagonista kappa (k). Todos os efeitos relacionados ao receptor µ eles são bloqueados e todos os efeitos relacionados ao receptor k são ativados.
Butorfanol – Importante na clínica de eqüinos e aves. As aves tem mais receptores k do que receptores µ, então quando queremos fazer anestesia em aves, usamos um butorfanol. CARO. Excelente para eqüinos Boa analgesia visceral. Em cães e gatos eles não tem boa potência. Os receptores µ quando ativados promovem analgesia O RECEPTOR µ É O QUE PROMOVE MAIOR ANALGESIA DENTRE OS RECEPTORES. Em doses elevadas a ativação dos receptores µ podem causar disforia, bradicardia, hipotensão. O receptor k causa mínimos efeitos respiratórios, causam efeitos sedativos e pouca analgesia (menor que efeito µ). REVERSOR DE AGONISTAS µ mantendo o efeito analgésico, contudo não tão forte quanto os efeitos dos agonistas µ. 
Tramadol – É um fármaco opióide. Mecanismos de ação também não opioideticos. Utilizado em cães e gatos. Todo mundo prescreve tramadol pra casa. Boa disponibilidade por via oral. Os efeitos depressores do sistema respiratório não ocorre. Mecanismos diferentes dos opioideis. Não é utilizado para eqüinos porque tem um metabolito chamado o-desmetil-tramadol e esse metabólito ele tem mais afinidade pelo receptor do que o próprio medicamento Metabólito ativo. Os eqüinos não conseguem metabolizar o tramadol a o-desmetil-tramadol reduzindo o efeito analgésico desse fármaco. Morfina não tem biodisponibilidade em pequenos animais por VO.
Potência dos opioides
Sulfentanil > Fentanil > Alfentanil > Morfina > Metadona > Meperidina > Tramadol > Codeína
Pacientes que são submetidos a amputação de membros, pacientes que tem fraturas expostas, o tramadol não vai conseguir remover a dor do animal. Uso continuo do Fentanil ou Morfina. O tramadol só vai poder ser utilizado se for receitado para casa depois da dor aguda
NALOXONA – Antagonista Opióde. Supressor de efeitos opioideticos. Sem analgesia. 
Manter o mecanismo de ação do medicamento: Se o animal estiver na clínica recebendo morfina e ser preciso dispensá-lo, deve-se usar um medicamento agonista µ, pois não deve ser utilizado medicamento que atue em outro receptor porque um pode antagonizar o outro. Portanto, se na clinica ele recebe agonista µ, em casa ele deve tomar agonista µ. 
Neuroleptoanalgesia – Associação de um tranqüilizante com um opioide. Acepromazina+Opioide. Clorpromazina+Opioide. Diazepam+Opioide. 
No MPA, a neuroleptoanalgesia promove uma melhor sedação do paciente com maior depressão do SNC, aumentando a potência do anestésico geral diminuindo essa dose. 
Benzodiazepínicos
Usados largamente na medicina humana
Na medicina veterinária usa-se somente o Midazolan e o Diazepam
Tomar cuidado em pequenos animais 
Os benzodiazepínicos eles tem a capacidade de promover o miorrelaxamento de ação central Benzodiazepinicos e Alfa-2-agonistas tem essa ação. 
Os bnzdzpncs são hipnóticos, anticonvulsivante (podem ser usados em casos de pacientes epiléticos), sedativos. 
MECANISMOS: Atuam na transmissão GABAérgica. O Gaba é um neurotransmissor inibitório, a partir do momento em que um fármaco atua em seu receptor GABA, ele vai permitir uma hiperpolarização da célula Permitir que a troca iônica não ocorra. Carga (+) extracelular e carga (-) intracelular, quando ocorre despolarização ocorre a inversão (-)fora (+)dentro. A hiperpolarização nada mais é do que aumentar a carga negativadentro da célula, evitando que ela despolarize Ação inibitória.
Os receptores GABA tem vários compartimentos, cada medicamento tem afinidade por um compartimento, por exemplo o Thiopental, o propofol e o etomidato atuam em receptores GABA, também os BNZDZPNC vão atuar de receptores GABA. Se eu usar um BNZDZPNC na MPA e na indução anestésica eu uso o Thiopental sódico eles compartilham de um mesmo receptor causando potencialização diminuíndo a dose do thiopental e prolongar o efeito, levando ama recuperação tardia.
Apresentam pouca sedação, diferente das fenotiazinas
Em cães jovens ele apresenta efeitos paradoxais, ao invés dele deprimir, ele pode excitar. Uso dos benzodiazepínicos Epiléticos e idosos. Caso o bnzdzpnc seja utilizado em um cão hígido, ele vai “pular a janela” Vocaliza. Os pacientes geriátricos são submetidos a uma sedação leve. 
Evitar uso em hepatopatas porque o benzodiazepínico produz um metabólito parcialmente ativo, este metabólito pode causar depressão central por até 24h, por isso ele é contra-indicado em pacientes hepatopatas. CUIDADO COM ISSO. Acepromazina+Diazepam, consegue uma boa sedação e tem menos excitação do paciente. 
A vocalização é um sinal do delírio. Os bnzdzpncs causam amnésia temporária, nisso o cachorro esquece-se da “educação” e começa a vocalizar. Supressão da consciência. 
Os velhos vc aplica e ele fica lá de boa mas os novos ficam que nem um louco
São fármacos que causam mínimas alterações no sistema cardiovascular e respiratório. 
Associação na hora da indução com Thiopental, Etomidato.. Coindução.. 1/3 da dose de bnzdzpnc, qnd entrar no vaso sanguíneo, é feito um bólus com menos de 1/3 de agente indutor e ai e vou titulando bnzdzpnc-agente indutor.
Diazepam – Vem preparado com propilenoglicol. Sempre intravenosa, porque como ele não é totalmente solúvel, a absorção dele no músculo pode ser parcial, ou não ser de forma eficiente
Midazolam – Hidrossolúvel e pode ser administrado por todas as vias. 
Outra associação boa e bastante utilizado na clínica é bnzdzpnc+cetamina. 
Na MPA do felino é usando bnzdzpnc+cetamina por via intramuscular Midazolan
Flumazenil – Reversor dos efeitos dos Benzodiazepínicos. 
Fisiopatologia da Dor
A dor é boa! Nem todos sentem dor Não tem o efeito nociceptivo, porque não tem receptores de Ca. 
Dor – Experiencia emocional com sensação desagradável, associada a uma lesão tecidual real ou potencial
Mecanismo externo:
Local para ser estimulado. 
Térmico, químico ou mecânico
Processado para chegar no SNC
O mecanismo que faz a conversão que faz este estímulo químico, físico ou térmico se transformar em um potencial elétrico se chama TRANSDUÇÃO. 
Pisou no prego Mecânico Transduzido Corno dorsal da medula Arco-reflexo de tirar o pé O estímulo elétrico se transforma em estímulo químico (neurotransmissores) para que o animal tenha consciência da dor Medula Córtex (Região frontal) Estímulo nociceptivo.
O estimulo nocivo é transduzido e transmitido para o corno dorsal da medula que é modulado (liberação de neurotransmissores excitatórios e inibitórios), projetam-se para o encéfalo que no córtex vai acontecer a percepção da dor. 
A dor crônica tem outros compartimentos que serão responsáveis pela impregnação da dor. Então pacientes que tem dor crônica, dependendo da intensidade da dor cometem suicídio. 
Todo mundo é sensível a toque, a frio, a vibração e ao estímulo nocivo. Os vários componentes distribuídos na pele fazem isso. São os receptores de frio, de vibração, de tato. Quando estamos vestidos, não estamos sentindo dor por estarmos vestidos Estímulo inócuo.
Terminações livres Nociceptores. Que estão distribuídos na pele, na cápsula dos órgãos. Eles captam os estímulos. 
Esses mecanismos são carreados por fibras mielinizadas e fibras amielinizadas
Fibras: Alfa, delta, gamma e C. 
Alfa: Supermielinizadas. Responsável pela função mecânica
Delta e

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.